TIE-Brasil
19/11/2017
Cadastre-se | Esqueci a senha!
Nome: Senha:

Notícias(Outubro/2007)

(clique para ver todas)

Comissão da Câmara dos Deputados aprova Venezuela no Mercosul
Após muito debate, a Comissão de Relações Exteriores da Câmara aprovou ontem a adesão da Venezuela ao Mercosul

Foram 15 votos favoráveis e uma abstenção. A oposição tentou de todas as formas bloquear os debates, mas no final ninguém votou contra, apenas um deputado se absteve. O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) se juntou ao bloco de direita e defendeu que a votação só ocorresse após o referendo de dezembro que decidirá sobre a reforma constitucional chavista. "Temos que avaliar com calma se o fechamento da [rede de TV oposicionista] RCTV foi ou não democrático.", repetindo o batido discurso do PIG e da direita nacional, sem levar em consideração os crimes contra a Democracia cometidos pela direção da TV privada venezuelana.

A defesa do ingresso da Venezuela e do governo Chávez foi feita por deputados do PT, do PSOL e do PC do B. O deputado Doutor Rosinha (PT-PR), relator do texto, rebateu as críticas sobre o grau de democracia na Venezuela dizendo ser "preciso reconhecer que a última vez que houve ruptura da ordem democrática na Venezuela foi quando a oposição deu um golpe contra o governo Chávez, em 2002".

Um grupo de 13 governadores do Norte e do Nordeste, que defendiam o ingresso da Venezuela no bloco, enviou uma carta à comissão. O argumento é o de que essas regiões serão beneficiadas economicamente pelo Mercosul com a entrada da Venezuela no bloco, devido a questões geográficas.

O interessante é que entidades patronais como as Federações da Indústria e Comércio do Norte e Nordeste, também fazem lobby e pressionam o Congresso Nacional no sentido de que este aprove rapidamente a entrada da Venezuela no Mercosul.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 09:08 25/10/2007, de Curitiba, PR


Taxa de desemprego no Brasil cai para 9%
A taxa de desemprego nacional teve queda de 0,5 ponto percentual em setembro

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 9% da população economicamente ativa (PEA) se encontra desempregada no Brasil.

Em relação a setembro de 2006, quando a taxa de desocupação foi de 10%, o recuo foi um pouco maior.

De acordo com o IBGE, a taxa média de desocupação entre janeiro e setembro foi de 9,7%, a menor para esse intervalo de toda a série histórica da pesquisa.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 08:55 25/10/2007, de Curitiba, PR


Será que querem unificar os sitemas previdenciários na América Latina?
Um jornalão americano noticiou recentemente que os trabalhadores poderão transferir suas contribuições previdênciárias quando trabalharem em mais de um país da América Latina, Espanha ou Portugal.

O anuncio teria sido feito pelo ministro de Relações Exteriores do Chile, Alejandro Foxley, e um acordo neste sentido deverá ser assinado na Cúpula Ibero-Americana em novembro.

Seria isso o início de um processo visando unificar os sistemas previdenciários dos países de línguas latinas?

Seria isso a tentativa para privatizar todo o sistema previdenciário no espaço ibero-americano?

Será que isso não atenderia aos interesses de um determinado banco que mês a mês vem aumentando sua participação no mercado ibero-americano?

Enquanto a esquerda discute o sexo dos anjos ou o dilema entre a teoria e a prática, o capital age para consolidar seus já sólidos interesses.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 08:37 25/10/2007, de Curitiba, PR


PIG ataca outra vez
As investigações da Polícia Federal sobre possíveis fraudes nas importações de equipamentos de informática da Transnacional Cisco Sistems parecem deixar muita gente nervosa.

O PIG - Partido da Imprensa Golpista- é um deles. Bastou a PF apontar o dedo e mostrar as possíveis falcatruas da transnacional que o PIG começa a divulgar possíveis relações da Cisco com o Partido dos Trabalhadores, ou seja, que a transnacional teria feito doações para campanhas do PT no valor de R$ 500.000,00.

Nas condições atuais nada e ninguém pode ser considerado inocente de antemão, da mesma forma que não se pode acusar sem provar. Porém, não parece estranho que só agora o Ministério Público Federal de São Paulo tenha se interessado pelo caso?
Porque não investigaram a Cisco antes da PF ter feito a busca a apreensão nos documentos e computadores da empresa?

Seja o que for, o caso mostra mais uma vez que o PIG fará todos os esforços possíveis e imagináveis para envolver o PT e o governo Federal neste novo escandalo. Não importa se há verdade ou não naquilo que divulgam. O importante para eles é mostrar que nunca vivemos um período tão corrupto na história do país.

Por mais que se faça para agradar a elite, ela sempre fará tudo para detonar com qualquer governo que não tenha um de seus quadros chefiando o processo...

Enfim, a melhor defesa é o ataque!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 08:27 25/10/2007, de Curitiba, PR


Estatal paranaense de energia quer entrar na telefonia
Copel define plano de investimento de R$ 6,9 bi até 2016

Os investimentos em expansão da Copel - Companhia Paranaense de Energia Elétrica - poderão chegar a R$ 6,9 bilhões entre 2008 e 2016. O plano da estatal foi apresentado ontem pelo presidente da empresa, Rubens Ghilardi, à equipe do governo do Paraná. No período, a maior fatia deverá ficar com a geração de energia: R$ 4,261 bilhões estão previstos para construção de usinas hidrelétricas, R$ 1,1 para PCHs, R$ 500 milhões para usinas térmicas a carvão e R$ 228 milhões para fontes alternativas de energia.

Ghilardi informou que a empresa pretende expandir a atuação em telefonia e, com isso, poderá reduzir os gastos da administração pública, que passará a se comunicar por meio da estrutura de fibra ótica da companhia.

A estrutura de fibra ótica da Copel já é utilizada no programa de inclusão digital paranaense que interliga todas as escolas do Estado entre si e também as conceta à Internet, assim como os serve de infovia para os telecentros estatais instalados em regiões remotas do estado onde o acesso a Internet é prejudicado pela falta de infra-estrutura ou pela precariedade dos serviços fornecidos pelas empresas de telecomunicações.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:46 24/10/2007, de Curitiba, PR


Seara/Cargill poderá enfrentar mais uma greve
Trabalhadores da multinacional estão descontentes com os salários e a proposta da empresa não agradou os trabalhadores

Na última quinta-feira (18) os trabalhadores da Seara/Cargill participaram de uma assembléia na porta da fábrica realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Criciúma e Região. A assembléia analisou a proposta da empresa de apenas 5,5% de reajuste salarial. A data base é 1º de outubro e o INPC acumulado chegou a 4,92%. Cerca de 1476 trabalhadores participaram da votação secreta.

Para o secretário geral do Sindicato, Célio Elias, "mesmo a empresa pressionando para que não votassem, os trabalhadores fizeram a sua parte e demonstraram indignação perante a atitude da empresa em manter a proposta de salário".

No dia 11 os Sindicatos de Criciúma, de Jaraguá do Sul e o Sindicato de Sidrolândia/MS, junto com a Contac (Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação) se reuniram com a empresa para discutir a proposta salarial para os funcionários da multinacional em Forquilhinha, cuja data base é outubro. Jaraguá do Sul/SC e Sidrolândia/MS têm data base em novembro. Na reunião, em Criciúma, a empresa não avançou nas propostas salariais e de condições de trabalho. Segundo o presidente do Sindicato, Renaldo Pereira, "a reunião não durou mais de 10 minutos, porque a proposta é inaceitável pelos trabalhadores, como deixou claro a votação na porta de fábrica".

A proposta da empresa fica bem abaixo da dos trabalhadores, que reivindicam 5% de ganho real, redução da jornada de trabalho, cesta básica mensal no valor de R$ 80,00, e abrir uma discussão séria sobre a prevenção das doenças ocupacionais, tendo em vista o grande número de trabalhadores doentes devido ao ritmo de trabalho. Para os trabalhadores, é possível avançar, pois "os aumentos nas exportações no setor de frango, que causaram grande aumento no faturamento da empresa, não foram proporcionais aos trabalhadores. A empresa faturou mais e o trabalhador trabalhou mais e continuou ganhando a mesma coisa", ressalta Renaldo Pereira.

Trabalhadores dizem não

O Sindicato montou 13 urnas para que os funcionários que chegavam ou saíam do trabalho pudessem dar sua opinião sobre a proposta da empresa. Houve filas para votar. "A insatisfação estava clara nas conversas com os trabalhadores. Não poderia dar outro resultado. Os trabalhadores querem salários justos", comentou Célio Elias. Com o fim da votação, a insatisfação ficou evidente: mais de 83% (1.234 votos) dos trabalhadores disseram não à proposta da empresa e menos de 15% (221 votos) dos trabalhadores aceitaram a proposta. Os votos brancos e nulos não chegaram a 2% (19 brancos e 2 nulos).

Sabendo da insatisfação dos trabalhadores com os salários e com uma proposta que não agrada à maioria absoluta dos mesmos o SINDICARNE (patronal) pediu a intermediação da DRT alegando que o Sindicato dos trabalhadores abandonou a mesa de negociação. Na avaliação da diretoria do Sindicato não é possível avançar uma negociação sem uma proposta de aumento justo. Segundo o presidente Renaldo Pereira, "os trabalhadores têm interesse de fechar o quanto antes as negociações, porém não vamos abrir mão de um aumento justo". Na avaliação do sindicalista, não há como ignorar o fato de que mais de 1.200 trabalhadores não aceitam a proposta feita pela empresa. "Estes números demonstram o descontentamento dos trabalhadores no chão de fábrica. É preciso repartir um pouco o lucro, chega de ficarmos apenas com as lesões e doenças profissionais", conclui.

A empresa voltou ao cenário das ações anti-sindicais na semana passada ao demitir por justa causa uma trabalhadora com doença profissional após mais de 15 anos de trabalho na unidade de Jaraguá do Sul -SC.

Paralisação

Com mais de 83% dos trabalhadores descontentes com os salários e as propostas da empresa, o Sindicato admite que os trabalhadores da Multinacional Seara/Cargill poderão entrar em greve. "A empresa tem até o dia 30 de outubro para realizar nova proposta aos trabalhadores. Caso isso não ocorra é possível que os trabalhadores entrem em greve a qualquer momento a partir do dia primeiro de novembro", comenta Célio Elias. Na unidade de Forquilhinha, a empresa tem aproximadamente 2400 trabalhadores e abate 181 mil frangos por dia, na sua maioria destinados à exportação. Nos últimos anos, os funcionários têm realizado constantes paralisações em todo o país devido aos baixos salários e à falta de condições de trabalho. A última paralisação que aconteceu em Forquilhinha foi em 2004.
Enviada por Nilson Antonio, às 14:00 22/10/2007, de Jaraguá do Sul, SC


Russia: Trabalhadores na Renault protestam e banco de horas é cancelado
Os Trabalhadores da Montagem da AvtoFraMos * negaram-se a cumprir jornada extra no dia 28 de outubro sem o pagamento dos adicionais previstos em lei.

Ao saber que a empresa estava convocando-os para a jornada extra no dia 28 de outubro e queria jogar as horas trabalhadas no Banco de Horas, 100% dos Trabalhadores do Terceiro Turno (noturno) assinaram um abaixo-assinado reivindicando o cancelamento do Banco de Horas e o pagamento dos adicionais de 200% previstos em lei par este tipo de jornada extra.

O abaixo assinado foi levado ao Sindicato dos Trabalhadores na AvtoFraMos (Renault) que imediatamente apresentou uma pauta de reivindicações exigindo entre outras coisas o fim do Banco de horas para todos os turnos. Depois de doisdias de negociações a empresa acatou a reivindicação dos Trabalahdores e cancelou o Banco de Horas temporariamente.

Apesar de não ser uma medida permanente, a vitória nesta batalha é extremamente importante, já que o Sindicato tem apenas 6 meses de vida e esta é uma de suas primeiras demandas contra a transnacional francesa.

Em meados de setembro a AvtoFraMos demitiu o presidente do Sindicato dos Trabalhadores alegadno ter este cometido falta grave. Isso contudo não intimidou ao Sindicato e aos Trabalhadores moscovitas.

O panfleto do sindicato comemorando a vitória destaca ainda que a união dos Trabalhadores foi fundamental nesta conquista, principalmente porque mostrou à empresa a organização dos Trabalhadores na base, possibilitnado assim a conquista para todos os Trabalhadores nos diferentes turnos de trabalho.

A vitória também ajudou a aumentar o número de filiados ao sindicato e leva a uma nova rodada de negociações onde serão discutidas questões relativas ao cumprimento da jornada de Trabalho legal, pagamento de horas-extras e benefícios sociais.

Quem luta vence!

* A AvtoFraMos é a filial russa da Renault, instalada em Moscou, fruto de uma parceria entre a Transnacional Francesa e a prefeitura de Moscou. Inicialmente, a AvtoFraMos deveria montar veículos Renault e ajudar a salvar a velha e falida AZLK (Fábrica de Automóveis "Komsomol Leninista") que porduzia automóveis em Moscou desde os anos 1930.
Atualmente a AvtoFraMos monta em série o Logan com peças importadas da Romênia. Outros modelos Renault também são montados pela AvtoFraMos, porém "artesanalmente" em pequenas séries ou até mesmo por unidades, uma forma de evitar o pagamento de impostos de importação.
Não é preciso lembrar que a AZLK faliu e não mais existe, né?
Enviada por Sérgio Bertoni, às 09:52 22/10/2007, de Curitiba, PR


Comissário europeu culpa Brasil por defender seus interesses
Abaixo à miséria e à hipocrisia mundial
O Comissário de comércio da União Européia, Peter Mandelson, em entrevista a um grande jornal brasileiro acusa o Brasil de se esconder atrás do Mercosul para evitar negociar a aabertura de seu mercado.

É sempre assim. Toda vez que um país em desenvolvimento busca defender seus interesses os países do norte os acusam de serem os responsáveis por todos os males do mundo.

Europa e EUA com suas políticas de subsídios, guerras e invasões desestabilizam o planeta, destroem seus recursos naturais e querem que os povos do Terceiro Mundo continuem pagando a conta pelas desgraças por eles promovidas.

Façam o que mando, mas não façam o que faço

Infelizmente, há muitas quintas-colunas entre os países em desenvolvimento, mas não é possível aceitar as chantagens de países que dizem uma coisa e praticam outra. Europa e EUA defendem o Livre Comércio em todo mundo, mas criam barreiras e mais barreiras, tarifárias ou não, para impedir a abertura de seus mercados aos produtos de países do chamado Terceiro Mundo.

Se há algum culpado no fracasso das negociações em curso na OMC, estes são exatamente os gananciosos países do chamado mundo desenvolvido que querem manter seu status-quo e bem-estar social através da manutenção da injustiça internacional e às custas da miséria dos povos de países em desenvolimento.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 08:23 19/10/2007, de Curitiba, PR


O mais velho partido brasileiro ganha uma mascote
Clique na imagem para ampliá-la
Confira na imagem ao lado e também nos links abaixo a mais nova mascote do mais antigo partido nacional, o Partido da Imprensa Golpista, popular e carinhosamente conhecido como PIG.

Para ver o mascote criado por Diego Marcel Vieira, leitor do sítio de Paulo Henrique Amorim clique aqui

Para ler mais sobre o PIG e sua atuação nacional clique aqui

E que todos tenham um bom final de semana!!!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 07:07 19/10/2007, de Curitiba, PR


Ser humano não foi criado para sofrer
Depois de 15 anos de trabalho na Seara Cargill, trabalhadora é demitida com doença profissional

R$ 534,66. Este foi o total das verbas rescisórias recebidas pela trabalhadora Adélia de Jesus dos Santos, demitida da Seara Cargill com doença profissional. A homologação da rescisão do contrato de trabalho, com ressalvas, aconteceu na manhã do dia 17, no Sindicato dos Trabalhadores de Alimentação. ?Pode ter certeza de que a justiça será feita, vamos buscar o aviso prévio indenizado, o Fundo de Garantia, o seguro desemprego, a indenização por dano moral e tudo o mais?, assegurou o presidente do Sindicato, Sérgio Eccel, indignado com a demissão de uma trabalhadora doente. ?O ser humano foi criado para viver e trabalhar, mas não para sofrer?, desabafa.

Adélia foi afastada por recomendação do médico do trabalho, Jailson Lima da Silva, no dia 2 de agosto, por ser portadora de síndromes do manguito rotador em ombro esquerdo e do túnel do carpo. Trabalhou na Seara Cargill durante os últimos 15 anos, seis deles na sala de corte, onde desossava 3,5 coxas de frango por minuto, e os outros tantos embalando e pesando pés de frango, manualmente. Daí, adquiriu a LER/DORT (Lesão por Esforço Repetitivo/Doença Osteomuscular Relacionada ao Trabalho). "Por que, então, a empresa não demite a trabalhadora com todos os direitos básicos assegurados?", questiona Eccel.

Casos se multiplicam

E os casos de doença profissional só têm aumentado na empresa multinacional de alimentos. O trabalhador Valdecir Vaz, 37 anos, é outro exemplo. Ele adquiriu problema de coluna trabalhando como balanceiro e desossador ? ?para a empresa, caixas de 20 quilos não são pesadas, mas para nós, fazer isso oito horas por dia não parece pouco?, compara. Para o médico da Seara Cargill, no entanto, ?faltava esforço físico, era uma lesãosinha?, conta o trabalhador, que já se submeteu a três cirurgias e está aposentado por invalidez há dois anos (ganha R$ 470,00 mensais). ?Cheguei a ser até funcionário destaque e cipeiro, bastou adoecer e fui jogado num canto?.

Francisco Hilton Bezerra de Alencar, 33 anos, foi demitido por justa causa da Seara Cargill depois de trabalhar durante seis anos no corte, um ano no setor de congelamento e outros quatro no tratamento da água. ?Carregava bombonas de 50 quilos de cloro, escada acima?, conta o trabalhador, vítima de atrofia no ombro direito e que, desde junho do ano passado, está afastado com auxílio-doença, já que a empresa não preencheu a CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) e não reconhece a sua doença profissional. ?Tenho uma filhinha, mas não posso segurar no colo?, fala o trabalhador, com tristeza. O último exame médico, segundo ele, constatou lesão crônica.

A via crucis do trabalhador em busca do reconhecimento da doença profissional passa pelo chefe, médico da empresa, médico perito do INSS, justiça federal, associação de doença profissional, etc. ?O governo federal criou agora o SAB, sistema que analisa o histórico de vida do trabalhador?, explica a presidente da Associação dos Portadores de Doenças Profissionais do Vale do Itapocu, com sede em Jaraguá do Sul, Ângela Maria Cervini. ?Após dois anos de encosto, o trabalhador é submetido à nova perícia médica, que determinará sua volta para a fábrica e cortará o benefício do auxílio-doença?, prossegue, lembrando que a alternativa é ingressar com ação indenizatória antes do prazo de dois anos, junto à justiça federal. ?O processo pode levar anos mas, regra geral, o trabalhador consegue ser encostado judicialmente?, afirma Ângela.
Enviada por Nilson Antonio, às 13:12 18/10/2007, de Jaraguá do Sul, SC


Senado aprova licença maternidade de seis meses
O Senado aprovou nessa manhã um projeto de lei que determina a duração de seis meses para a licença maternidade. O projeto, de autoria da senadora Patrícia Saboya (PDT-CE) foi relatado por Paulo Paim (PT-RS) e deixa a cargo das empresas aderirem voluntariamente ao período maior da licença. Aprovado na Comissão de Direitos Humanos em caráter terminativo, o projeto segue direto para a Câmara dos Deputados.

Patrícia argumenta que dessa forma se pode começar a conscientizar as empresas do tempo necessário da mãe ficar com os filhos e no futuro tornar definitivo o prazo de seis meses em substituição aos quatro atuais.

Sobre o argumento usado por setores do empresariado de que isso poderia dificultar a entrada de mulheres no mercado de trabalho, a senadora argumenta que essa discussão já foi feita em 1988 quando foi implantada a licença de quatro meses. "Está na hora de respeitar as mulheres brasileiras e as crianças, esse tempo com a mãe é um direito das crianças".

O projeto conta com o apoio do presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Diclécio Campos Jr. Ele argumenta que a convivência com a mãe nessa fase da infância é fundamental para o bom desenvolvimento da criança. "O vínculo com a família nos três primeiros anos de vida determina a habilidade do adulto para lidar com o estresse e a agressividade".
Enviada por Nilson Antonio, às 10:43 18/10/2007, de Jaraguá do Sul, SC


Suicídio se torna acidente de trabalho no Japão
Um tribunal de Tóquio, no Japão, considerou pela primeira vez como acidente de trabalho o suicídio de um trabalhador que sofria insultos de seu chefe.

A Corte do Distrito da capital japonesa rejeitou a decisão do Escritório de Inspeção de Padrões Trabalhistas da província de Shizuoka, no Sudoeste de Tóquio.

O órgão havia negado à viúva o direito a uma indenização pela morte de seu marido.

Segundo o Escritório de Inspeção, o suicídio ocorrido em Março de 2003 não teve relação com a atividade profissional do morto. Já para o juiz que julgou o caso, o trabalhador teve que suportar uma carga psicológica fora do comum, o que o deixou em depressão.

O chefe ignorava o empregado de forma humilhante e o insultava severamente. A vítima trabalhava como vendedor de produtos sanitários. Ela começou a sofrer os abusos verbais em 2002, pouco depois de o novo chefe assumir com o objetivo de melhorar os resultados da companhia.
Enviada por Hugo Chimenez, às 09:50 17/10/2007, de São Borja, RS


Emprego na indústria também cresce
O emprego industrial voltou a crescer em agosto, refletindo o bom desempenho da atividade produtiva. Houve aumento de 0,2% em relação a julho e de 2,2% na comparação com agosto de 2006, o maior aumento na comparação a igual mês de ano anterior apurado pelo IBGE desde abril de 2005. No ano, a ocupação do setor já acumula alta de 1,6% e em 12 meses, de 1,2%. São Paulo representou o maior impacto positivo para os resultados nacionais.

Os resultados de agosto mostram que as empresas estão contratando mais por causa do bom desempenho na produção.

Os segmentos com maior impacto no aumento do emprego em agosto, como meios de transporte, máquinas e equipamentos e alimentos e bebidas, são também os que vêm mostrando melhores efeitos sobre a atividade.

A folha de pagamento industrial também prosseguiu em expansão em agosto (0,3% ante julho e 4,7% ante agosto de 2006) e reflete a entrada de mais trabalhadores no mercado e a inflação controlada. Além disso, há ganhos de salários em segmentos que são melhores pagadores que empregadores, como nas indústrias de produtos químicos e extrativa.

Em documento de análise sobre a pesquisa do IBGE, técnicos do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) lamentam que o crescimento do emprego industrial ainda esteja bem abaixo da variação da produção, que cresceu 5,3% no acumulado do ano até agosto.

Emprego formal cresce 0,87% no País

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, Caged, registrou em setembro a criação de 251.168 novos postos de trabalho com carteira assinada. No mesmo mês do ano passado, foram criadas 176.735 novas vagas formais. Na comparação com o estoque, houve crescimento de 0,87% de empregos em setembro. De janeiro a setembro, foram criados 1.606.992 empregos formais.

Em relação ao estoque, houve crescimento de 5,81%. De janeiro a setembro de 2006, haviam sido criados 1.383.805 empregos. Segundo o Ministério do Trabalho, a marca registrada em setembro é o melhor resultado já registrado para meses de setembro da série do Caged, iniciada em 1992.

O Caged revelou ontem que, em setembro, foram criados 251.168 novos postos de trabalho com carteira assinado, o que significou um aumento de 0,87% sobre o estoque de emprego formal no País, e que, de janeiro a setembro, foram criados 1.606.992 empregos formais.
Enviada por Hugo Chimenez, às 09:47 17/10/2007, de São Borja, RS


Montadoras francesas investigam suicídios de Trabalhadores
O grupo Peugeot afirmou que irá analisar se os SEIS operários que cometeram suicídio desde o início do ano foram motivados a tirar a própria vida em função das condições de trabalho.

Para isso, a companhia francesa encarregou uma consultora independente, a Stimulus, que irá identificar os fatores de estresse mais relevantes e avaliar a intensidade do trabalho.

A consultoria também pretende identificar se existem categorias ou funcionários mais expostos.

A Renault também enfrenta situações parecidas e investiga se existe uma ligação entre as condições de trabalho e o suicídio de QUATRO de seus funcionários.

Desde o início do ano, SEIS operários da Peugeot se suicidaram na França.

Sindicatos estão preocupados e responsabilizam o forte ritmo de trabalho nas empresas pelas mortes
Enviada por Hugo Chimenez, às 06:33 15/10/2007, de São borja, RS


Texteis espanhóis fecham Acordo Macro Internacional com Inditex
Firmado el "Acuerdo Marco Internacional" entre INDITEX y la Federación Sindical Internacional del Textil, la Confección y el Cuero (FITTVC)

A las 17 horas de 4 de octubre de 2007 se ha producido en la sede de INDITEX en Arteixo (A Coruña) la firma del "ACUERDO MARCO INTERNACIONAL" entre este Grupo Industrial de la confección de cabecera española (el segundo mundial detrás de la americana GAP) y la Federación Sindical Internacional del sector FITTVC (a la que estamos adheridas las federaciones sindicales españolas FITEQA-CC.OO. y FIA-UGT).

La firma se ha producido por parte de Pablo Isla , Vicepresidente y Consejero Delegado de INDITEX, y de Neil Kearney, Secretario General de la FITTVC. En representación de FITEQA-CC.OO. en el acto de firma han estado presentes: el Secretario General federal , Joaquím González, el Secretario General de FITEQA-CC.OO.-Galicia, Manolo Lores, y la Secretaria General de la Sección Sindical Intercentros de FITEQA-CC.OO. en Inditex, Merche López. Por parte de FIA-UGT ha estado presente Antonio Deusa, Secretario General federal.

Este Acuerdo Marco recoge el Código de Conducta de INDITEX , actualizado en este año 2007, y expresa el compromiso de INDITEX de hacer respetar las Normas Fundamentales del Trabajo en toda su cadena de producción, así como el procedimiento para su comprobación y la corrección de los incumplimientos, concretando para todo ello las formas de intervención sindical.

Otros aspectos destacados del Acuerdo Marco Internacional firmado son:

1) el énfasis en los Convenios de la OIT relativos a la libertad sindical y a la negociación colectiva, así como a la exigencia de un salario que sea "al menos igual al mínimo legal o al establecido por convenio, si éste es superior" y que "deberá ser siempre suficiente para cubrir al menos, las necesidades básicas",

2) la constitución de una Comisión Paritaria ("Comité") de Seguimiento empresarial-sindical para realizar un balance anual de su cumplimiento y una coordinación permanente de las informaciones y de las actuaciones para la "revisión de los desarrollos de la Libertad Sindical y el Derecho de Negociación Colectiva en la cadena de producción y distribución de Inditex", y la corrección de posibles incumplimientos,

3) facilitando a tal fin a la FITTVC "información razonable acerca de su cadena de producción y distribución", y

4) proyectos de formación "para avanzar en el ejercicio del presente Acuerdo en toda la cadena de producción y distribución".

Este Acuerdo Marco , el 1º en la FITTVC, es el nº 58 de los firmados en el mundo con las Federaciones Sindicales Internacionales de los diversos sectores económicos, pero es el 1º que incluye en sus exigencias de "trabajo decente" a todos sus proveedores en el mundo , a toda su cadena de producción y distribución, por lo que tiene una especial significación, más aún por tratarse del sector textil-confección.

La firma de este Acuerdo Marco se produce tras varios años de colaboración de INDITEX con la FITTVC, y en y desde España con FITEQA-CC.OO., en relación con los Derechos del Trabajo en su cadena de proveedores, con interesantes experiencias concretadas entre otras en las siguientes, todas ellas ya en China, Marruecos, Turquía y Portugal, con proyectos para su desarrollo en otros países.:

1) visitas sindicales a fábricas de los proveedores,

2) participación sindical en reuniones de Inditex con sus proveedores, y

3) coordinación con los sindicatos locales

Se ha producido también un directa y positiva acción de INDITEX, partiendo de la iniciativa sindical y con intervención sindical:

1) en graves conflictos sobre el derecho a la libertad sindical y el despido de dirigentes sindicales en empresas como Topy Top de Perú y River Rich de Camboya, logrando la readmisión de todos los despedidos y la apertura de negociaciones sobre las condiciones de trabajo, y

2) en el apoyo a las victimas de graves accidentes de trabajo y sus familias como sucedió en la empresa Spectrum de Bangladesh.

La coordinación sindical-empresarial se ha expresado además en la preparación del nuevo Código de Conducta actualizado en 2007, y de un nuevo método de auditoría.

Todo ello confiere a este Acuerdo Marco un valor añadido que va mucho más allá de lo expresado en su propio texto.

Federación de Industrias Textil-Piel, Químicas y Afines de CC.OO.
Enviada por Eurococos Eurococas, às 13:40 04/10/2007, de Barcelona, Espanha


Vidro trinca e faz avião da TAM retornar a aeroporto
Uma trinca no pára-brisa de um avião da TAM que faria o vôo 8084, que iria de Guarulhos (SP) para Londres, levou o piloto a retornar para o aeroporto, na madrugada desta segunda-feira. Com isso, o vôo foi cancelado, o que atrasou a viagem dos 135 passageiros.

Segundo a companhia aérea, o problema não representou riscos, uma vez que o vidro é formado por três camadas e a trinca atingiu apenas uma delas.

O piloto, no entanto, retornou ao aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos, por medida de segurança. A decolagem ocorreu por volta da 0h50, e o pouso, às 2h16.

Será que terão a cara-de-pau de depositar mais este incidente com um avião da TAM na conta do Governo Federal???
Enviada por Sérgio Bertoni, às 12:26 01/10/2007, de Curitiba, PR


Sadia finalmente fecha acordo com Trabalhadores de Uberlândia
As principais conquistas obtidas pelo STIAU na negociação deste ano são as seguintes:

- Reajuste salarial com aumento real: 5,5% (INPC acumulado no período = 4,82%)

- Piso salarial de ingresso: R$ 465,26

- Piso salarial de efetivação: R$ 530,00

- Manutenção do lanche para os trabalhadores

- 12 cestas básicas de produtos por ano (garantida por dois anos), com qualidade monitorada pelo sindicato e valor atualizado anualmente, no mínimo pelo mesmo índice que vier a corrigir os salários. Produtos que compõem a cesta:

· 15 kg de arroz
· 05 kg de açúcar cristal
· 01 Kg de macarrão
· 02 (900 ml) de óleo de soja
· 02 Kg de feijão
· 01 Kg de farinha de trigo
· 01 lata (250gr.) de extrato de tomate
· 01 Kg sal
· 500 gr de café

- liberação remunerada de mais um diretor do sindicato, além do coordenador geral

Além destas, foram obtidas muitas outras conquistas em relação às condições de trabalho e relações sindicais, que terão validade para os próximos dois anos. Na próxima data base (setembro/2008), o STIAU só vai ter que renegociar o valor dos salários, do piso salarial e da cesta básica.

Os trabalhadores da Sadia vinham lutando há mais de 5 anos ? desde a época em que a Sadia comprou a Rezende Alimentos em Uberlândia ? para conquistar a cesta básica de alimentos. Para o coordenador do STIAU, Humberto de Barros Ferreira, a conquista das 12 cestas básicas, com produtos de qualidade e valor reajustado anualmente, além de beneficiar principalmente os trabalhadores que recebem menores salários, é um marco na mobilização dos trabalhadores da Sadia e deve influenciar positivamente as negociações nos demais frigoríficos e indústrias de Alimentação.
Enviada por STIAU, às 12:17 01/10/2007, de Uberlândia, MG


Cargill: grandes exportações e pouca responsabilidade social
Clique aqui para ampliar a foto
Trabalhadores de Criciúma /SC e região fizeram um ato de protesto em frente à Seara/Cargill (Forquilhinha-SC) denunciando os danos a saúde provocado pelo excessivo ritmo de trabalho nas indústrias

O movimento sindical de Criciúma e região realizou na última sexta-feira (28) uma manifestação denunciando, mais uma vez, as mutilações provocadas nos locais de trabalho, principalmente, no setor de alimentação. A Seara /Cargill foi escolhida, pois na avaliação dos sindicalistas é uma das empresas que mais adoece na Região Sul. Esta não é a primeira vez que os trabalhadores vão à porta da empresa para denunciar estes problemas que não estão recebendo a atenção devida da multinacional.

A Seara/Cargill nos últimos anos vem merecendo destaque nas mobilizações dos trabalhadores contra as doenças profissionais. Casos como o acidente que ocorreu em Sidrolândia/MS, as denúncias feitas em Jaraguá do Sul e o caso de Valdirene em Forquilinha são alguns dos motivos das manifestações nas respectivas cidades, na Assembléia Legislativa e mesmo em Brasília. As exportações que nos últimos anos aumentaram a produtividade não foi motivo para a empresa aumentar o número de funcionários proporcionalmente. Porém, segundo os sindicalistas, aumentaram os casos de trabalhadores doentes e mutilados. Contudo, pouco se vê de mudanças no ambiente de trabalho das empresas.

No ato, os trabalhadores usaram um boneco de um frango empurrando uma cadeira de rodas com uma trabalhadora lesionada devido ao excesso de movimento repetitivo causado pelo ritmo excessivo de trabalho. Para o Presidente do Sindicato da Alimentação de Criciúma e Região, Renaldo Pereira ?parece ser repetitivo esses atos, mas na verdade é a forma de denunciar e reivindicar um fim deste descaso contra os trabalhadores?. O STI Alimentação de Criciúma e Região foi um dos pioneiros em denunciar os descasos contra os trabalhadores. Segundo Célio Elias, Secretário Geral da entidade, ?este é o momento de cobrarmos mais respeito com os trabalhadores e sairmos às ruas exigindo leis que regulamentem estas situações nos abatedouros de aves?.

O ato que contou com a presença dos trabalhadores fez parte de uma atividade desenvolvida pelo MOVIDA (Movimento em Defesa da Saúde e Segurança da Classe Trabalhadora Catarinense) juntamente com o STIA Criciúma e Região/CUT.

No destaque acima, foto do boneco de frango empurrando a trabalhadora lesionada.

Fonte da Foto: http://www.engeplus.com.br
Enviada por NIlson Antonio, às 10:28 01/10/2007, de Jaraguá do Sul, SC


>>
Próximos eventos

Clique aqui para ver mais notícias.