TIE-Brasil
17/11/2017
Cadastre-se | Esqueci a senha!
Nome: Senha:

Notícias(Março/2008)

(clique para ver todas)

FHC até tentou, tentou, mas é com Lula que Brasil tem mais influência no FMI
Realmente este mundo está de cabeça para baixo. FHC curvou-se tanto que o FMI viu-lhe os fundilhos e ignorou o Brasil, mantendo sua relação imperial para com o país.

Agora sob o governo do operário, o Brasil passa a ter uma cota de 1,78% no Fundo, ou 40% a mais do que antes. Passa a ter também um poder de voto de 1,72%, ou 22% mais do que antes. Uma merreca, é verdade, mas é muito mais do que já teve anteriormente!

Isso trará um custo de U$ 2 bi anuais ao país, mas mesmo assim é raro que os caras busquem apoio do operário para recuperar o prestígio perdido e não tenham feito o mesmo durante o governo do sociólogo que ao FMI recorreu pelo menos em tres ocasiões e suas teses defendeu com galhardia e eficiência nunca vistas.

Sob o governo do intelectual a dívida externa aumentou junto com a dependência em relação ao FMI. Com o operário, "chucrão" como dizem os intelectuais, o Brasil quitou a dívida com FMI e diminuiu sua dívida externa total...

Sob FHC o Brasil pedia ajuda ao FMI. Com Lula o Brasil ajuda o FMI! É mole?

Realmente muita coisa está fora da ordem, fora da ordem mundial, como dizia o poeta.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 05:24 29/03/2008, de Curitiba, PR


Atraso na concessão de aposentadoria gera indenização
A demora injustificada da administração pública na concessão de aposentadoria gera ao servidor o direito de ser indenizado por ter sido obrigado a trabalhar compulsoriamente. A decisão unânime é da 2ª Turma do Superior Tribunal de Justiça.

O relator, ministro Castro Meira, baseou-se no princípio constitucional da eficiência, que obriga os entes públicos a cumprir suas obrigações e funções dentro de prazos regimentais.

No caso, uma servidora pública do Estado de Mato Grosso do Sul entrou no STJ com recurso especial para pedir indenização. Alegou que foi forçada a aguardar dez meses pela apreciação e deferimento de seu pedido de aposentadoria. A administração pública argumentou que não poderia ser culpada pelo atraso porque o processo para aposentadoria é um procedimento lento que exige rigorosa apreciação.

Segundo os ministros, é dever da administração pública pautar seus atos dentro dos princípios constitucionais, notadamente pelo princípio da eficiência, que se concretiza também pelo cumprimento dos prazos legalmente determinados. Eles consideraram razoável o prazo de 30 dias, prorrogável por igual período.

Os ministros reformaram decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Consideraram legítimo o pagamento de indenização em razão da injustificada demora na concessão da aposentadoria. O TJ gaúcho entendeu, antes, que a complexidade do processo justificaria o atraso.

Para o ministro Castro Meira, a atitude do Estado “agride o princípio da eficiência de maneira inquestionável”. Ele ressaltou já ser comum no meio jurídico o entendimento de que “ao processo administrativo devem ser aplicados tanto os princípios constitucionais insculpidos no artigo 37 da Carta Magna, quanto nos diplomas específicos”.

O ministro citou diversos casos julgados no STJ no mesmo sentido, além das opiniões de juristas brasileiros, como Geraldo Ataliba, Celso Antônio Bandeira de Mello e Hely Lopes Meirelles.
Enviada por Sergio Vidal, às 04:22 29/03/2008, de Camaçari, BA


FHC está morrendo de dor de cotovelo! Inveja mata!
Cientistas Políticos e Sociólogos não se entendem mesmo, principalmente quando os últimos tentam ser políticos ou fingem não ver a realidade a sua volta.

O ex-presidente e sociólogo FHC disse hoje: "Não vi a avaliação [do governo Lula], mas não fico surpreso com mais nada no Brasil", após realizar palestra promovida pelo PSDB.

Podia ser mais discreto e não mostrar descaradamente toda a dor de cotovelo que sente, além do desrespeito pela opinião pública e pela ciência da qual se diz parte.

FHC odeia o Brasil e os brasileiros. Seu sonho era ser francês e morar em Paris, assim como todo intelectualóide reacionário e colonizado.

Ah! pesquisa que vale é só aquela que aprova os políticos do PSDB, em especial, as que só aprovam FHC. Então, tá!

Índices mais que justificáveis

Já para o cientista político Carlos Melo, "Há uma série de fatores (que explicam a popularidade do presidente), sobretudo o bom momento econômico, que traz junto uma série de boas notícias. O Brasil tem mostrado crescimento elevado comparado com os últimos anos, o consumo está aquecido... Há uma certa euforia, uma certa confiança nos rumos da economia e isso parece ser o fundamental"

Para Melo, Lula é um bom comunicador e as políticas públicas e sociais do governo são importantes para sua popularidade. "Os índices são mais do que justificáveis" - concluiu.

Oposição Sabe Nada

"Ao mesmo tempo, a oposição não tem sabido estabelecer um novo tipo de diálogo com a população. A ação da oposição fica dentro de um ramerrame político com a sucessão dos escândalos e o presidente surfa acima disso", completou Melo.
Enviada por Almir Américo / Sérgio Bertoni, às 23:39 27/03/2008, de São Paulo, SP / Curitiba, PR


"Bush, meu filho, resolve tua crise", disse Lula
"Eu liguei para ele para falar: Bush, o problema é o seguinte, meu filho,[risos na sala] nós ficamos 26 anos sem crescer. Agora que a gente está crescendo vocês vêm atrapalhar, pô... Resolve, resolve a tua crise", afirmou Lula em dsicurso durante o Fórum empresarial Brasil-México realizado em Recife, PE.

Em seguida, disse que "O Brasil tem know-how para salvar bancos, é só criar um Proer", citando programa criado pelo Governo do tucnano FHC para salvar instituições financeiras a beria da falência. "Eu naõ vou ensinar, mas se eles quiserem tem gente no Brasil que pode ensinar como salvar banco. Se eles precisarem, podemos mandar esta tecnologia para eles [EUA]"...
Enviada por Sérgio Bertoni, às 23:04 27/03/2008, de Curitiba, PR


Governo Lula tem melhor avaliação desde 1ª posse
A pesquisa CNI/Ibope divulgada na tarde de hoje mostra que a avaliação positiva do governo de Luiz Inácio Lula da Silva atingiu seu nível mais alto desde a primeira posse do presidente, em 2003.

Entre os entrevistados, 58% avaliam o governo como ótimo ou bom, o que representa um crescimento de sete pontos percentuais em relação à última pesquisa de dezembro passado.

A pesquisa ouviu 2002 pessoas entre os dias 19 a 23 deste mês. A margem de erro é de dois pontos percentuais.
Enviada por Vereador Anacleto Zanela, às 17:40 27/03/2008, de Erechim, RS


Na Benteler, redução da jornada tem início em 1º de junho
A luta dos trabalhadores da Benteler em torno da redução

A partir de 1º de junho de 2008, serão reduzidos 30 minutos semanais. E em 1º de janeiro de 2009, serão reduzidos mais 30 minutos. Ou seja, em 2009, os trabalhadores da Benteler terão a jornada reduzida para 41 horas semanais.

Nossa luta agora continua para alcançarmos a totalidade de nossa reivindicação: a jornada de 40 horas semanais.

A decisão da empresa foi divulgada na reunião com o Sindicato, realizada no dia 20/03.

Nossa organização foi fundamental para mais esta conquista

No final de fevereiro, em assembléia na porta da fábrica, os companheiros aprovaram o Estado de Greve, caso a empresa continuasse negligenciando a necessidade dos trabalhadores e adiando a discussão com o Sindicato. Não demorou, a empresa marcou reunião e aceitou a proposta dos trabalhadores, apresentada pelo Sindicato.

A luta continua!

Conquistamos a redução da jornada de trabalho, embora nossa luta pelas 40 horas semanais ainda continue. E conseguimos fazer ajustes no Plano de Cargos e Salários. Agora, começam as discussões sobre a PLR. Participe das assembléias e fortaleça a organização junto com seus companheiros. Só a luta muda a nossa vida para melhor!

Fonte: Departamento de Imprensa - Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas
Enviada por Valter Sanches,, às 17:21 27/03/2008, de São Paulo, SP


Dacia-Renault: Operários romenos lutam por salários
Cerca de dez mil operários dos 12 mil que laboram na fábrica de automóveis Dacia-Renault de Petesti, situada a Noroeste de Bucareste, iniciaram na segunda-feira, 24, uma greve por tempo ilimitado exigindo aumentos dos salários e dos prémios. Depois de já terem efectuado uma paralisação de duas horas no passado dia 14, os sindicatos decidiram convocar uma greve prolongada para pressionar a administração a aceitar as suas reivindicações.

O salário médio na Dacia ronda os 285 euros mensais, mas os operários com menos antiguidade (cerca de 2500) auferem o equivalente a 169 euros, ou seja, um montante inferior ao salário médio nacional.

A administração da empresa, que começou por propor um aumento de 31 euros, mostra-se agora pronta a pagar mais 19 por cento, o que representa três vezes a inflação prevista para 2008, mas fica muito abaixo das exigências sindicais.

Os trabalhadores reclamam uma revalorização salarial de 148 euros e um aumento dos subsídios pagos na Páscoa e no Natal. Para muitos significa quase o dobro do que ganham actualmente. Embora possam parecer exageradas, estas reivindicações são justificadas pelo brutal aumento do custo de vida na Roménia que se aproxima rapidamente da média europeia. Certos produtos essenciais, como o leite ou a carne, já são de resto mais caros do que em França ou na Alemanha.

Acompanhando a evolução do salário médio nacional, os salários na Dacia subiram 20 por cento em 2007, mas continuam a ser dos mais baixos na Europa. Esta «vantagem competitiva» que as multinacionais exploraram à exaustão na última década, tende no entanto a desaparecer não só em resultado das crescentes pressões sociais, mas também devido à penúria de mão-de-obra que se sente no país, onde nos últimos anos cerca de 10 por cento da população atravessou as fronteiras em busca de melhores condições, designadamente em Itália ou na Espanha.

Para travar o movimento reivindicativo, a direcção do grupo Renault tem feito correr rumores de deslocalização para países como a Rússia ou Marrocos onde também é produzido o modelo Logan, um verdadeiro campeão de vendas.

Só no ano passado, da fábrica da Roménia saíram mais de 230 mil unidades deste automóvel, o que representou um aumento de 17,4 por cento em relação ao exercício de 2006 e um recorde absoluto de vendas que proporcionou 150 milhões de euros de lucros ao grupo francês.

Nos meses de Janeiro e Fevereiro as vendas dispararam 62 por cento, em relação ao mesmo período de 2007, e a produção deverá elevar-se para 350 mil viaturas até final de 2008.

Fonte: Jornal "Avante!" do Partido Comunista Português
Enviada por Almir Américo, às 11:52 27/03/2008, de São Paulo, SP


Sindicacau denuncia trabalho precarizado!
Trabalhadores denunciam empresa de cacau por prática de escravidão, pois os terceirizados que trabalham no setor de carga estariam trabalhando 12 horas por dia na Barry Callebaut, sem direito a ticket, plano de saúde ou outro benefício.

Eles dizem que a empresa Cargas! cortou o café da manhã e só podem fazer uma refeição por dia. O horário de trabalho é das sete da manhã às sete da noite, sem direito a intervalo. Alguns recebem menos de um salário mínimo.

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias de Cacau (Sindicacau), Luiz Fernandes Ferreira Andrade, conta que o Sindicacau já enviou denúncia ao Ministério Público exigindo medidas contra as precárias condições de trabalhos dos terceirizados. Fernandes diz que o problema não é exclusividade da terceirizada na Barry e “envolve todas as empresas do ramo”.

Fernandes conta ainda que alguns funcionários são remanejados para substituir os da mantenedora. Apesar de realizar os mesmo serviços, não ganham igual.“A terceirização é um sistema que precariza a mão-de-obra e apenas gera lucro para as empresas”.
Enviada por Sindicacau, às 10:13 26/03/2008, de Ilhéus, BA


A esquerda, Chávez e Lula
Enquanto a direitona ataca pedras e parte da esquerda latino-americana baba-ovo para o presidente venezuelano, Chávez desautoriza aqueles que tentam colocá-lo em oposição a Lula

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse em entrevista coletiva nesta terça-feira (25) algumas coisas interessantes sobre sua relação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"O diálogo com Lula jamais esfriou, apesar de tentarem isto"

"A cada dia estamos mais próximos e nosso diálogo é mais frutífero, tem mais calor. Não apenas entre ele e eu, estou recebendo aqui empresários do Brasil".

"O tema dos biocombustíveis, mesmo em seu momento crítico, jamais alterou nosso diálogo. Estamos construindo aqui um conjunto de unidades para o etanol, e o Brasil está nos ajudando, e Cuba, há vários anos".

"É um tema muito distinto da proposta de (George W.) Bush de utilizar milho e trigo (para produzir etanol). E a última loucura que ouvi de Bush são as árvores, a biomassa. Este foi um fator para disparar o preço dos alimentos".

É minha gente, é preciso muito juízo para não entrar na dança do crioulo doido, nem comprar gato por lebre, pois como bem diz o velho ditado popular, nem tudo que reluz é ouro.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 23:29 25/03/2008, de Curitiba, PR


Serra não consegue privatizar CESP
O leilão de privatização da Cesp (Companhia Energética de São Paulo), que ocorreria amanhã na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo), fracassou. Nenhum dos participantes inscritos depositou o montante de R$ 1,74 bilhão em garantias para participar da disputa --o prazo acabou às 12h.

Nem o mercado, tão defendido pelo PSDB e seus aliados, parece disposto a participar da privataria que visava criar condiçães para que Serra transformasse São Paulo em um canteiro de obras com o objetivo de disputar e ganhar a eleições presidencias de 2010.

Mas Serra não se fez de rogado e depositou a culpa no Lula, pra variar, porque este não mexeu na lei de concessões para facilitar a privatização. Se o fizesse, o governo Lula contrariaria o atual regime de concessões das usinas hidroelétricas.

Pelas regras atuais as concessões de várias usinas, incluindo as da CESP, acabam em 2015. A CESP já não pode mais renová-las e as mesmas voltarão para domínio federal que poderá ou não abrir licitação para novas concesões a partir de 2015.

Será que o Estado de Direito prevaleceu?
Enviada por Sérgio Bertoni, às 13:33 25/03/2008, de Curitiba, PR


IGnore o IG!!!
Proponho uma campanha. Ela é simples:

IGnore o IG !

Aproveite e confira aqui as razões de Mino Carta para solidarizar-se com Paulo Henrique Amorim em relação a censura que lhe foi imposta pelo IG.
Enviada por Almir Américo, às 10:45 22/03/2008, de São Paulo, SP


Semanário Brasil de Fato faz cinco anos
Por Vito Giannotti

Não adianta xingar que a mídia burguesa faz e acontece. Não adianta nada repetir que "eles" só apresentam o que lhes interessa. Só dizem o que eles querem e sempre são contra todos os interesses do povo.

Eu sempre digo por aí que "Os Quatro cavaleiros da Apocalipse da imprensa burguesa são a Folha de S.Paulo, O Estadão, a Editora da Veja e as Organizações Globo". Isto é bonitinho, faz dar risadas, mas não muda a realidade. Estes meios de comunicação estão na deles. Defendem muito bem a sua classe. A classe dos seus donos. Eles são o verdadeiro partido da burguesia.

Eles fazem a disputa de hegemonia contra as forças de esquerda e populares, diariamente, com muitíssima competência e com uma infinidade inesgotável de recursos. E daí? O que "nós" vamos fazer? Nós quem? Simples, os que não são "eles". Os que não estão do lado deles, a serviço deles ou não foram cooptados por eles.

O que nós temos que fazer? Uma coisa é certa: chorar, xingar, se benzer frente a eles, não resolve nada.

O que fazer? Fazer o que o semanário Brasil de Fato faz há cinco anos. Há longos cinco anos este semanário se contrapõe à visão que estes Quatro Cavaleiro do Apocalipse vendem e transmitem para milhões de brasileiros e brasileiras.

Os meios, as condições do Brasil de Fato são incomparavelmente inferiores ao outro lado. Mas, vale a lição. A coragem deste jornal semanal, com seu conselho de mais de cem pessoas das mais variadas tribos da esquerda é fantástica. Precisa continuar e avançar. Por isso esta campanha que o BF está fazendo para ampliar o número de seus assinantes. A Veja, diz que está com uns 800 mil. O Brasil de Fato chega aos 3 mil. Faltam ainda 797.000 para chegar ao patamar daquele cavaleiro. Vamos lá!
Enviada por NPC, às 10:18 22/03/2008, de Rio de Janeiro, RJ


Brasil rejeita proposta dos EUA de combate ao “terrorismo”
Apresentada em reunião da Organização dos Estados Americanos, proposta dos EUA tem como alvo as Farc e prevê a criação de um sistema de segurança regional contra o terrorismo. Apesar da pressão norte-americana, OEA condena a Colômbia pela invasão do território do Equador.

Por Maurício Thuswohl, Carta Maior

RIO DE JANEIRO - Após desempenhar um papel fundamental para que a tensão militar envolvendo Colômbia, Equador e Venezuela saísse do ponto de fervura em que se encontrava há alguns dias, o governo brasileiro reiterou, durante reunião extraordinária da Organização dos Estados Americanos (OEA) encerrada na madrugada desta terça-feira (18), sua posição pelo fortalecimento da soberania dos países sul-americanos. Invocando os princípios estabelecidos pela ONU, o Brasil recusou a proposta, apresentada pelos Estados Unidos, de criação de um sistema de segurança regional de combate ao terrorismo.

A proposta dos EUA foi levada à OEA pelo subsecretário de Estado, John Negroponte. Em nome do “combate ao terrorismo no continente americano”, ele apresentou as linhas gerais de um sistema de segurança regional que, entre outras coisas, prevê “ações conjuntas contra os terroristas”, o que pressupõe uma certa flexibilidade em relação ao deslocamento de tropas através das fronteiras. A proposta tem como alvo as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que, ao menos por enquanto, são consideradas pelos EUA como a principal “organização terrorista” do continente.

Na visita que fez ao Brasil na semana passada, a superior hierárquica de Negroponte, a secretária de Estado Condoleeza Rice, já havia tentado, sem sucesso, convencer o governo brasileiro a encampar a proposta do sistema regional de combate ao terrorismo: “As fronteiras não podem ser usadas como esconderijo para terroristas que depois vão matar civis inocentes”, disse Condoleeza, durante sua conversa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

De seus interlocutores, no entanto, Condoleeza ouviu que a soberania das nações e a inviolabilidade das fronteiras são preceitos fundamentais. Ouviu também que, apesar de não contarem com o apoio do governo brasileiro, as Farc não são consideradas uma organização terrorista pelo Brasil. A resposta não agradou ao governo dos EUA, como deixou claro Thomas Shannon, que é assistente do presidente George W. Bush para o continente sul-americano: “Os países da região devem ser mais solidários no enfrentamento a organizações como as Farc”, disse.

A proposta norte-americana de criação de um sistema regional de combate ao terrorismo será apresentada oficialmente, e em todos os seus detalhes, somente na próxima reunião da Assembléia Geral da OEA, prevista para junho em Cartagena (Colômbia). O ensaio ocorrido na reunião extraordinária da organização realizada em Washington esta semana, no entanto, já mostrou que a idéia terá difícil aceitação pelos países sul-americanos, com a óbvia exceção da própria Colômbia.

A diplomacia brasileira não hesitou em assumir em Washington a liderança da resistência à proposta dos EUA: “Uma coisa é dizer que todos devemos cooperar para combater o terrorismo, e não só o terrorismo, mas todas as ações ilícitas. Mas, não se pode fazer do combate ao terrorismo uma guerra santa a tal ponto que justifique liquidar com todos os princípios do direito internacional. A inviolabilidade do território é um princípio básico das Nações Unidas, reiterado em várias declarações dos direitos e deveres dos Estados”, disse, durante a reunião, o ministro Celso Amorim, segundo o jornal O Globo.

OEA condena Colômbia

Os EUA e a Colômbia amargaram outra derrota política na reunião especial da OEA. Os ministros e embaixadores presentes aprovaram uma resolução final que condena o governo colombiano pela invasão das fronteiras do Equador na operação que resultou na morte de 17 guerrilheiros das Farc, entre eles Raúl Reyes, considerado o diplomata da guerrilha e braço-direito do comandante Manuel Marulanda.

Apesar de reiterar o compromisso de seus países membros com a segurança do continente, a resolução condena a incursão de forças militares colombianas em território equatoriano e qualifica o gesto da Colômbia como “uma clara violação dos artigos 19 e 21 da Carta da OEA”. O governo dos EUA aprovou o documento em seu conjunto, mas fez um destaque rejeitando o artigo que condena o governo colombiano: “A Colômbia agiu em legítima defesa”, alegou John Negroponte.

A resolução da OEA foi baseada no relatório da comissão especial enviada para fazer uma inspeção em toda a área de fronteira entre a Colômbia e o Equador. O relatório entregue na semana passada pelo próprio secretário-geral da OEA, o mexicano José Miguel Insulza, que coordenou a comissão, afirma não ter encontrado vestígio de que as Farc utilizem o território equatoriano em suas ações.

Leia mais no portal Carta Maior
ou em
Mais de 200 mil marcham contra Uribe na Colômbia
Enviada por Sérgio Bertoni, às 09:59 22/03/2008, de Curitiba, PR


Trabalhadores Petroleiros e na Construção Civil se unem contra precarização
Representantes da Federação Única dos Petroleiros (FUP) e da Confederação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores nas Indústrias da Construção e da Madeira (Conticom/CUT) selaram no início da tarde desta quinta-feira (20) uma aliança estratégica para combater a precarização e exigir o cumprimento de direitos pela Petrobrás. Realizado na sede nacional da Central Única dos Trabalhadores, o encontro reuniu 22 dirigentes de quatro estados (BA, ES, PR, SP).

De acordo com o líder petroleiro Antonio Carlos Spis, da executiva nacional da CUT, ao somarem forças na ação, FUP e Conticom além de potencializarem seu poder de pressão e mobilização, vão praticar na sua plenitude a concepção que o sindicalismo cutista tem desde sua fundação: "unidade na luta em benefício do conjunto da classe trabalhadora". "A estrutura sindical, compartimentada por categorias profissionais não pode representar uma trava ou limitação para brigarmos contra as inúmeras injustiças que persistem no mercado de trabalho e, particularmente, dentro da Petrobrás, onde há diferenciação absurda entre os petroleiros próprios e os terceirizados, entre quem é funcionário da empresa e quem presta trabalho eventual. É contra esses abusos e para garantir condições dignas de saúde, segurança e meio ambiente para todos que esta unidade foi firmada", declarou Spis.

Para o presidente da Conticom/CUT, Waldemar Pires de Oliveira, "esta unidade vai dar mais força para combatermos as injustiças e mazelas que vitimam nossa categoria, abrindo espaço para que consigamos ter mais ganhos salariais e melhores condições de vida e trabalho". "São dezenas de milhares de operários que, por serem mão-de-obra temporária, são terceirizados nas obras da Petrobrás, trabalham em empresas que ganham licitações e depois abandonam o local sem pagar salários e direitos. A partir de agora, com esta parceria com a FUP, vamos ter melhores condições de agir contra essas picaretagens", acrescentou.

Fonte: www.cut.org.br
Enviada por Sérgio Bertoni, às 09:47 22/03/2008, de Curitiba, PR


Brasil: 2 milhões de metalúrgicos
Estudo do Dieese e CNM-CUT mostra que em janeiro de 2008 2,01 milhões de trabalhadores estavam empregados no setor metalúrgico.

Veja aqui a íntegra do estudo.

Desta forma a categoria metalúrgica volta a patamares vistos pela última vez há quase duas décadas, no distante ano de 1991.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 09:35 22/03/2008, de Curitiba, PR


IG rompe contrato com Paulo Henrique Amorim
Aconteceu... queimaram o Paulo Henrique Amorim no IG

Na tarde desta terça-feira PHA recebeu um fax da direção do portal e provedor de internet IG comunicando que encerrariam antecipadamente o contrato com ele. O contrato venceria somente no final do ano!

O motivo alegado foi de que a audiência não era boa!

Que absurdo!

O cara é um dos mais lidos e comentados na internet!!!

Mas, ainda bem que a internet permite a reação dos anônimos, e o PHA já se reacomodou sítio próprio

www.paulohenriqueamorim.com.br

Vamos aguardar para saber do que se trata essa história, mas tá na cara que deve ser retaliação, pois ele está apresentando reportagens no Domingo Especial em que a Record chama a mídia impressa para o pau!

Expulsar o PHA do portal IG é uma puta sacanagem!

Veja em www.cut.org.br o que a Central Única dos Trabalhadores Publicou sobre o assunto.

Enfim!!! Viva a Liberdade de Expressão!
Enviada por Almir Américo, às 04:20 19/03/2008, de São Paulo, SP


FIAT compra a fábrica de motores Tritec
A Fiat Automóveis, através de sua subsdiária FPT - Fiat Powertrain Technologies comprou nesta quarta-feira a fábrica de motores Tritec, sediada em Campo Largo na região metropolitana de Curitiba.

A Tritec era resultado de uma associação entre a BMW e a Chrysler destinada a produzir motores para carros europeus e norte-americanos, tais como o Mini da BMW e o PT Cruiser da Chrsyler. Quando a Daimler incorporou a Chrsyler, a Tritec ficou largada a sua própria sorte, produzindo somente o que já estava contratado anteriormente. Depois da sepração entre Daimler e Chrysler, esta última colocou a Tritec no prego.

Chineses da Lifan e russos da AvtoVAz disseram ter bala na agulha para comprar a Tritec, mas apenas blefavam. Fiat e GM entraram na disputa pra valer.

Hoje, 12.03.08, a Chrysler LLC confirmou em Nova Iorque a venda para a FPT da unidade produtora de motores, assim como das licenças que permitirão a Fiat continuar produzindo os motores Tritec.

Desde o dia 15 de junho de 2007 a fábrica estava fechada, com a permanência de aproximadamente 80 funcionários que faziam a manutenção. Outros 300 foram demitidos nos últimos anos.

As atividades serão retomadas pela Fiat que espera alcançar a partir de 2010 a totalidade da capacidade produtiva instalada de 400 mil motores por ano, disponível desde 1999, mas nunca alcançada desde que o primeiro motor foi produzido na Tritec em setembro de 1999. A previsão é que os motores comecem a ser fabricados no primeiro semestre de 2009.

"Nesta nova fase, as pessoas que saíram e quiserem voltar serão recontratadas prioritariamente", garantiu Franco Ciranni, diretor da FPT.

Serão investidos cerca de R$ 250 milhões na fábrica, que terá 500 empregos diretos e 1,5 mil indiretos. O faturamento previsto é de R$ 1,2 bilhões, com geração de R$ 150 milhões em impostos. Alegando segredo comercial, nem Fiat nem Chrysler divulgaram os valores do negócio e muito menos a forma de pagamento.

Esta será a quarta fábrica de motores e transmissões da Fiat na América do Sul - há uma em Betim (MG), outra em Sete Lagoas (MG) e uma terceira em Córdoba, na Argentina.

"Queremos nos transformar na primeira fábrica de motores da América do Sul até 2010, com a produção de 1,3 milhões de unidades", afirmou Ciranni. Segundo ele, a fábrica paranaense terá os motores destinados ao mercado interno e externo. "Vai atender a Fiat, mas também outros clientes", salientou.

A FPT dará continuidade aos motores para BMW, que já eram produzidos na Tritec, e introduzirá novas famílias nas versões gasolina e flex, além de produzir so tradicionais motores 1.4 e 1.6 L que equipam os veículos Fiat no Brasil.

Ciranni falou ainda da paranização dos fornecedores para que o sistema just-in-time funcione. Falou muito também dos investimentos em treinamento e implantação dos processos Fiat de produção.

Empregos serão recuperados em Campo Largo, mas os Trabalhadores não devem se iludir nem esperar milagres. A empresa vem para impor um sistema de produção ajustado para ter a maior produtividade e lucratividade com o menor custo possível.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 23:11 12/03/2008, de Curitiba, PR


Bunge-Fosfertil: 15 Anos de Privatização do Setor de Fertilizantes
A agricultura brasileira só se viabilizou graças à União assumir a responsabilidade de investir na indústria de fertilizantes nitrogenados e fosfatados. Na década de 50, diante da falta de interesse da iniciativa privada, o governo, através da Petrobrás, criou a Petrofertil, que passou a controlar as cinco empresas de fertilizantes: ULTRAFERTIL, GOIASFERTIL, NITROFERTIL, FOSFERTIL E ICC.

PRIVATIZAÇÃO

De baixo de inúmeras suspeitas de irregularidades como sub-avaliações, uso de moeda podre tráfico de influência, em 1992 e 1993 o setor de fertilizantes, com exceção da NITROFERTIL, é entregue à iniciativa privada por meio de financiamento do BNDES, com carência de 05 anos para pagamento.

Hoje, a BUNGE, CARGIL E YARA não só no Brasil, mas em todo o mundo, formam o maior Oligopólio do setor de fertilizantes. No Brasil, em especial, a Bunge, como acionista majoritária da FOSFERTIL, domina toda a produção e distribuição dos fertilizantes. Como a demanda de fertilizantes no Brasil é maior do que a produção, o país ainda precisa importar cerca de 60% de insumos, sendo que todo o produto importado passa necessariamente pela venda e distribuição sob o controle destas empresas.

EFEITOS DA PRIVATIZAÇÃO NA SOCIEDADE

- Controle dos preços via formação de cartel de produção e distribuição de fertilizantes;
- Ausência de concorrentes, obrigando os agricultores a submeterem-se a uma única fonte de venda;
- Inviabilização dos pequenos agricultores e pequenas cooperativas através da imposição de cotas para compra de fertilizantes na fábrica;
- Política de formação de preços dos fertilizantes atrelada ao mercado internacional;
- Desnacionalização das empresas de fertilizantes num país essencialmente agrícola.

BUNGE FOSFERTIL: A POLÍTICA DO LUCRO FÁCIL

A Bunge é conhecida por seus trabalhadores no mundo todo como uma empresa que desrespeita não só a legislação trabalhista, como também a ambiental e recentemente a dos transgênicos. Nas unidades da Fosfertil, os sucessivos recordes de lucros que enchem os olhos de seus acionistas, escondem o sofrimento como parte do custo para gerar este lucro, então vejamos:

- Sobrecarga de trabalho pela redução de 44% do total de trabalhadores;
- Precarização das condições de trabalho através da Terceirização, resultando em mortes de trabalhadores;
- Precarização na manutenção de seus equipamentos, o que gera inúmeros vazamentos, explosões e rompimentos, com sérios danos ambientais e acidentes;
- Prioridade da continuidade operacional em detrimento da legislação de segurança;
- Prática Anti-Sindical, com perseguição e discriminação de trabalhadores e diretores sindicais;
- Falta de investimento em proteção coletiva ( 25% do quadro de trabalhadores em Araucária apresentando problemas auditivos ).

A empresa registrou no primeiro ano de privatização um Lucro de R$ 18 milhões. Hoje ao divulgar seu balanço de 2007, a mesma registrou R$ 450 milhões de lucro liquido (93% acima em relação ao ano anterior ).

No Brasil, 15 anos após a privatização, o balanço que os trabalhadores da Bunge- Fosfértil fazem, deixa a pergunta: quem ganhou com as privatizações?

Fonte: Sindiquímica-PR
PUBLICADO NO INFORMA CUT-PR 421

Enviada por Marilena, às 10:45 12/03/2008, de Curitiba, PR


Capitalistas fazem farra com dinheiro público:
FED doa US$ 200 bi bancos falidos
Na manhã desta terça-feira, o Federal Reserve - Fed (banco central americano) anunciou uma ação conjunta com outros bancos centrais no mundo para conter a crise de crédito nos Estados Unidos, injetando cerca de US$ 200 bilhões em instituições financeiras com dificuldades.

Os bancos centrais que participam deste pacote de auxílio econômico junto com o Fed são o Banco do Canadá, Banco da Inglaterra, Banco Central Europeu e Banco Nacional da Suíça.

O ataque preventivo a eles não se justifica???

Com esta medida os chamados países desenvolvidos debocham dos pobres do mundo todo que sofreram e sofrem as conseqüências do neo-liberalismo e do chamado "estado mínimo".
Enviada por Sérgio Bertoni, às 15:57 11/03/2008, de Curitiba, PR


Ataque preventivo contra Wall Street!!!
No antro de maldades internacionais, as trombetas do apocalipse capitalista bradam em Wall Street a favor da estatização dos bancos em dificuldades, enquanto do outro lado do oceano defende-se maior supervisão e regulação do sistema financeiro internacional.

Não! Não Senhores e Senhoras, os países do norte não deixaram o néo-liberaismo e nem Wall Street foi tomada de assalto por perigosos comunistas, vermelhos fascínoras, como se diz por aquelas bandas da orgia financeira internacional.

É a velha baila defendida por todo capitalista que se preze. Privatizemos os Lucros rapidamente e ESTATIZEMOS os prejuízos imediatamente. Eles sempre foram assim. Capitalistas no lucro e Socialistas no prejuízo.

Depois de anos ouvindo as ladainhas de Bush sobre a necessidade de ataques preventivos contra o terrorismo e em defesa da Sociedade Livre e Aberta, perguntamos:

- Não seria o caso de atacarmos e invadirmos Wall Street, a City Londrina e a Bolsa de Frankfurt com o único objetivo de conter esses terroristas da socialização dos prejuízos?

É só para manter a coerência do discurso neocon... Tá?
Enviada por Sérgio Bertoni, às 11:06 11/03/2008, de Curitiba, PR


Brasil aplica regra da reciprocidade com espanhóis
O assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, disse que o governo mandou intensificar o controle a espanhóis que chegam ao Brasil.

Segundo Garcia, não há retaliação brasileira e, sim, reciprocidade em relação à postura adotada pelo governo espanhol com os brasileiros que chegam à Espanha.

Ele explicou que essa reciprocidade é um conceito diplomático aceito e aplicado internacionalmente sempre que necessário.

"Já exercemos isso quando os Estados Unidos impuseram controles, que a nosso juízo pareciam um pouco exagerados em relação aos brasileiros que lá chegaram. Exigimos os mesmos procedimentos de lá. O que houve agora foi isso. A Polícia Federal não fez nenhuma coisa a mais", disse.

Certamente os mesmos cidadãos xenófobos espanhóis que apoiam as medidas de suas autoridades devem estar criticando esta decisão do governo brasileiro. Afinal eles são os "desenvolvidos", com o perdão da palavra, e nós os "atrasadões", não é mesmo?

Pobre Europa. Ao menor sinal de de dificuldade econômica corre para os braços do autoritarismo fascista...
Enviada por Sérgio Bertoni, às 18:03 08/03/2008, de Curitiba, PR


Estatísticas depõem contra autoridades espanholas
Segundo estatísticas do aeroporto de Barajas, em Madri, dois em cada cinco barrados na principal porta de entrada na Espanha em 2007 eram brasileiros.

Cerca de 55% dos estrangeiros que entram no país passam por Barajas. No controle de fronteiras, ainda segundo os dados oficiais de 2007, 50 pessoas, em média, são impedidas de entrar diariamente e devolvidas ao país de origem. Desse total, 20, em média, são brasileiros.

Os números, às vezes, superam e muito a média estatística. No dia 3 de agosto de 2007, por exemplo, de 97 imigrantes impedidos de entrar, 66 eram brasileiros.

57.861. Este é o número de espanhóis registrados no Sistema Nacional de Cadastramento e Registro de Estrangeiros (SINCRE). Cada um deles é autorizado a morar no Brasil, tirar carteira de trabalho e viver plenamente como um "cidadão brasileiro".

Cadastrados no SINCRE ganham uma espécie de visto que vale por 10 anos, podendo ser renovado indefinadamente.

Se formos contar o número de espanhóis que só nos úlitmos quatro anos foram até o Ministério do Trabalho e tiraram uma carteira de trabalho chegamos a 2.651.

Vem mais espanhóis ao Brasil que Brasileiros à Espanha

Os dados sobre o número de turistas espanhóis que passaram pelo Brasil em 2007 ainda não estão fechados. Se considerarmos 2006, foram 211.741.

Já brasileiros que foram para a Espanha em 2007 - segundo estimativas do Itamaraty - são 150 mil.

De janeiro de 2007 até agora, pelo menos 3.750 brasileiros foram deportados quando tentavam ingressar na Espanha.

Ainda bem que agora as autoridades brasileiras começaram a falar sobre "reciprocidade diplomática".

Nada como os números para lançar luz à realidade. Já vi aí alguns bajuladores colonizados darem palpites na TV, dizendo que compreendem os espanhóis porque tem muito brasileiro buscando trabalho lá. Os números mostram o contrário.

Como podemos notar a realidade é outra. E vai piorar, pois eles estão entrando em recessão e nós estamos em crescimento. Na política de imigração, o socialista Zapatero mostrou-se pior que o fascista Asnar!!!

O que mais me desagrada nessa história é lembrar que FHC entregou a Telesp para a Telefônica, o Banespa para o Santander, geradoras de energia para a Iberdrola, etc. Ou seja, entregou patrimônio público, a preço de banana ao capital espanhol. Eles, agora, estão pagando com discriminação, ao mesmo tempo que exploram os brasileiros para remeter lucros grandiosos e sustentar a economia decadente da Espanha.

Está na hora de passar um pente fino da Receita, do Banco Central e do Ministério do Trabalho nesses espanhóis que exploram nossos Trabalhadores aqui.

Será que o governo deles vai reclamar de discriminação???

Será... será que este rigor todo dos serviços de imigração espanhóis é por que a Polícia Federal do Brasil vem desbaratando quadrilhas espanholas e prendendo seus chefes portadores de passaportes da União Européia que atuam no Brasil no tráfico de mulheres, verdadeiras máfias escravagista na industria da prostituição espanhola?

Anos atrás quando as mulheres eram levadas a Espanha e lá escravizadas não se ouvia falar tanto do rigor nos controles imigratórios espanhóis.

Coincidência ou não, mas assim que o Brasil endureceu sua posição em relação ao bandidos espanhóis, do outro lado do oceano começaram a pegar no pé dos brazucas que por lá aterrisam...
Enviada por Almir Américo, às 17:54 08/03/2008, de São Paulo, SP


Espanha X Brasil: Exigimos reciprocidade!
Há tempos agentes dos seviços de imigração da Europa e dos EUA veem impondo restrições a entrada de brasileiros e outros latinoamericanos em seus territórios como se os bandidos fossemos nós e não os que invadem o mundo militarmente e semeiam a discórida entre povos irmãos.

Ano após ano europeus e norte-americanos reforçam seu discurso em favor da Liberdade de ir e vir; condenam e invadem países militarmente, supostamente, em defesa da democracia; pregam o Livre Comércio. Paralelamente, dia após dia criam normas e regras que visam não só dificultar, mas impedir a entrada de estrangeiros em seus "sagrados" territórios.

No dia 05 de março agentes de imigração da Espanha barraram a entrada de 30 brasileiros no país. Passageiros do vôo 6024 da Iberia, que partiu às 20 horas de terça-feira do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio, foram isolados em uma sala do Aeroporto de Madri às 9 horas, após o desembarque.

Segundo relato de dois pós-graduandos do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) a parentes no Brasil, eles não receberam informações sobre a recusa de entrada e estavam sem comer e beber água havia dez horas.

Parte destes brasileiros estavam apenas em trânsito e se dirigiam a Lisboa, Portugal, onde participariam de um congresso científico.

Sabemos que o período eleitoral espanhol pode ter acirrado os ânimos, mas não acreditamos que este seja o real motivo para estas demonstrações de fascismo e rascismo por parte de autoridades espanholas.

Recentemente, porém muito antes do período eleitoral espanhol, o burguesíssimo piloto de Fórumla 1, Lewis Hamilton, da McLaren foi hostilizado no autódromo de Barcelona por torcedores espanhóis vestidos de macacos que imitavam os sons produzidos por estes mamíferos toda vez que Hamilton se aproximava.

Está evidente que o chamado mundo "civilizado" é preconceituoso e oportunista e, em verdade, nada tem de civilizado. Afinal foram eles que inventaram a tortura; Torquemada e a Santa Inquisição; Hitler e o nazismo; Mussolini e o Fascismo; Franco, Salazar, Ceauşescu, Tito, Stálin e tantos outros ditadores sanguinários; o feudalismo, o capitalismo e o socialismo. Foram os europeus que inventaram as armas de fogo e atômicas. Foram eles que invadiram as Américas, roubaram nossas riquezas naturais e destruíram as nossas florestas depois de já ter destruído as suas. Lembremos que a Europa sozinha, sem a ajuda ou interferência de ninguém, destruiu 90% de todas as suas florestas e matas virgens. Foram eles que assassinaram milhões de judeus, árabes, índigenas e orientais. Mataram e escravizaram africanos. Muitas são as desgraças e incivilidades criadas pela europa branca, a minoria mundial que através da propaganda ideológica e da mentira consegue impor ao mundo seu modo destruidor de viver.

Eles são oportunistas! Quando é para vir aqui cagar regras e explorar nossos recursos humanos e naturais fazem de conta nos tratar bem. Quando foi preciso exportar seu pobres e miseráveis, além de militantes políticos indesejáveis porque questionavam o status quo europeu, as autoridades européias não exitaram em mandá-los para a América Latina. Quando seus maurícinhos e patricinhas não querem mais trabalhar duro, aceitam que latinos e africanos entrem na Europa pára fazer o Trabalho sujo que eles não querem mais fazer.

Durante séculos nós aceitamos em nossos países campesinos e operários, expulsos de suas terras, fábricas e países lá da Europa. Agora eles barram jovens cientistas que estão de passagem, em transito, por Madri para ir a outros países participar em congressos científicos e voltar ao seu país de origem.

A questão aqui vai além do rascismo. É principalmente econômica, tecnológica e ideológica.

Já não dependemos da Europa financeiramente como anos atrás. Se ficarmos independentes tecnologicamente de onde eles tirarão o sustento que lhes temos garantido por mais de 500 anos?

O buraco é bem mais embaixo. Eles sabem muito bem que na sociedade do conhecimento é preciso evitar que os "estúpidos" terceiromundistas tenham acesso à tecnologia e a controlem. É preciso barrar qualquer iniciativa por mais banal que seja, pois sabem que aqueles que tem o controle do conhecimento controlam o mundo sem precisar pegar no pesado para garantir sua subsistência.

Não pregamos aqui a xenofobia ou uma espanofobia ou uma nortefobia, porque sabemos que estes sentimentos e ações fascistas não são compartilhados pela totalidade dos povos do norte do planeta.

Exigimos que o governo brasileiro dificulte a entrada, principalmente, de agentes do governo espanhol em nosso país, para que eles sintam um pouco o que é ser maltrado e discriminados por agentes de imigração só por causa de sua raça, sua cor.

Por tudo isso exigimos reciprocidade!!!
Enviada por Sergio Bertoni, às 13:57 08/03/2008, de Curitiba, PR


Equador e Colombia chegam a acordo no OEA
Depois de 14 horas de negociações, Equador e Colômbia chegaram a um acordo na Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a solução do conflito entre os dois países.

O Conselho Permanente da organização aprovou por unanimidade uma resolução acordada pelos dois países estabelecendo que a ação militar colombiana no último sábado (1º) em território equatoriano "constitui em uma violação da soberania" do Equador, sem condenar a Colômbia.

A chanceler do Equador, María Isabel Salvador, assim como o embaixador da Colômbia, Camilo Ospina, se mostraram satisfeitos com o consenso alcançado, aprovado pelos 34 países membros sob aplausos.

Neste primeiro round a reação belicista perdeu a parada e a América Latina deu ao mundo uma lição de civilidade. Superamos bem este primeiro teste neste início de século XXI. Diria até que o superamos melhor que outros continentes que por muito menos há pouco menos de cem anos se meteram em uma das mais violentas guerras da humanidade. Os latinoamericanos souberam evitar o pior.

A Paz e a Democracia venceram. Bush, Uribe, seus paramilitares, militares e mercenários saem derrotados.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 04:11 06/03/2008, de Curitiba, PR


Convite: Venezuela dá prêmio a Oscar Neimeyer
O ministro do Poder Popular para Cultura, Francisco Sesto Novás, acompanhado pelo vice-ministro Ivan Padilla Bravo, a Dra. Carmen Bohórquez, Diretora de Relações Internacionais e o Embaixador da Venezuela no Brasil, Julio Garcia Montoya, estarão no Rio de Janeiro, com a finalidade de entregar o Prêmio Cultural da ALBA ao célebre arquiteto Oscar Niemeyer.

A entrega do prêmio será na Residencia de Niemeyer no Rio de Janeiro, no próximo 07 de março de 2008, às 19 horas.
Enviada por Lunasol, às 12:45 05/03/2008, de Caracas, Venezuela


Jornada mundial contra o governo fascista da Colombia
DIA 6 DE MARÇO (quinta-feira):

JORNADA MUNDIAL CONTRA O GOVERNO FASCISTA DA COLÔMBIA

ATO PÚBLICO

Local: Sintrasef (Av. 13 de Maio, 13 – 10 andar), às 18:30 h

No dia 6 de março (quinta-feira), em quase todos os países do mundo, estarão ocorrendo manifestações contra os crimes que vêm sendo cometidos pelo governo colombiano e sua tentativa de criar uma guerra na América do Sul.

No Rio de Janeiro, o ato está sendo convocado pelo Fórum de Solidariedade à América Latina em Luta Contra o Imperialismo – RJ, recém criado, composto até agora pelas organizações mencionadas ao fim desta convocação e aberto a todas as instituições anti-imperialistas e progressistas.

O covarde assassinato do comandante Raul Reys, em território equatoriano, foi mais uma provocação do fascista Uribe contra o intercâmbio humanitário e contra qualquer possibilidade de paz na região. Num mesmo ataque, agrediu o Equador, a Venezuela e as FARC. Em verdade, agrediu toda a América Latina.

A serviço do império, o governo colombiano aumenta a tensão, possivelmente num plano para forçar uma guerra regional, em que os Estados Unidos apoiariam a Colômbia militarmente, com suas tropas e sua máquina de guerra, com o falso pretexto de combater os "narco-traficantes" ou os "narco-terroristas", cinicamente usado pelos próprios traficantes e terroristas (liderados por Uribe).

Isto não passa de um pano de fundo para escamotear os verdadeiros objetivos do império: derrubar o governo Chávez e/ou assassiná-lo - para fragilizar o processo de mudanças em toda a América Latina - e se apoderar dos ricos recursos naturais de que dispõem o Equador e a Venezuela, não por acaso os dois únicos países latino-americanos membros da OPEP.

FORA O GOVERNO FASCISTA DA COLÔMBIA.
FORA O IMPERIALISMO DA AMÉRICA LATINA.
SOLIDARIEDADE AO EQUADOR, À VENEZUELA E ÀS FARC.
PELA PAZ NA AMÉRICA LATINA
UM TRIBUTO A RAUL REYES.

Fórum de Solidariedade à América Latina em Luta Contra o Imperialismo – RJ:

Associação Nossa América do Rio de Janeiro
Casa da América Latina
Campanha - Tirem as mãos da Venezuela/RJ
CEBRAPAZ - Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz
CMP – Central de Movimentos Populares
Esquerda Marxista do PT
FAFERJ – Federação das Associações Moradores de Favelas do Estado do Rio de Janeiro
FIST – Frente Internacionalista dos Sem Teto
Juventude Rebelião
MO.RE.NA – Círculos Bolivarianos
MNLM – Movimento Nacional de Luta pela Moradia /RJ
Núcleo Paulo Freire do PT /RJ
PCB – Partido Comunista Brasileiro
PCR – Partido Comunista Revolucionário
UJC - União da Juventude Comunista

Além do ato público, haverá a exibição do filme "REFUGIADOS EN SU PROPRIO SUELLO", que retrata a crueldade do paramilitarismo e do exército do governo Uribe em Antioquia, na Colômbia.
Enviada por Lunasol, às 11:23 05/03/2008, de Caracas, Venezuela


Bolsa de Bogotá despenca!
Invasão colombiana virou tiro no pé
A crise entre Colômbia e Equador já derrubou as ações na bolsa de valores de Bogotá, assustou os investidores e diminuirá as exportações colombianas a Venezuela.

O direitista Uribe invadiu o Equador para atirar nas FARC e acertou sua própria bolsa de valores, ícone do capitalismo que ele defende.

O índice da bolsa de Bogotá caiu 2,4% na segunda e 5,6% na terça, registrando o pior desempenho entre as bolsas latinoamericanas.

Investimentos diretos podem diminuir, pois "as pessoas estão percebendo que a situação está piorando" afirmou uma corretora de Bogotá.

A injustificada ação da direita colombiana atingiu não só a Soberania Equatoriana e as FARC, mas também aliados de Uribe que o sustentam em suas loucuras de poder.

Por tudo isso não devemos apostar na guerra e sim numa solução pacífica que coloque o Uribe e seu regime sob protesto popular dentro da prórpia Colômbia. São os próprios colombianos que devem acabar com este cancro que está a enfernizar a vida dos povos sulamericanos.
Enviada por Sergio Bertoni, às 11:14 05/03/2008, de Curitiba, PR


Brasil classifica invasão como grave e condenável
O Brasil classificou como "grave e condenável" a violação do território equatoriano pela Colômbia, mas avalia que a melhor saída para a crise será a mediação da disputa pelos países sul-americanos e pela Organização dos Estados Americanos (OEA).

Do ponto de vista diplomático, a estratégia do Brasil é tentar circunscrever o tema a um aspecto bilateral entre Colômbia e Equador, colocando em segundo plano o movimento das tropas venezuelanas em direção à fronteira colombiana.

Sem negar a gravidade da situação, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, avalia que um pedido de desculpas formal por parte da Colômbia e a garantia de que uma invasão não se repetirá no futuro ajudariam "a baixar a temperatura da crise".

"O objetivo é achar uma saída pelo diálogo, pela paz", afirmou o ministro.
Enviada por Sergio Bertoni, às 23:40 04/03/2008, de Curitiba, PR


Solução para conflito na América Latina não cabe aos Estados Unidos, diz chanceler brasileiro
Por Luana Lourenço, Agência Brasil

Não cabe aos Estados Unidos (EUA) resolver o conflito entre o Equador e a Colômbia, porque a solução deve ser encontrada pelas nações da América Latina, segundo o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

“Seria sábio dos Estados Unidos perceberem que esse é um assunto que os latino americanos devem se preocupar em resolver. O que eles podem é dar os instrumentos que ajudem a resolver”, afirmou, em entrevista à TV Brasil.

Na avaliação do chanceler, “uma manifestação muito forte” dos EUA não contribuiria para resolver a crise política entre os governos da Colômbia e do Equador.

Amorim evitou comentar a interferência, no conflito, do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que determinou o envio de tropas militares para a fronteira do país com a Colômbia.

“Não é o caso se saber qual é a atitude do presidente Chávez. Ele se sentiu envolvido, mandou tropas para fronteira, mas eu acho que o assunto tem que ser tratado predominantemente como um caso entre a Colômbia e o Equador, porque aí é que houve o incidente efetivo de violação do território”, ponderou.

Apesar da tensão política e da presença de militares na região, Amorim descartou a possibilidade de conflito armado imediato entre os dois países, após conversar com o presidente equatoriano, Rafael Correa.

“Há muita firmeza na reação, muita indignação, mas eu não ouvi nenhuma ameaça armada. Há um deslocamento de tropas para uma uma área da fronteira que talvez esteja menos guarnecida, mas não estou vendo este perigo, pelo menos de imediato. Vamos trabalhar para que esse risco não se materialize”, afirmou.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 23:30 04/03/2008, de Curitiba, PR


Deputados governistas pedem mediação brasileira na crise entre Colômbia e Equador
Por Roberta Lopes, Agência Brasil

Deputados da base aliada ao governo defenderam a mediação do Brasil no conflito entre Colômbia e Equador, que começou sábado (1º), quando membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) foram mortos pelo Exército da Colômbia em uma operação militar realizada em território equatoriano.

Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), a mediação é necessária, e o Brasil deve buscar fazê-la junto com outros países. "Eu acho que deve haver um esforço coletivo e atitude do Brasil de não querer buscar uma mediação apenas brasileira, mas de fazer isso em conjunto com Argentina e Chile", afirmou Chinaglia.

O líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS), disse que o Brasil deve trabalhar por uma solução negociada entre os dois países. "Diante de algo que aconteceu, que pode ampliar os conflitos na região, o papel do Brasil deve ser de trabalhar para diminuir os focos de conflito para termos uma solução negociada."

Hoje à tarde, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, dará entrevista coletiva para falar sobre a crise entre Colômbia e Equador.

O conflito começou sábado, após operação militar na fronteira entre Colômbia e Equador. Durante a operação, o porta-voz e número 2 das Farc, Raúl Reyes, foi morto pelo Exército colombiano em território do Equador. A invasão da fronteira gerou atrito entre os países e protestos também do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que criticou o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, e determinou o enviou de tropas do Exército para a região. Chávez determinou ainda o fechamento da embaixada venezuelana em Bogotá.
Enviada por Sergio Bertoni, às 23:25 04/03/2008, de Curitiba, PR


A quem interessa a guerra na América do Sul???
A pergunta não é retórica e nem pode ser considerada absurda, depois que o governo fascista e paramilitar da Colômbia invadiu o território equatoriano sob a desculpa de combater o terrorismo, o narco-tráfico e as FARC - Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e ali matou Raul Reyes, segundo homem no comando das FARC.

A invasão do território equatoriano gerou toda uma série de fatos e contra-fatos, como dizem os espiões. Declarações de todos os tipos foram emitidas pelos chefes de estado dos países sulamericanos.

Grupos de direita e de esquerda já começam a esquentar os tambores apresentando seus argumentos "lógicos" e "verdadeiros" sobre a necessidade de se mobilizar para a Guerra em defesa de suas respectivas soberanias nacionais contra o terrorismo vermelho ou contra o imperialismo ianque, respectivamente. Cada um na sua, mas todos na mesma baila belicista e irracional.

Os direitistas sabem o que fazem ao provocar a guerra. Já a esquerda repete o erro histórico da sua congênere européia que no início do século passado fez juras de amor ao internacionalismo da classe operária, mas uma vez iniciada a guerra dividiu-se e pegou em armas para defender as respectivas "nações", matando a Trabalhadores das nações "inimigas", jogando no lixo todo o discurso da unidade de classe e da solidariedade internacional.

A esquerda parece não enteder que uma guerra em nosso continente neste momento só interessa ao fascismo neo-conservador de George W. Bush que através de seu coleguinha paramilitar Alvaro Uribe provoca nações irmãs ao conflito armado.

A guerra só é necessária aos interesses imperialistas norte-americanos que sonham, com ela, poder invadir e controlar de uma vez por todas nossa região amazônica e ainda vender a imagem de pacificadores mundiais, de tiozões salvadores de sobrinhos babacas.

A guerra interessa aos fascistas colombianos e estrangeiros de todas as matizes. Como as negociações para libertação dos reféns sob o controle das FARC estavam avançando, grupos de direita, paramilitares e mercenários da Colômbia e de outros países, começaram a perder argumentos que justificavam sua existência e os rios de dinheiro que correm nesta história toda.

Caso as negociações com as FARC avançassem e o conflito chegasse ao fim, toda uma indústria de guerra perderia clientes tanto à direita como à esquerda. Muita gente ficaria sem saber o que fazer. Parte teria que voltar a trabalhar duro, enquanto outros perderiam o emprego.

Muitos são os interesses envolvidos. Também não podemos excluir a possibilidade de que problemas internos na FARC e lutas entre suas facções possam ter ajudado à reação colombiano-estadounidense neste episódio, já que Raul Reyes era a favor da negociação pacífica e liderava as negociações para libertação de reféns.

Enfim, uma guerra na América do Sul neste momento serve apenas aos interesses imperialistas, aos militares, aos babacas, aos idiotas, aos imbecis e àqueles que se acham donos da verdade, vanguarda "iluminada", aos que não sabem conviver com a disputa democrática e àqueles que não sabem que a verdadeira revolução se faz com a organização de Trabalhadores pela base!

Quem se diz de esquerda e defende a solução armada para o impasse, ou seja, a guerra, está na verdade defendendo os interesses imediatos e históricos de George W. Bush e do imperialismo ianque.

Brasil, Argentina, Chile e Bolívia têm papel fundamental na solução pacífica do conflito de modo a coibir a invasão americana planejada por Washington e facilitada por Bogotá.

Nem o sangue de milhares de guerrilheiros das FARC nem a provocação fascista de Bush-Uribe não valem o sangue de um só Trabalhador Latinoamericano e muito menos devem ser vingados com a perda de nossa Liberdade e Soberania.
Enviada por Sergio Bertoni, às 22:33 04/03/2008, de Curitiba, PR


Lula defende aprovação no STF do uso de embriões nas pesquisas com células-tronco
Apesar de católico praticante, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a utilização de embriões nas pesquisas de células-tronco nesta terça-feira durante inauguração da nova sede da Embrapa em Campinas (SP).

"Eu sou favorável à aprovação das células-tronco, porque o mundo não pode prescindir de um conhecimento científico que pode salvar a humanidade de muitas coisas", afirmou o presidente reforçando o caráter laico e democrático do estado brasileiro.

A igreja católica é umas das instituições que apostam no passado, no medo e no terrorismo psicológico, por isso querem vincular as descobertas científicas ao pecado, avanços tecnológicos ao aborto e por aí vão em sua campanha da "fraternidade" onde buscam criminalizar civil e moralmente o uso das células-tronco.

Ainda bem que Lula sabe diferenciar muito bem seu papel de estadista daquele de católico praticante.
Enviada por Sergio Bertoni, às 21:43 04/03/2008, de Curitiba, PR


Aumentam as importações brasileiras, mas a maior parte é destinada ao setor produtivo
As importações brasileiras tiveram um aumento de 52,6% na média diária no mês de fevereiro de 2008, fazendo com que o saldo comercial brasileiro ficasse em US$ 882 milhões no mês, mesmo o país tendo registrado recorde nas exportações.

Sem dúvida o baixo preço do dólar em relação ao real é um dos principais responsáveis por este resultado. Porém, há de se notar que a maior parte das importações brasileiras de US$ 24,251 bilhões em janeiro e fevereiro de 2008 foram destinadas ao setor produtivo.

A importação de bens de capital, matérias-primas e intermediários consumiram US$ 17,862 bilhões, ou seja, 72,9% de tudo que foi importado pelo país. Bens de consumo, produtos acabados que chegam diretamente ao consumidor final, representaram apenas 12,35% da pauta de importações nacionais, consumindo US$ 2,995 bilhões. Combustíveis e lubrificantes que tanto podem chegar ao consumidor final como ao setor produtivo, representaram 14,75% ou US$ 3,574 bilhões.

Estes dados indicam que há um fortalecimento do setor produtivo nacional e que as importações de bens de cosumo não chegam a representar, de fato, uma concorrência séria para os produtos feitos no Brasil em geral.

Outros dados interessantes são os que dizem respeito aos investimentos estrangeiros diretos, ou seja, aqueles voltados a indústria. No perío doe 12 meses entre fevereiro de 2007 e janeiro de 2008, o Brasil recebeu US$ 52,6 bilhões e repatriou US$ 15,6 bi na forma de remessas de lucros e pagamento de royalties, obtendo portanto um saldo de US$ 37 bi de investimentos diretos.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 16:54 04/03/2008, de Curitiba, PR


Em 5 anos Contax criará 6,8 mil empregos no Recife
A Contax anunciou ontem o investimento de R$ 50 milhões em uma nova unidade de call center no Recife, que deve gerar 6,8 mil empregos.

Um dos atrativos para a Contax optar por fazer a expansão em Pernambuco foi a redução anunciada ontem da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 28% para 10% para ligações interestaduais feitas a partir de call centers.

O governo pernambucano quer incentivar a instalação de outras companhias de call center no estado nordestino.

Essa será a terceira unidade da Contax no Recife, cidade onde a empresa está presente desde 2001. Os investimentos na nova central de atendimento serão feitos ao longo dos próximos cinco anos. Neste ano, devem ser preenchidas 1,3 mil vagas.

As empresas atendidas inicialmente são Oi, que pertence ao mesmo controlador da Contax, Losango, HSBC e ABN Amro.

As despesas com pessoal subiram R$ 49,3 milhões no último trimestre de 2007, ou 25,3%, na comparação com o último trimestre de 2006. A alta ocorreu devido a uma expansão no quadro de funcionários, que passou de 49,1 mil para 61,3 mil. No número de postos de atendimento, o crescimento também foi de cerca de 25%.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 16:25 04/03/2008, de Curitiba, PR


>>
Próximos eventos

Clique aqui para ver mais notícias.