TIE-Brasil
17/11/2017
Cadastre-se | Esqueci a senha!
Nome: Senha:

Notícias(Agosto/2006)

(clique para ver todas)

Sindicacau promove protesto contra Cargill
O Sindicacau realizou hoje, dia 31 de agosto, em frente a Cargill Agrícola, situada no Distrito Industrial de Ilhéus, um ato de protesto contra a política anti-sindical da multinacional americana, que ingressou na justiça do trabalho com uma ação questionando a estabilidade dos dirigentes sindicais, funcionários da mesma.

Esta atitude não passa de uma tentativa de fragilizar e perseguir os sindicalistas que atuam na empresa na defesa e denunciando a empresa, como trabalhadores que se acidentam, o médico pede o afastamento do local de trabalho para o trabalhador se restabelecer, e a Cargill desconsidera o atestado e mantém o mesmo em atividade para não quebrar o Record de dias sem acidentes no trabalho sem afastamento. Também foi feito uma denuncia ao Ibama de crime ambiental praticado pela mesma que ao aplicar um produto para repelir as andorinhas causou a morte de centenas.

O ato ocorrido hoje na parte externa da fábrica foi o início de uma mobilização para uma possível paralisação.
Enviada por Sindicacau, às 18:20 31/08/2006, de Ilhéus, BA


AL de Santa Catarina realiza audiência pública para debater ?FÁBRICAS DE MUTILADOS"
Por Nilson Antônio

A Assembléia Legislativa de Santa Catarina realizará uma audiência pública sobre as práticas anti-sindicais e trabalhistas adotadas pela Cargill na próxima segunda-feira (4), às 18 horas, no Plenário Osni Régis. A audiência foi solicitada pelo deputado Dionei Walter da Silva (PT) à Comissão de Direitos e Garantias Fundamentais e Amparo à Família e à Mulher.

Em sua justificativa, o parlamentar deu ênfase à denúncia dos sindicalistas sobre a caótica situação a que vem sendo submetidos os trabalhadores nos frigoríficos da multinacional norte-americana, convertida numa verdadeira "fábrica de mutilados". A tragédia é mais visível e se expressa com maior intensidade na região sul, onde estão instaladas as maiores empresas de abate de frangos.

ENFERMIDADES ? Na região de Criciúma, onde existem aproximadamente 4.000 trabalhadores no ramo de frigoríficos, estão crescendo assustadoramente os casos de doenças profissionais e ocupacionais ligadas ao movimento repetitivo e às baixas temperaturas. Denúncias sobre o descaso com a saúde dos trabalhadores são feitas freqüentemente pelo Sindicato.

Para o secretário-geral do Sindicato, Célio Elias, "as denúncias, apesar de chocantes, não estão causando efeito para a empresa, até porque semanalmente acontecem denúncias de pressão psicológica tentando intimidar os trabalhadores que encontram-se em péssimas condições de saúde". Diariamente acompanhando o descaso com a saúde dos trabalhadores, o presidente do Sindicato da Alimentação, Renaldo Pereira, acredita que "a audiência pública servirá para pressionar os órgãos públicos a intervir nesses casos de mutilação e abandono para com os trabalhadores."

Em Jaraguá do Sul, a situação não é muito diferente. Para o Presidente do Sindicato, Sérgio Eccel " estas atitudes parecem ser política interna da empresa. Não é possível que as pessoas sejam tão más que abandonem os trabalhadores, mesmo sem condições de trabalho". Em Jaraguá do Sul, depois de dezembro passado ? após a greve ? as denúncias de exploração e de descaso com os trabalhadores aumentaram muito. Na região há aproximadamente 1.500 trabalhadores em frigoríficos avícolas.

SAÚDE E SEGURANÇA ? A saúde dos trabalhadores no setor avícola é muito critica. Siderlei Silva de Oliveira, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Alimentação (Contac), destacou que é hora de pôr fim a esta fábrica de lesionados e mutilados, que é a indústria avícola brasileira. A Contac denuncia o ritmo insuportável do trabalho e os movimentos repetitivos como os grandes vilões.

"Temos que dar um basta nisso e exigir a redução do ritmo de trabalho, através da diminuição da velocidade das nóreas. Precisamos que o Ministério do Trabalho baixe portaria regulando as nóreas e reduzindo a jornada de trabalho para 6 horas", declarou Siderlei. A Contac está desenvolvendo uma Campanha Nacional contra o ritmo de trabalho no setor avícola que culminará com uma paralisação Nacional, como forma de sensibilizar as autoridades brasileiras para este grave problema.

Sabendo da situação que vem sendo relatada desde a greve em Jaraguá do Sul, na qual o deputado Dionei (PT-SC) interveio em vários momentos, tornou-se prioritário buscar alternativas de resolução para esses problemas. O parlamentar lembra que uma das providências tomadas foi a entrega de dossiê para o Conselho de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. "Estamos dando mais um passo com a discussão de uma norma regulamentadora para a velocidade das nóreas, equipamento de produção responsável pela maior parte das doenças ocupacionais do setor avícola, segundo o movimento sindical", ressaltou.

A intenção de Dionei é apresentar um projeto de lei que resulte do entendimento com a categoria, regulamentando a velocidade máxima da nórea. O texto do projeto de lei será discutido durante a audiência pública na Assembléia Legislativa, no próximo dia 4.

MAIS INFORMAÇÕES ? (48) 3221-2737
Enviada por Nilson Antonio, às 09:49 31/08/2006, de Jaraguá do Sul. SC


Força Sindical repudia demissões na Volks e apóia greve
A Força Sindical divulgou nota nesta quarta-feira na qual repudia a decisão da Volkswagen de demitir 1,8 mil trabalhadores de sua fábrica em São Bernardo. A entidade também apóia a greve dos trabalhadores por tempo indeterminado.

Segundo a Força, "é inaceitável a posição adotada pela Volkswagen". "A montadora agiu com truculência ao anunciar demissão em massa três meses antes do desligamento previsto que é a partir de 21 de novembro", diz a nota.

"Não somos contrários a inovações tecnológicas, mas ao tratamento dado pela empresa aos trabalhadores, que foram responsáveis pelo desenvolvimento da marca no Brasil. A empresa mostra que não considera o problema social que provocará o corte. É preciso buscar soluções. E isto só é possível por meio de negociações", completa a entidade sindical.

Fonte: Diário do Grande ABC, SindLab e CNM-CUT
Enviada por SindLab, às 09:44 31/08/2006, de São Paulo, SP


Lula dá show em entrevista à Globo!!!
O Lula arrasou na entrevista ao Jornal da Globo!!!

Pena que tenha sido tão tarde, de madrugada. O cara deu um show e deixou William Waack e Cristiane Pelajo com caras de bobos, enquanto o barbudo se desviava das pegadinhas bobas e mal-estudadas que eles levaram bem anotadinhas.

Até o UOL-eleições, em péssimo português, foi obrigado a reconhecer o bom desempenho do presidente operário.

Confira aqui a íntegra da matéria.

Não deixe de observar também a quantidade de erros de português, cometidos pelo jornalista. Logo, eles que tanto criticam o jeitinho Lula de falar, né?
Enviada por Almir Américo, às 08:57 31/08/2006, de São Paulo, SP


Greve paralisa toda a produção da Volks no ABC, diz sindicato
A linha de montagem da Volkswagen em São Bernardo do Campo está totalmente paralisada desde terça-feira, 29 de agosto, após o início da greve dos Trabalhadores na VW, informou o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Francisco Duarte Lima, o Alemão.

Hoje foram realizadas duas assembléias, às 5h30 e às 7h30, com os trabalhadores do turno da madrugada e os do turno da manhã respectivamente, para informar sobre o andamento do movimento. Os funcionários da madrugada, que entraram ontem às 22h, já haviam aderido à greve, decidida na tarde anterior.

Alemão disse que a diretoria da Volks ainda não procurou o sindicato para negociar. Os turnos estão sendo trocados normalmente, mas os funcionários permanecem na fábrica sem trabalhar.

Trabalhadores se sentiram traídos pela VW

Muitos dos Trabalhadores demitidos tinham mais de 10 anos trabalhados na empresa. Ficaram revoltados e se sentiram traídos pela empresa.

"Nunca dei um cano na fábrica. Faltei quando estava doente e apresentei atestado. O que recebo de troco por ter dado o sangue durante 13 anos? Foi isso?", questiona Gilvaldo Luiz dos Santos, 48, um dos primeiros a exibir o comunicado e chorar diante do anúncio.

Assédio Moral, Humilhação e Desrespeito aos Trabalhadores

A metalúrgica Maria das Graças da Silva Pereira, 53, disse que não sabia como comunicaria a família sobre a demissão depois de 22 anos Trabalhados na VW. "Essa é a única empresa em que trabalhei durante toda a minha vida. Daqui sai o sustento de dois filhos e três netas [idades de 12, 8 e 4 anos] que moram comigo em Mauá."

"Como vou bater o meu cartão todos os dias, sabendo que no dia 21 de novembro serei demitida? O mais absurdo é que ouvi da chefia que não posso faltar", disse. "Sinto revolta e tristeza."

Essa é a nova política de responsabilidade social da transnacional alemã: assédio moral, terrorismo, falta de respeito (com o Trabalhador e com as leis do país), chantagem, humilhação.

Não seria estranho se o povo brasileiro respondesse a toda esta sacanagem da empresa deixando de comprar seus veículos. Com esta política a VW só consegue deixar sua imagem ainda pior junto ao povo brasileiro, o que poderá influenciar em sua participação no mercado nacional.

Mais um prova de incompetência da alta direção da transnacional alemã que precisa ser avisada que não estamos nos anos 1930-1940 e que Hitler não é presidente do Brasil. Aqui as coisas são bem diferentes.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:53 30/08/2006, de Curitiba, PR


Ex-presidente do BNDES apoia decisão do banco em relação a VW
O economista Carlos Lessa, primeiro presidente do BNDES na gestão Lula, disse ontem considerar que o governo agiu bem ao suspender a liberação de R$ 497,1 milhões à Volks.

Lessa, que rompeu com Lula ao deixar o BNDES, foi direto ao ponto: "Se a empresa não atende aos objetivos do Estado nacional, acho que o BNDES não deve dar crédito."

Discutir Política Industrial

Na avaliação de Arnaldo Mazzei Nogueira, professor da PUC-SP e da USP, os sindicatos devem aproveitar a crise para discutir uma política industrial para o setor automotivo e mais "autonomia" em relação às decisões da matriz da Volkswagen.

"Falta uma discussão mais avançada dos sindicatos. Não adianta manter a fábrica aberta para enfrentar outra crise no próximo ano. Como o país, os sindicatos e o governo vão discutir o avanço da concorrência global?"

Para ele, os trabalhadores "têm de participar das decisões da companhia. Essa discussão tem de ser feita."

Nogueira concorda com Lessa e diz que a decisão do governo era esperada. "Além da questão de recursos públicos, o governo não pode ficar quieto e permitir que metade da fábrica da Volks no ABC seja demitida."
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:30 30/08/2006, de Curitiba, PR


Em solidariedade, Trabalhadores na VW Taubaté e Paraná planejam greve
Por Hugo Cilo

Em solidariedade aos trabalhadores que serão cortados da unidade Anchieta e como forma de pressionar a montadora a rever o número de dispensados, as fábricas da Volkswagen em Taubaté e São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, podem paralisar a produção a partir de quarta-feira

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté (filiado à CUT), Valmir Marques, o Biro-Biro, a maioria dos 5 mil empregados da unidade do Interior já deliberaram apoio aos "companheiros" de São Bernardo. "Se a Volkswagen está fazendo isso com os amigos da Anchieta, poderão fazer com a gente também. Por isso, eles têm o nosso apoio. Vamos agir do modo que for preciso para contribuir", disse o sindicalista. "Não temos muita opção além de greve."

No Paraná, o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (filiado à Força Sindical) reunirá nesta quarta-feira a cúpula da entidade para definir de que maneira vai se solidarizar aos trabalhadores da planta do Grande ABC. No entanto, se Taubaté parar, os paranaenses estarão pressionados a fazer o mesmo. "Ainda não temos nada determinado porque acabamos de receber a notícia de que haverá greve no ABC. Vou conversar o presidente (Sérgio Butka) para saber quais serão as nossas ações", afirmou o primeiro secretário do sindicato, Jamil Davila. Butka não foi encontrado pelo Diário.

A possibilidade de greve nas unidades de Taubaté e São José dos Pinhais também contribui para limpar a imagem dessas fábricas junto aos trabalhadores de São Bernardo. Em especial Taubaté. Isso porque foi entre a fábrica do Interior e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC ? ambos filiados à CUT ? que houve um racha durante o início das negociações do plano de reestruturação.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC queria uma negociação unificada com todas as unidades da Volkswagen. No entanto, representantes dos trabalhadores de Taubaté saíram na frente e aceitaram a demissão de 160 pessoas, além de corte de mais 700 até 2008. Em São José dos Pinhais, 250 trabalhadores foram demitidos, mas a empresa voltou atrás.

Fonte: Diário do Grande ABC e SindLab/CNM-CUT
Enviada por SindLab, às 09:57 30/08/2006, de São Paulo, SP


Datafolha também confirma vitória de Lula no Primeiro Turno
O instituto Datafolha também noticia que se as eleições fossem hoje Lula as venceria já no primeiro turno.

Para o Datafolha Lula teria 50% do votos e seu opositor mais próximo ficaria com 27%.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 22:40 29/08/2006, de Curitiba, PR


Software Livre: formas de vida inteligente preferem Firefox
O logo do Firefox em uma plantação norte-americana
Alguma forma inteligente de vida do universo supostamente deixou uma marca de cerca de 60 metros em uma plantação de Amity, Oregon (EUA), no formato do logotipo do Firefox. Segundo o site britânico The Register, a mensagem é clara: os alienígenas preferem o navegador concorrente do Internet Explorer.

Criatividade não é o que falta para os "evangelizadores" do browser de código aberto, especialmente no Estado de Oregon ? na universidade estadual, alunos já lançaram um balão em comemoração aos 100 milhões de downloads do software, além de terem pintado calçadas com o logo do navegador.

Para ver as "formas inteligentes de vida" em ação, visite http://lug.oregonstate.edu/gallery/firefox-crop-circle (obrigado ao Bira, de Curitiba!).
Enviada por Inácio Silva, às 22:35 29/08/2006, de São Paulo, SP


O povo é sábio e já se cansou dos caluniadores de direita!!!
Lula abre vantagem de 31,8 pontos sobre Alckmin

Segundo a mais recente rodada da pesquisa CNT/Sensus, divulgada nesta terça-feira (29/8), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria eleito ainda no primeiro turno. A intenção de voto no candidato à reeleição subiu de 47,9%, em levantamento do início de agosto, para 51,4%. Na eleição de 2002, Lula tinha 34% em pesquisa do mesmo instituto, realizada de 24 a 26 de agosto daquele ano.

Os demais candidatos oscilaram dentro da margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos. Geraldo Alckmin (PSDB) permaneceu estável, e oscilou 0,1 ponto percentual para baixo - de 19,7% para 19,6%. Em julho, o tucano tinha 27,2%.

Heloísa Helena (PSOL) também oscilou para baixo, de 9,3% para 8,6% das intenções de voto. Cristovam Buarque (PDT) saiu de 0,6% para 1,6%. Os demais candidatos não alcançaram 1%. Indecisos, brancos e nulos somam 17,7% das intenções de voto.

Considerando apenas os votos válidos, Lula teria 62,3%, contra 23,8% de Alckmin. No segundo turno de 2002, quando Lula concorreu com José Serra (PSDB), o petista obteve 61,3% dos votos válidos.
Enviada por Almir Américo, às 22:10 29/08/2006, de São Paulo, SP


Solidariedade aos Trabalhadores, Repúdio ao terrorismo da Volkswagen
A transnacional alemã VW escolheu os Trabalhadores brasileiros como alvo de sua nova política de chantagens e terrorismo.

Durante décadas a direção da empresa cometeu seríssimos erros administrativos no Brasil e no mundo e agora quer jogar a culpa nas costas dos Trabalhadores.

Exatamente em um momento em que as vendas no mercado interno crescem mais de 7% ao ano e o país deve bater novo recorde nacional de produção de veículos, a transnacional alemã, por incompetência de sua alta direção e desrespeito ao povo brasileiro, perde mercado.

O Brasil inteiro sabe disso!

Em resposta a decisão do BNDES (veja matérias abaixo) de não liberar recursos públicos, dinheiro do povo brasileiro, a transnacional alemã demitiu 1800 Trabalhadores, muitos com mais de 15, 20 anos trabalhados nesta empresa.

A resposta dos Trabalhadores foi imediata. Greve por tempo indeterminado.

Apoiamos os Trabalhadores nesta luta contra o terrorismo da incompetência administrativa.

A VW joga sujo e tenta culpar os Trabalhadores e o governo Lula por erros que estes não cometeram, já que nunca participaram das decisões estratégicas da empresa.

Consideramos as decisões do governo e dos Trabalhadores as únicas democráticas e possíveis diante de tanto terrorismo, chantagem e desrespeito com pessoas honestas e Trabalhadoras.

Solicitamos a todos os companheiros do Brasil e do exterior que se unam aos Trabalhadores na VW nesta luta contra o autoritarismo e irresponsabilidade social e econômica da direção da VW.

Enviem suas mensagens de solidariedade e apoio para o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC:
Sede São Bernardo do Campo
Rua João Basso, 231 - Centro
São Bernardo do Campo - SP - CEP: 09721-100
Fone: (11) 4128-4200
Fax: (11) 4127-3244
e-mail: presidencia@smabc.org.br

E deixamos aqui uma questão a ser debatida:
Se a transnacional radicalizar ainda mais e continuar desrespeitando o povo brasileiro e suas intituições e leis, porque não nacionalizar esta empresa e entregá-la aos Trabalhadores para que eles a administrem?

Colocamos este espaço a disposição dos Trabalhadores na VW e dos sindicatos que os representam para divulgar suas lutas e os sucessos das mesmas.

Todo apoio a justissíma luta dos Trabalhadores brasileiros contra a transnacional alemã.

Até a vitória companheiros!!!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 21:10 29/08/2006, de Curitiba, PR


VW demite e Trabalhadores entram em greve!!!
Foto:
Raquel Camargo
Por Norian Segatto

Os trabalhadores da unidade da Volks em São Bernardo do Campo (SP) decidiram em assembléia nesta terça-feira (29) entrar em greve por tempo indeterminado devido ao início das demissões promovidas pela empresa, que pretende cortar 3.600 dos 12,4 mil postos de trabalho atuais. Para alcançar seu objetivo, a direção da Volks chantageou trabalhadores e o Sindicato, ameaçando fechar a fábrica caso não as demissões não fossem aceitas. Os trabalhadores da empresa têm estabilidade até 21 de novembro, mas começaram a receber as cartas de demissão.

A assembléia decidiu que os trabalhadores do turno da tarde (que inicia às 14h) entrariam na fábrica, mas não iriam trabalhar. Desde que a empresa anunciou seu plano de reestruturação, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC tenta negociar para não haver impacto nos empregos. As conversas chegaram até o governo, que, por meio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) condicionou a concessão de um empréstimo de cerca de R$ 500 milhões ao fechamento de acordo entre trabalhadores e empresa. A direção da Volks não atendeu e o banco suspendeu o empréstimo. Para o presidente do Sindicato, José Lopez Feijóo, pela primeira vez que o banco tomou a decisão correta.

O presidente da CUT nacional, Artur Henrique, lembra que na Campanha Unificada, que a Central lançou este mês, consta a proposta de se exigir nos empréstimos e investimentos públicos voltados a atividades privadas, de contrapartidas sociais. ?A mais importante das contrapartidas exige da empresa tomadora de empréstimo em bancos públicos, no mínimo, a manutenção do nível de emprego registrado quando da assinatura do contrato ou, ainda melhor, a geração de vagas?, explica Artur.

Plano caracu ? Segundo estimativas do Sindicato, cerca de 1.800 trabalhadores já receberam aviso de demissão; a empresa oferece para esses trabalhadores um bônus de 0,4 salário para cada ano trabalhado na Volks, valor que o Sindicato e os trabalhadores não aceitam.

Para os que permanecerem, a empresa impões uma série de condições, entre elas:

- Mudanças no banco de horas (não pagar nada aos que fizessem até 200 horas extras em um ano e só pagar hora cheia para quem trabalhar mais de 400 horas acima da jornada);

- Quem cometer erro na produção terá de trabalhar até oito horas por semana, sem remuneração;

- O desconto do plano de saúde passa de 1% para 3% do salário;

- Os novos contratados terão uma redução média de 35% dos salários.

A greve dos trabalhadores da Volks tem toda a solidariedade da CUT. Em um momento em que o país vive a retomada do crescimento econômico, mesmo que de maneira ainda tímida, e da geração de empregos, não é admissível que uma importante empresa como a Volks apresente um plano de demissão dessa envergadura e não demonstre a mínima sensibilidade social. Se forem cortados esses 3.600 empregos diretos, a repercussão será de pelo dez vezes na cadeia produtiva, ou seja, cerca de 35 mil trabalhadores correm risco de perder emprego.

Fonte: www.cut.org.br
Enviada por Sérgio Bertoni, às 20:40 29/08/2006, de Curitiba, PR


BNDES suspende recursos para Volkswagen
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou nesta segunda-feira que não vai liberar um financiamento aprovado de R$ 497 milhões à Volkswagen até que a montadora finalize a negociação com empregados sobre um plano de reestruturação.

Na semana passada, a Volkswagen do Brasil disse que poderia fechar a unidade de Anchieta, em São Bernardo do Campo, sua mais antiga fábrica no país, caso as negociações com funcionários no processo de reestruturação não evoluam.

Defendemos que as empresas que recorrem a financiamentos públicos, sejam elas nacionais ou transnacionais, devem assumir compromissos Sociais e Trabalhistas.

O dinheiro do BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - pertence ao povo brasileiro e deve servir para melhorar a vida dos brasileiros. Não pode, em momento algum ,financiar o fechamento de fábrica, o desemprego e o terrorismo de algumas empresas.

Empresas que vivem fazendo propaganda de sua responsabilidade social deveriam antes de mais nada mostrar esta responsabilidade mantendo o emprego de milhares de Trabalhadores.

Parabenizamos o BNDES pela decisão e esperamos que ela seja extendida a outras empresas que querem usar o dinheiro público para gerar mais miséria e fome em nosso país.

Para não esquecer jamais

E ainda tem gente neste país que acha que PT e PSDB são iguais. Se fosse no governo anterior o BNDES liberaria mais dinheiro para a VW poder acabar com os empregos metalúrgicos.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 23:00 28/08/2006, de Curitiba, PR


ADM Cocoa volta ao tempo da pedra
Sindicacau repudia truculência do chefe de manutenção da ADM

A direção do Sindicacau repudia o ato grosseiro do chefe de manutenção da ADM, Luciano de tal, que irresponsavelmente no dia 24 de julho de 2006, por ocasião das discussões do acordo coletivo 2006/2007 da Joanes ADM, arrematou o telefone das mãos do diretor executivo secretário de saúde do Sindicacau, Jorge Reis Brito, no momento em que ele falava com o Secretário Geral do Sindicato, Josenaldo de Menezes Oliveira, deixando constrangido tanto o Sr. Jorge Reis como o diretor que presenciou a cena, o 2º tesoureiro Gilvan. Josenaldo ficou pasmo sem saber o que estava ocorrendo. A intenção do chefe poderia ter desencadeado reações de grande monta se não fosse os companheiros envolvidos no ato, calmos e responsáveis como os são, pois para toda ação há uma reação.

O Sindicacau solicita o repudio de todos os trabalhadores e trabalhadoras e sociedade em geral do ato anti-sindical e anti-democrático do referido chefe. Neste momento o Sindicacau analisa com o seu departamento jurídico a possibilidade de ingressar na justiça por abuso de poder e assédio moral.

O Sindicato informa que fará a denuncia em todas as organizações internacionais do trabalho, assim como a CUT (Central Única dos Trabalhadores), CONTAC (Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Industrias da Alimentação, Agroindústria, Cooperativas de Cereais e Assalariados Rurais) e Fetiaba (Federação da Alimentação do Estado da Bahia).

Enviada por Sindicacau, às 22:46 28/08/2006, de Ilhéus, Ba


Sindicacau deuncia Cargill Cacau
REPÚDIO

O SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO DE ILHÉUS, ITABUNA E URUÇUCA (SINDICACAU) vem a publico repudiar a política de confronto estabelecido pela Cargill Cacau, com o sindicacau e os trabalhadores desta empresa. A unidade de transformação de cacau sediada em Ilhéus-Ba, no dia 10/08/2006, ajuizou processo na justiça do trabalho contra o sindicato e mais 08 dirigentes sindicais todos trabalhadores na empresa, questionando a estabilidade provisória de cada diretor.

O sindicacau considera uma atitude anti-sindical da Cargill. A Constituição diz que os trabalhadores são livres para se organizarem.

Fato é que a empresa ressentida com o sindicato e os trabalhadores por defenderem direitos legítimos, como: aumento real, PLR digna, ritmo de trabalho, adoecimento em decorrência do trabalho, LER/DORT acidentes no trabalho, agressão ao meio ambiente, sistema de segurança eletrônica individual e coletiva que é papel do sindicato. Além disso, vem reproduzindo as denúncias de maus tratos dos companheiros da Seara Cargill no Sul e no Centro Oeste do País.

Na opinião da direção do Sindicacau, a intenção da empresa é fragilizar a representação legitima dos trabalhadores para assim, implantar as políticas que lhe convém sem levar em conta as reais necessidades daqueles que sempre produziram e pouco possui. Esta é a Cargill. O gigante onipresente.

A direção do Sindicato
Enviada por Sindicacau, às 22:39 28/08/2006, de Ilhéus, Ba


Marinho defende suspensão de repasses do BNDES à Volks
Da Agência Brasil

O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, disse nesta quinta-feira que o governo deveria suspender financiamentos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para a Volkswagen por causa da intenção da empresa de fechar a unidade Anchieta, em São Bernardo.

"Não cabe (destinar) recursos do BNDES para uma empresa que está dizendo que vai fechar uma unidade, mas isso nós vamos discutir. Não é posição de governo. É uma opinião do ministro do Trabalho e Emprego", disse.

Para Marinho, dinheiro do BNDES não pode ser usado para o fechamento de fábrica. "Dinheiro do BNDES é para estimular investimentos, novos empregos, avanço tecnológico, estimular crescimento", afirmou.

O ministro ainda revelou que, por orientação do presidente Lula, pretende conversar sobre a situação da Volkswagen com representantes da montadora. Para ele, o anúncio do fechamento da fábrica pode ser apenas "um mecanismo de negociação" da empresa com os funcionários.

"A reestruturação de uma empresa às vezes é necessária. Precisa ser encarada com maturidade entre as partes, particularmente entre os sindicatos e a direção da empresa. Mas essa faca no pescoço eu penso que não está muito legal", comentou.
Enviada por SindLab, às 11:03 28/08/2006, de São Paulo, SP


Trabalhadores na VW-Audi se recusam a fazer horas-extras
A VW segue com seu plano terrorista e anti-sindical

Na mesma semana que anunciou o possível fechamento da fábrica em São Bernardo do Campo, começou a pressionar o Trabalhadores na unidade de São José dos Pinhais, PR, conhecida como VW-Audi, para fazer horas-extras no único sábado livre que eles teriam neste mês.

O pátio da empresa está lotado e segundo os sindicalistas há mais de 7 mil veículos estocados. Mesmo assim a empresa queria fazer horas-extras no sábado passado, alegando que 70% dos Trabalhadores assim o desejavam.

Como o Sindicato e a Comissão de Fábrica tinham informação diferente propuseram a empresa realizar votacão secreta entre os Trabalhadores do terceiro turno para decidir se viriam u não trabalhar no sábado a noite. A empresa topou e foi realizada a votação secreta com uma cédula onde o trabalhador precisava somente responder "sim" ou "não" à pergunta: "Você está de acordo em fazer hora-extra".

385 Trabalhadores responderam que "não", 308 disseram que "sim" e cerca de 200 se abstiveram ou anularam seus votos. Assim por decisão democrática de ampla maioria os Trabalhadores na VW -Audi não fizeram horas-extras no último sábado.

O resultado da votação demonstrou que a Comisão de Fábrica e o Sindicato trabalhavam com dados mais reais que aqueles usados pela empresa em seu jogo de pressão e divisionismo contra os Trabalhadores.

Se a Reforma Sindical já tivesse sido aprovada, certamente, estas ações da VW no Brasil já poderia ter sido enquadradas como atos anti-sindicais, mas...
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:42 28/08/2006, de Curitiba, PR


Sindicato dos Metalúrgicos de Betim se solidariza com metalúrgicos da Volks
Por quantos anos seguidos a Volkswagen liderou a produção de automóveis no país, batendo sucessivos recordes à custa do sacrifício e empenho dos milhares de metalúrgicos que lhe prestam serviço?

Quantos milhões de reais foram obtidos pela Volks, através de incentivos fiscais oferecidos pelo Estado e, principalmente, junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT) para financiar investimentos da montadora?

Questionamentos como estes, dentre outros, devem estar passando neste momento pela cabeça não apenas dos cerca de 3.600 funcionários da unidade da Volks, em São Bernardo do Campo (SP), frente à possibilidade iminente de serem demitidos; mas, também, daqueles que porventura permaneçam na fábrica, sob a ameaça de verem reduzidos seus direitos trabalhistas. São dúvidas que também preocupam o restante dos metalúrgicos do país, além daqueles que torcem pelo crescimento da economia nacional com a manutenção dos atuais empregos e a geração de novos postos de trabalho.

O ultimato dado aos metalúrgicos pela Volks - que ameaça fechar a fábrica de São Bernardo, diga-se de passagem, a primeira e maior das cinco unidades que mantém no Brasil - vem a reboque dos bons ventos que sopram para os lados da indústria automobilística, que, segundo os últimos números divulgados pela Anfavea, comemora o melhor julho desde 1997, com vendas que ultrapassaram 1 milhão de unidades.

As demissões em massa que podem ser levadas a cabo pela montadora alemã, seguida da ameaça de fechamento da fábrica em São Bernardo, mostram que a Volks intenciona jogar nas costas de seus funcionários os erros estratégicos cometidos pela própria montadora, que se afirma obsoleta e com estrutura inviável para acompanhar a velocidade tecnológica da indústria automobilística atual. Equívocos que, aliás, já vinham sendo absorvidos, via remuneração, pelos funcionários da montadora alemã, tão díspares são as remunerações pagas aos metalúrgicos horistas (diretos) nas unidades de São Bernardo do Campo, de R$ 1999.83, e São José dos Pinhais, R$ 953,84, conforme mostrou o estudo "Do Holerite às compras", elaborado pelo Dieese, em 2003.

Além disso, a proposta da Volks, de não pagar nada aos que fizerem até 200 horas extras no período de um ano, contraria o surrado discurso dos patrões de que o banco de horas serve para preservar empregos.

Diante desta situação, o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas, em nome dos cerca de 26 mil trabalhadores que representa, se solidariza com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e os funcionários da Volks, justamente porque o sentimento de apreensão vivido hoje em São Bernardo do Campo também já foi sentido pelos metalúrgicos mineiros de nossa base a partir de 1997, quando a empresa carro-chefe da categoria, a Fiat Automóveis, através de um processo de redução de custos e terceirização, fez com que os então 24,5 mil postos de trabalho fossem reduzidos aos atuais 11 mil empregos na fábrica.

Ao mesmo tempo, parabenizamos os metalúrgicos paulistas pela honrosa decisão tomada na assembléia realizada nesta terça-feira (22), de não aceitar qualquer proposta que envolva demissões e a redução de direitos.

Neste momento de extrema gravidade, o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas entende que a causa dos trabalhadores da Volkswagen é emblemática e exige uma ação unificada de todo o movimento sindical, como de resto do conjunto da sociedade civil diante, sobretudo, das questões que cercam o caso.

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Betim
Enviada por SindLab, às 17:03 24/08/2006, de São Paulo, SP


Denúncia: Nestlé demite Trabalhadores com estabilidade no emprego
Companheiros,

No ultimo dia 16 de agosto fomos surpreendidos com as demissões de cinco Trabalhadores da DPA - NESTLÈ na unidade da Itabuna na Bahia, o pior é que quatro entre os cinco estava com recentes licenças medicas sendo que um deles estava afastado a três anos com suspeita de ser ocupacional, e dois deles com mais de vinte anos de vinculo empregaticio na mesma.

Solicitamo-lhes que encaminhem email às organizações internacionais e nacionais pedindo que enviem à direção da Nestlé- Dpa esta moção de repudio e solidariedade com os trabalhadores demitidos.

juancarlos.pestana@br.nestle.com
Presidente DPA

ivan.zurita@br.nestle.com
Presidente Nestlé

joao.dornelas@br.nestle.com
Diretor de RH

pedro.martins@br.nestle.com
gerente de RH

Sindicato dos trabalhadores nas indústrias de alimentação e afins do estado da Bahia
Sede: Rua do Imperador, 342 - Mares, Salvador/Ba
Tel: 71 - 3313-3956 Email: sindba1@uol.com.br
Sub-sede: Av. Cinquentenário, 821, 1º andar, sala 103 - Centro, Itabuna/Ba.
Tel: 73 - 3215-4113. email: sindba2@oi.com.br
Enviada por SINDALIMENTAÇÃO -BA (SUB-SEDE ITABUNA), às 09:26 23/08/2006, de Itabuna, BA


Justiça apreende revista que denunciou exploração de trabalho infantil em MG
A edição 09 da Revista do Observatório Social ? ligado à CUT -, que circula desde fevereiro, foi apreendida no dia 19 de agosto, por determinação da Justiça Comum da Comarca de Ouro Preto (MG). A revista denuncia a exploração de mão-de-obra infantil na cadeia produtiva do minério de talco utilizado por três multinacionais (Basf, ICI Paints e Faber Castell). A FENAJ e o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo estão dando suporte à assessoria jurídica da CUT.

Com texto do jornalista Marques Casara e fotos do repórter fotográfico Sérgio Vignes, a matéria sustenta que ?nas minas de talco da cidade histórica de Ouro Preto, cinco anos é a idade em que as crianças começam a carregar pedras e respirar a poeira letal?, prática criminosa que fere o Estatuto da Criança e do Adolescente e diversas normas internacionais ratificadas pelo Brasil. Mostra, também, uma série de outras irregularidades cometidas por mineradoras clandestinas a serviço de empresas multinacionais.

A determinação da juíza Lúcia de Fátima Magalhães Albuquerque Silva, determinando a apreensão da revista e a retirada das fotografias do site do Observatório Social, acatou ação civil pública do Ministério Público do Estado de Minas Gerais contra o jornalista "que publicou matéria forjada expondo indevidamente menores da localidade de Mata dos Palmitos, sub-distrito de Ouro Preto, como explorados nas minas de talco?.

O presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, protestou: "além do absurdo de determinar a apreensão da revista, a decisão da juíza mineira faz um questionamento inaceitável sobre a seriedade da publicação do Observatório Social e a integridade ética de dois respeitados e conceituados jornalistas: Marques Casara e Sérgio Vignes".
Enviada por Hugo Chimenes, às 09:19 23/08/2006, de São Borja, RS


"VW tenta corrigir erros do passado", diz ministro do Trabalho
O ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, recebeu com estranheza a possibilidade de a Volkswagen do Brasil fechar a unidade Anchieta, em São Bernardo do Campo, no Grande ABC. O ultimato foi dado pela montadora na última segunda-feira, caso os metalúrgicos não aceitem o plano de reestruturação da fábrica, que prevê corte de 3,6 mil funcionários até 2008. Segundo o ministro, a situação atual da Volkswagen "não combina" com o desempenho do setor no país, que tem batido recordes de produção e vendas.

Marinho reiterou que o governo está disposto a intermediar as negociações entre a montadora e o Sindicato dos Metalúrgicos, "caso qualquer uma das partes ache necessário". Mas, segundo ele, o momento atual da Volks no país é decorrente de "uma série de erros estratégicos cometidos no passado", que implicaram perda de participação de mercado para outras fábricas.

Veja abaixo artigo sobre o mesmo tema publicado em 22 de agosto de 2006.
Enviada por SindLab, CNM-CUT, às 09:04 23/08/2006, de São Paulo, SP


Trabalhadores da Volks se revoltam com as ameaças
Por William Glauber

O anúncio ameaçador da Volkswagen do Brasil de encerrar as atividades da fábrica Anchieta, em São Bernardo, desencadeou o sentimento de indignação entre os trabalhadores da unidade. Empregados da multinacional alemã classificam a possibilidade de fechamento da planta do Grande ABC como "pressão psicológica", "terrorismo" e "chantagem". Tomados pela insegurança, os metalúrgicos confessam também sentir medo das conseqüências do plano de reestruturação da companhia no país.

Antes do início da assembléia de ontem à tarde, todas as rodas de operários cochichavam um único assunto: a eliminação de 6,1 mil postos de trabalho e o possível fim do complexo símbolo da indústria automobilística nacional. "Quer fechar que feche, vamos pagar para ver", bradou um empregado da estamparia. "Eu trabalho feito um ?escravo? para dar conta da produção. A empresa só fala em recorde atrás de recorde. Como querem fechar?", questiona ele.

Os trabalhadores da Volks contaminaram-se também pela sensação de revolta. "Eles ameaçam fechar a fábrica e, com isso, usam do terrorismo para ver se a peãozada aceita o que a empresa quer. Tudo isso é uma jogada da firma", reclamou outra empregado da estamparia da Anchieta. Os trabalhadores sentiram-se traídos pela empresa devido ao fato de a montadora não aguardar o anúncio do sindicato aos trabalhadores ontem e antecipar a informação na segunda-feira à imprensa. "Fiquei sabendo pela TV", queixa-se um operário.

Um armador de veículos diz que o fantasma de apreensão paira sobre os trabalhadores da fábrica Anchieta há muito tempo. "O clima está o mais horrível possível. Nessa situação, não tem nem como a gente trabalhar sossegado", lamenta. O mesmo trabalhador considera a empresa uma "inimiga" estrategista. "A Volks usa a mesma tática de um jogo de xadrez ao mexer as peças. A empresa joga sujo com os empregados", acusa.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM-CUT e Diário do Grande ABC

Veja abaixo artigo sobre o mesmo tema publicado em 22 de agosto de 2006.
Enviada por SindLab, CNM-CUT, às 09:01 23/08/2006, de São Paulo, SP


Oposição na VW defende romper negociações
Por William Glauber

Embora o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (filiado à CUT) conte com o aval dos trabalhadores da Volkswagen para negociar até sexta-feira alternativa para o impasse sobre o futuro da unidade, integrantes da oposição à atual direção da entidade manifestaram-se contrários ao diálogo com a montadora. "Autorização para negociar o quê?", questionaram os trabalhadores por meio de uma cartolina escrita a mão.

O cartaz que chamou atenção em meio à multidão também reivindicava a suspensão das demissões, com a preservação de todos os empregos da fábrica, e a redução da jornada de trabalho sem redução de salário. "Esperamos a rejeição a qualquer proposta de corte de pessoal", considerou o trabalhador da Ala 2 Éder de Souza, o Edão.

O integrante da oposição criticou também a forma como o Sindicato conduziu a negociação ao longo de três meses, desde o anúncio do plano de reestruturação da Volks no dia 3 de maio. "Faltou plenária com os trabalhadores para debater ações. Qualquer processo de luta tem de ser discutido em plenária. Do anúncio até hoje, nada foi conversado. Demorou muito tempo", lamentou.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM-CUT e Diário do Grande ABC
Enviada por SindLab, CNM-CUT, às 08:59 23/08/2006, de São Paulo, SP


Governo Lula obtém a maior aprovação já registrada no país
Desde 1990 o Datafolha registra os índices de popularidade dos residentes democraticamente eleitos.

O governo Lula obteve o maior índice de aprovação já registrado por algum governo, de acordo com a pesquisa divulgada em 22 de agosto.

A gestão Lula é aprovada por 52% dos brasileiros. O número indica o total de entrevistados que qualificam o governo federal como "ótimo" ou "bom".

Além de ser a maior taxa de aprovação já obtida pelo governo do petista, o número é a maior aprovação já registrada desde que este tipo de avaliação começou a ser realizada.

Lula também ganhou dois pontinhos na pesquisa de intenção de voto e já conta com 49% da preferência dos eleitores, o que lhe garante vitória folgada em primeiro turno. Já o candidato da direita, Alckmin subiu um ponto e Heloísa Helena perdeu 1% das intenções de voto. A diferença entre Lula e o segundo colocado aumentou para 24% segundo o Datafolha.

Somadas, as inteções de votos em todos os candidatos de "oposição" não chegam a 38%. Já se somados os votos dos indecisos (7%) aos nulos e brancos (6%), 13% do total, superam as intenções de voto na candidata que está em terceiro lugar com 11%.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 22:16 22/08/2006, de Curitiba, PR


VW chantageia Trabalhadores
Volks confirma possibilidade de fechamento de fábrica no ABC

Há mais de 20 anos a VW vem perdendo mercado no Brasil. O mesmo se passa na Europa onde a marca do "Carro Popular" decidiu deixar o seguimento popular e se tornar uma marca de luxo. No Brasil a VW mantém em linha de produção veículos ultrapassados e pouco atrativos, achando que venderiam de qualquer jeito por que eram um VW. Enquanto isso outras marcas renovaram sua oferta de modelos e trouxeram ao país veículos melhores e mais modernos.

Sucessivos erros nas decisões estratégicas nos últimos 20 anos marcaram a atuação da direção da VW brasileira e alemã. Hoje, a empresa que já foi estatal, é controlada pela família Porsche que quer o máximo lucro ao menor custo possível. Por isso os gerentinhos de plantão querem jogar a culpa nas costas dos Trabalhadores.

A VW confirmou a possibilidade de fechar a fábrica localizada em São Bernardo do Campo se não chegar a um acordo com sindicatos para implementar seu plano de reestruturação até 2008.

Inaugurada na segunda metade da década de 50, durante o governo Juscelino Kubitschek, a fábrica do ABC produz modelos como Kombi, Polo, Fox e Gol e conta com 12.400 funcionários. Foi nessa fábrica que a Volks produziu seu primeiro veículo no Brasil, uma Kombi, que tinha 50% de suas peças produzidas no país.

A unidade localizada na rodovia Anchieta é a maior das cinco fábricas da montadora alemã no país. A unidade, entretanto, é considerada pela direção da empresa a 'mais problemática', ou seja, a menos competitiva.

Em nota a imprensa a empresa chantageia os Trabalhadores dizendo que os "alertou que, sem acordo, a fábrica Anchieta não terá condições de concorrer a novos investimentos, o que inviabilizaria o futuro das suas operações em curto prazo".

A Volks havia "informado" anteriormente que planejava demitir entre 4.000 e 6.000 funcionários até 2008 nas unidades do ABC, Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR). Em São Bernardo falava em demitir 3.672 pessoas, mas informou hoje que poderão ser cortados até 6.100 funcionários sem o acordo somente nessa unidade.

A montadora alemã afirma que em setembro sua matriz na Alemanha vai decidir sobre locais onde serão realizados novos investimentos, o que aumenta a importância do acordo.

A chantagem é evidente, mostrando que a direção da VW além de tentar transferir aos Trabalhadores a culpa pela má administração da empresa, usa o momento eleitoral para pressionar o governo e os sindicatos.

É evidente que a VW também já escolheu o seu candidato a presidência e que o mesmo não é nem Lula, nem Heloísa Helena, mesmo esta prometendo dinheiro do BNDES para a transancional poder exportar...
Enviada por Sérgio Bertoni, às 08:43 22/08/2006, de Curitiba, PR


Latifundiários já tem candidato
Um estudo detalhado das pesquisas de intenções de voto mostra que os latifundiários, monocultores e decendentes dos donos de capitanias hereditárias já escolheram o seu candidato a presidente.

Dois seis estados em que o latifundio é o "pilar" da economia o tucano Alckmin lidera em quatro a disputa pela Presidência da República.

Lula garante sua popularidade junto aos camponeses e famílias de pequenos agricultores. Os primeiros beneficiados pelo aumento do salário mínimo e redução dos preços da cesta básica. Os segundos beneficiados pelo Pronaf - Programa Nacional da Agricultura Familiar.

Alckmin privilegia a agricultura empresarial exportadora, enquanto Lula ressalta o apoio ao pequeno agricultor e combate a monocultura, praticada pelos grandes latifundiários.

É verdade que ambos estão preocupados com a segurança alimentar. A diferença é que Alckmin está preocupado com a segurança alimentar dos países ricos e desenvolvidos e Lula está preocupado com a segurança alimentar dos brasileiros e de cidadãos de outros países em desenvolvimento.

Só os inconseqüentes são capazes de achar que as propostas do candidato dos Trabalhadores brasileiros, Lula, é igual às do candidato dos gerentes paulistas, Alckmin.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 11:56 21/08/2006, de Curitiba, PR


Governo edita MP sobre acidentes e doenças profissionais
O Presidente Lula, enviou no dia 11/08/2006 uma Medida Provisória, a MP316, que estabelece a previa relação entre acidentes e doenças provocadas pelo trabalho e a atividade da empresa (Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário).

Isso significa que, agora, acidentes e incapacidades no trabalho terão sua conexão previamente estabelecida com o ramo de atividade da empresa. A MP 316 altera a fórmula atual, em que cabia ao trabalhador provar que adoeceu ou se acidentou no trabalho.

Com a adoção desse método, é a empresa quem deverá provar que as doenças e os acidentes não foram causados pela atividade desenvolvida pelo trabalhador no ambiente de trabalho, para não ficar caracterizado o acidente de trabalho ou a doença ocupacional.
Enviada por Sérgio Vidal, às 07:30 21/08/2006, de Camaçari, BA


A elite é racista e preconceituosa
O preconceito e o racismo são parte integrante e inseparável da "cultura" e da "civilidade" da elite branca brasileira. Ou melhor, parte integrante da falta de cultura, civilidade e respeito da elite quando o assunto é o povão.

Os parasitas (patrões e seu cupinchas) que vivem às custas da exploração do Trabalho do povão (formado basicamente por negros, nordestinos, migrantes e imigrantes brancos pobres) acham que só a elite branca é quem tem direitos e sabedoria. Em época de eleições eles até admitem o apoio da classe média, mas sempre fazem de conta que pobres, brancos ou negros, migrantes ou locais, não existem.

A questão do preconceito virou o tema preferido dos petistas para atacar o ex-prefeito José Serra, candidato do PSDB ao governo de São Paulo. Serra disse durante entrevista ao "SP TV", da Globo, que o problema da educação em São Paulo estava ligado à migração.

O presidente Lula atacou este preconceito elitista afimando o mesmo é uma doença e o povo vai dar a resposta à discriminação nas urnas.

"Há candidato em São Paulo que vai para a TV vomitar preconceito contra o povo nordestino que tanto ajudou a construir São Paulo", afirmou Lula.

A preconceito no Brasil não é só racial, mas essencialmente econômico, com um forte ranço medieval onde a nobreza (elite branca) não suporta nem o cheiro dos plebeus, o povão sofrido e Trabalhador que constrói a riqueza do país.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 14:59 20/08/2006, de Curitiba, PR


Lá vem o Brasil subindo a ladeira
Pesquisa Ibope divulgada no "Jornal Nacional", da Rede Globo, desta sexta-feira (18/8) mostra o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 47% das intenções de voto, ou 26 pontos percentuais à frente de Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 21%.

Heloísa Helena, candidata do PSOL a presidente, tem 12%, mesmo índice da pesquisa anterior do Ibope. Cristovam Buarque (PDT) aparece com 1%, mesmo índice de Luciano Bivar (PSL) e Eymael (PSDC). Rui Pimenta, do PCO, não alcançou 1% dos votos.

Preparem-se, pois com o Brasil subindo a ladeira e aumentando as chances de subir a rampa do Planalto outra vez, a coligação tucano-pfl-udenista sob as bençãos da Opus Dei vai para a baixaria total.

Eles não aprenderam nada. Certamente, culparão os pobres e os Trabalhadores por não votar neles. Se esquecem que tiveram muitos e muitos séculos para fazer algo pelo país e só o afundaram.

O engraçado é que muitos pobres, migrantes e Trabalhadores, o chamado povão, que hoje votam em Lula em 1994 e 1998 votaram em FHC. Naquela época a burguesia e sua imprensa vendida dizia que o povo era racional. Hoje é ignorante porque prefere aquele o ex-metalúrgico brasileiro ao gerentinho paulista.

Que preconceito de classe, hein?

Infelizmente, nem todos da esquerda querem ver ou entender isso. Ao contrário, alguns se deixam filmar sorridentes aos beijos e abraços com Tasso Jereissatti, Arthur Virgílio e outros tucanos.
Enviada por Sergio Bertoni, às 09:35 19/08/2006, de Curitiba, PR


O Esquecimento da Política
O SESC da Esquina realiza, entre os dias 22 de agosto e 5 de setembro, o ciclo de conferências ?O Esquecimento da Política?. Com o objetivo de resgatar ou despertar o senso crítico da população sobre a política, o ciclo traz para Curitiba uma série de pensadores de renome nacional para sete palestras sobre o assunto.

O evento acontece simultaneamente em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília. Os participantes recebem certificado de curso de extensão pelas Faculdades Integradas Curitiba, parceira no evento.

Para abertura das palestras Francisco de Oliveira, professor da USP, apresenta o tema ?A colonização da política?, destaque também para Marcelo Coelho, membro do conselho editorial da folha de São Paulo, com a palestra ?Jornalistas e Marqueteiros? no dia 31 de agosto.

Paralelo ao ciclo de conferências, o SESC da Esquina realiza, de 22 à 31 de agosto, a mostra de cinema francês organizada da revista Cahiers du Cinéma e com o apoio da Embaixada da França no Brasil, com 5 filmes da mesma temática do ciclo.

Sob a curadoria de Adauto Novaes, jornalista e cientista político, o ciclo ?O Esquecimento da Política? busca abrir um espaço de discussão e unir a formação acadêmica às reflexões cotidianas, criando assim um caminho de conhecimento que alie reflexão e cidadania.

Programação:
22 de agosto - A Colonização da Política - Francisco de Oliveira
23 de agosto ? Moralidade como Política - Franklin Leopoldo e Silva
24 de agosto ? Por Que República - Marcelo Jasmin
29 de agosto ? O Esquecimento desde a Tradição - Renato Lessa
30 de agosto - Esquecimento e Memória - Luiz Felipe de Alencastro
31 de agosto ? A Política dos Acontecimentos - Marcelo Coelho
5 de setembro ? Esquecimento da Política ou Desejos de Outras Políticas? - Francis Wolff

Sempre às 19 horas.

Serviço: ?O Esquecimento da Política?, SESC da Esquina (Rua Visconde do Rio Branco 969, 3322 6500). De 22 de agosto à 5 de setembro, sempre às 19 horas. Ingressos por palestra a R$ 5,00 para comerciários e dependentes e R$ 10,00 para usuários, o pacote completo custa R$ 25,00 para comerciários e dependentes, e R$ 50,00 para usuários.

O Centro Che está organizando um pacote de inscrições para o evento promovido pela SESC da Esquina ?O Esquecimento da Política?. Com esse pacote, os inscritos ganharão desconto no valor da inscrição!

Informações:
3024-0614 (à tarde)
centroche@terra.com.br
Enviada por Alessandra de Oliveira, às 17:07 18/08/2006, de Curitiba, PR


Reservas internacionais de US$ 70 bi são as maiores desde 98
Mais dados concretos para desmentir a "competência" tucana-pefelista"

Infelizmente não conseguimos encontrar dados sobre reservas internacionais em 2002 no sítio do Banco Central. Parece que a gestão anterior tinha medo da transparência.

Segundo o Banco Central do Brasil as reservas internacionais do país em 2 de janeiro de 2003, primeiro dia útil do governo Lula, eram US$ 37,652 bilhões.

Em 17 de agosto de 2006 elas alcançaram a cifra de US$ 70,188 bilhões, atingindo o nível mais alto desde o primeiro semestre de 1998.

De um dia para o outro as reservas subiram cerca de 189 milhões de dólares, ou seja de US$ 69,999 bilhões registrados na quarta para US$ 70,188 bilhões, em 17 de agosto de 2006.

Essa variação ocorreu apesar do pagamento de US$ 253,5 milhões feito pelo governo a investidores que participaram da troca de bônus em mercado pelo Global 2037, concluída no dia 3 e com liquidação financeira no dia 16 deste mês.

No primeiro semestre de 1998, quando o regime cambial ainda não era flutuante, as reservas chegaram a ultrapassar US$ 74 bilhões.

É interessante notar que mesmo pagando as dívidas, a gestão Lula, uma das que mais pagou dívidas, conseguiu diminuir seus valores totais e ainda aumentar as reservas internacionais do país. Além disso temos inflação baixa e real valorizado, mesmo durante o período eleitoral.

Durante o governo dos tucanos-pefelistas que se acham "mais competentes" e "mais preparados para governar" as dívidas do país (interna e externa) só fizeram aumentar e as reservas internacionais caíram barbaramente. Na mesma época eleitoral, em 2002, a inflação havia disparado, o real estava extremamente desvalorizado e o govenro FHC mostrava nã ter o menor controle sobre o que se passava na economia do país.

Então, resta-nos perguntar: se os caras não pagavam a dívida porque as reservas cambiais diminuíram?

Diante deste quadro, fica evidente quem realmente é mais competente e mais preparado para governar este país. Sem dúvida é o operário brasileiro Lula e não o gerentinho paulista.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 16:26 18/08/2006, de Curitiba, PR


Lula aumentou a oferta de emprego e investiu no combate à pobreza
Graças às ações do governo Lula, a economia baiana passou a ter mais apoio, as oportunidades de emprego e o acesso à educação cresceram e o combate à pobreza se tornou uma realidade. Prova disso é que a Bahia é o Estado com maior número de beneficiados pelo Bolsa Família -1,4 milhão de famílias baianas são contempladas pelo maior programa de transferência de renda do mundo.

Os investimentos diretos do governo Lula na Bahia somaram, de 2003 a 2005, R$ 8,2 bilhões em obras de infra-estrutura e em programas sociais. Já o crédito do BNDES para as empresas do Estado aumentarem a sua produção e gerarem empregos chegou a R$ 6 bilhões entre janeiro de 2003 e julho de 2006.

Com isso, foram criados 161.629 novos postos de trabalho. Um número duas vezes maior do que o registrado no governo anterior, fazendo a taxa de desemprego cair de 14,8% em 2002 para 13,6% em junho de 2006.

Veja alguns exemplos do que Lula já fez e ainda vai fazer pela Bahia:

Comércio e Indústria ? As vendas no comércio cresceram 163,3% no Governo Lula, 4,3% acima da média nacional. Já a produção industrial aumentou 18,7% de maio de 2003 a maio de 2006 ? uma média de 4,7% ao ano.

Agronegócio ? Durante o governo Lula, o financiamento para o agronegócio chegou a R$ 4 bilhões.

Exportações ? De 2002 a 2005, as exportações estaduais cresceram 150%, passando de R$ 2,4 bilhões para R$ 6 bilhões.

Crédito Consignado ? Somente em 2006, foram R$ 314 milhões emprestados a trabalhadores e aposentados para desconto em folha de pagamentos.

Transportes ? Com investimento total de R$ 170,7 milhões, o Governo Lula recuperou 1.125,6 1 km de estradas federais na Bahia e mais 1.324 km pelo programa emergencial. Outros 2.376 km estão em obras. Mais R$ 313,4 milhões estão garantindo a continuidade das obras da Ferrovia do Recôncavo Baiano, que chegaram a Alagoinhas, Cachoeira e São Félix. Já o metrô de Salvador recebeu recursos de R$ 363,9 milhões desde 2003.

Portos ? Investimentos de R$ 45,8milhões reformaram, modernizaram e ampliaram os portos de Salvador, Aratu e Ilhéus.

Energia ? Os investimentos de R$ 3,8 bilhões proporcionaram a duplicação da Termelétrica de Camaçari e a construção de 1.156 km de linhas de transmissão desde a Hidrelétrica de Xingó. Já a Mina de Urânio de Caetité recebeu R$ 95,5 milhões para ampliar a sua produção.

Petróleo e Biodiesel ? A Petrobras investiu R$ 259,8 milhões na modernização da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados e R$ 15 milhões na modernização da refinaria Landulpho Alves, de Mataripe.Já se encontram em construção no Estado duas unidades de produção de biodiesel.

Saneamento ? Os recursos para abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos na Bahia já somam R$ 586 milhões. Entre as obras, destaca-se a conclusão da terceira etapa da Adutora do Feijão, que garantiu mais oferta de água para 53 mil pessoas. Também está pronta a Barragem do Poço do Magro que atende 80 mil habitantes de Guanambi.

Habitação ? Graças a um investimento de R$ 1,3 bilhão, 113 mil famílias baianas realizaram o sonho da casa própria. Já o Programa de Urbanização de Favelas beneficiou 9.606 famílias do bairro de Alagados, em Salvador, e dos municípios de Santo Amaro, Simões Filho, Lauro de Freitas, Camaçari, Candeias, Feira de Santana, Ilhéus, Itabuna e Jequié.

Agricultura Familiar ? O Pronaf passou de R$ 125,6 milhões na safra 2002/03 para R$ 387,9 milhões em 2005/06. A linha de crédito específica para os pescadores distribuiu 12,6 milhões.

Inclusão Bancária ? 342 mil baianos abriram sua primeira conta bancária no Governo Lula. O Banco do Brasil também instalou 73 novas agências no Estado.

Luz Para Todos ? A energia elétrica chegou a 101.801 residências no campo e outras 108.084 vão ser beneficiadas até o final do ano.

Saúde ? O Brasil Sorridente já conta com 1.096 equipes e 21 centros de especialização odontológica em ação. Já o programa Saúde da Família mobiliza 23.743 agentes comunitários e 2.128 equipes. E o Samu tem 64 unidades móveis de emergência atuando na Bahia.

Farmácia Popular ? 19 unidades públicas e 47 conveniadas vendem medicamentos a preço de custo em 5 municípios.

ProUni ? Graças a esse programa do governo Lula, 17.362 jovens carentes ingressaram numa universidade privada.

Brasil Alfabetizado - 465.942 jovens e adultos aprenderam a ler e escrever. Também foram alfabetizados 4.253 pescadores.

Ensino Superior ? Foram abertas 920 vagas no ensino superior público graças à criação da Universidade do Recôncavo Baiano e de dois novos campi da Universidade Federal da Bahia em Vitória da Conquista e Barreiras.

Ensino técnico ? Criação de três novas escolas técnicas em Simões Filho, Santo Amaro e Camaçari, com 2.020 novas vagas para o ensino profissional.

Livros Didáticos - Pela primeira vez, 661.280 alunos do ensino médio receberam 873.585 livros de Português e Matemática.

b>Regularização de Terras ? Já foram concedidos 84 mil títulos de propriedade e outros 102 processos de regularização fundiária encontram-se em andamento em 15 municípios e 74 assentamentos.

Juventude ? Os programas de inclusão social para jovens, como Projovem, Agente Jovem e Consórcio Social da Juventude, deram qualificação e oportunidades para 23 mil rapazes e moças da Bahia.

Segurança pública ? Os investimentos para construção e reforma de presídios somam R$ 15,1 milhões, incluindo a construção da Penitenciária de Lauro de Freitas. A compra de viaturas e de equipamentos para a polícia estadual recebeu outros R$ 21,5 milhões.

Pontos de Cultura ? 44 pontos de cultura garantem o acesso de jovens ao teatro, cinema e dança.

Patrimônio Histórico ? Já foi concluída a restauração de sete conjuntos de prédios históricos em Salvador, Lençóis e Cachoeira. Até o final do ano, outro conjunto será entregue à população em Cachoeira.
Enviada por Sergio Vidal, às 11:00 18/08/2006, de Camaçari, BA


Reajustes salariais têm melhor 1º semestre desde 1996
Segundo o Departamento Intersindical de Estatíticas e Estudos Sócio-Econômicos os reajustes salariais têm melhor 1º semestre desde 1996.

Das 271 negociações pesquisadas, 82% obtiveram reajuste superior ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), e 14% tiveram reajustes iguais à inflação.

O comércio foi o setor que mais obteve reajustes salariais superiores à inflação ?91%. Na indústria, esse percentual foi de 84%, e no setor de serviços, de 77%.

Em relação ao primeiro semestre de 2005, houve um crescimento superior a dez pontos percentuais na proporção de reajustes que ao menos conseguiram repor a inflação.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 14:12 17/08/2006, de Curitiba, PR


América Latina apóia Lula
Partidos políticos de distintas opções ideológicas e governos da maioria dos países da América Latina gostariam de ver Lula reeleito presidente do Brasil.

Dois são os motivos:
Ideologia: grande parte dos governos latinoamericanos se encontram no mesmo campo esquerdista que Lula
Interesse: manter os projetos de alcance regional que contam com o apoio ou iniciativa do atual governo brasileiro.

Somente o PAN, de Felipe Calderón que recentemente ganhou de forma fraudulenta as eleições presidenciais mexicanas, prefere Alckmin e os pefelistas. Mas isso pode mudar, pois a recontagem dos votos indica que o candidato de esquerda López Obrador venceu as eleições mexicanas. Confirmada a vitória da esquerda mexicana, Lula se tornaria unanimidade na América Latina, coisa que nenhum presidente brasileiro conseguiu até hoje.

Na Argentina os partidários e aliados de Kirchner discutem com o PT a realização de um ato pró-Lula em Buenos Aires. No Chile os socialistas ligados a Bachelet preferem Lula. Evo Morales e Hugo Chavez já declararam abertamente seu apoio. Os partidos da aliança que governa o Uruguai também formalizaram apoio a Lula. E não podemos esquecer do tradicional apoio do governo cubano.

Já Alckmin, o candidato apoiado pela direita nacional com as bençãos da Opus Dei, conta com o apoio dos democratas-cristãos chilenos e outras forças conservadoras e reacionárias pelo mundo afora tais como o PAN mexicano, a candidata conservadora no Peru, o partido Branco do Uruguai, a golpista Copei venezuelana, o português Durão Barroso e espanhol José Maria Aznar, todos derrotados recentemente em seus respectivos países.

O posicionamento das forças de esquerda e de direita no espectro ibero-americano, deixa claro que Lula e Alckmin representam dois projetos diferentes de desenvolvimento econômico e social. É como diz o ditado "Me digas com quem andas que te direis que és.

Aqueles que apoiam Lula defendem um desenvolvimento econômico e social autônomo de seus países e da América Latina. Os que apóiam Lula são serviçais dos interesses do capital estrangeiro e dos governos dos países desenvolvidos e defensores do néo-liberalismo que só tem aumentado a miséria e o colonialismo de nossos aíses.

Mas, do fundo de nosso coração, desejamos a Alckmin o mesmo sucesso de seus parceiros internacionais.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:21 17/08/2006, de Curitiba, PR


Venezuela: Bancos nunca lucraram tanto!
É como diz o ditado "Quem vê cara não vê coração"

A esquerda latinoamericana anda apaixonada por Hugo Chavez por causa de toda a retórica nacionalista e antiimperialista do presidente venezuelano. Mas os bancos nunca ganharam tanto dinheiro naquele país como agora. Caracas se transforma em um pólo de atração de banqueiros suiços e de outros países.

Em 2002, quando a economia estava em recessão, o governo Chavez emitiu títulos da dívida interna pagando juros de 2 dígitos. o que colocou os bancos locais entre os mair lucrativos da América Latina.

Durante 2005 os ativos dos bancos cresceram de US$ 29,3 bilhões para US$ 39,8 bilhões. Já a carteria de empréstimos ao consumidor cresceu cerca de 200% nos últimos 2 anos.

Alguns bancos venezuelanos ainda estão se beneficiando de operações de arbitragem cambial, garantidas pelo governo Chavez, envolvendo bônus soberanos argentinos denominados em dólares.

Apesar de gritar aos 4 ventos que é preciso mudar as estruturas do capitalismo, a Venezuela de Chavez vem ganhando muito dinheiro jogando as regras do capitalismo, principalmente no setor financeiro e energético.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 09:47 17/08/2006, de Curitiba, PR


Para incomodar os incomodados com Lula de novo!!!
Aqui estamos para incomodar os incomodados com um segundo mandato do Lula.

Também em homenagem à minha Vovó Luisa, que nem sabe que esse informativo existe, mas que é minha grande incentivadora na manutenção do mesmo.

Raimundo Colombo quer a redução da Carga Tributária

o ex. prefeito de Lages, do PFLê e futuro ex. quase senador, esquece sempre, que como deputado federal, votou com FHC em todos os aumentos de impostos. Pinhão não cura amnésia???

Luis Henrique da Silveira LHS - a dúvida

Em 2002, LHS começou com Serra e acabou com Lula. Será que em 2006 começa com Uau-kimim e termina com Heloísa Helena???

Ninguém entende São Paulo

Você vota no PSDB, elege o PFL e é governado pelo PCC.

E prá quem acha que o LULA é igual ao FHC...

LULA rompeu com o FMI

arquivou o projeto de lei que alterava a CLT

brecou a ALCA

não deixou os EUA instalarem uma base de foguetes por aqui

e parou as privatizações...

só por essas, já valeram meus votos!!!

Pergunta para pensar:

Ninguém exportava lá pelos anos 94 e 95, quando o dólar era equiparado ao real???

Taxas de juros: (ninguém falava disso antes, mas agora???). Repare e compare, algumas taxas:

Governo Lula:

Julho/2006 - 14,65% (a menor taxa dos últimos 30 anos)

Maio/2005 - 19.75%

Dez/2004 - 17,74%

Julho/2004 - 15,75%

Governo FHC:

Dez/2002 - 24,90 (entregou essa bomba)

Set/1999 - 19, 73%

Maio/1999 - 31,77%

Março/1999 - 44,99% (Isso mesmo! E nem capa da Folha foi!!!)

Quer saber mais??? Clique em:

Banco Central e comprove a incompetência Tucana/PFLê

Bolsa Família

O maior Programa de Transferência de Renda das Américas. Quer saber de sua cidade dos dados do Bolsa Família de sua cidade??? Clique aqui

Trabalho Escravo:

Você sabia que o Ministério do Trabalho divulga o cadastro dos chamados "senhores do Engenho" do Séc. XXI. Com uma portaria editada pelo governo Lula, os responsáveis, por usar as pessoas como trabalhadores escravos, não terão acesso a recursos financeiros de instituições estatais, perderão os direitos a benefícios fiscais, além de outros subsídios. Confira

Menos imposto mais cultura

Comprove

Quilombos

Governo do PT quer reconhecer Terras dos remanescentes dos Quilombos. O PFL não

Lula sanciona nova Lei da Agricultura Familiar

Entre aqui e veja
Enviada por Zeca Chaves, às 12:57 16/08/2006, de Blog do Chaves, Internet


Veja é condenada por mentir!!!
A revista Veja foi condenada pela Justiça Federal por mentir e distorcer fatos sobre Itaipu Binacional

Em 08 de março de 2006 a revista publicou matéria de capa sob o título "Mensalão II" onde acusava a direção de Itaipu de perdoar uma multa milionária da empresa Voith Siemens, em troca de favores.

A Justiça Federal reconheceu que Veja publicou conteúdo alterado de gravação de conversa telefônica de forma a transformar uma mera especulação em verdade absoluta.

O juiz federal observou que a acusação de Veja era totalmente improcedente tendo em vista que a Itaipu sequer tem contrato direto com a Voith Siemens e, portanto, não poderia perdoar dívida nenhuma.

Para repor a verdade dos fatos a Justiça determinou à Veja publicar integralmente o texto retificador apresentado por Itaipu no mesmo lugar e em caracteres tipográficos idênticos ao da notícia que gerou o processo judicial. Se não cumprir a decisão judicial a Veja deverá pagar multa diária de 5 salários mínimos, que poderá ser dobrada por dia de atraso.

O Juiz Hélio Egydio M. Nogueira ensina à revista Veja e aos demais orgãos de imprensa burguesa que "a verdade objetiva - adequação entre o comunicado na notícia e a realidade - deve ser a meta perseguida pelos meios de comunicação, não sendo possível admitir uma interpretação complacente do requisito veracidade".

Espera-se que a Justiça haja com o mesmo rigor em todos os casos semelhantes, onde determinadas pessoas ou grupos buscam nos vender como verdade interpretações sem a menor ligação com a realidade factual, num denuncismo desvairado e preconceituoso que só faz a população perder a crença nos valores democráticos.
Enviada por Sergio Bertoni, às 12:12 16/08/2006, de Curitiba, PR


Trabalhadores fazem greve contra privatização
Os Metroviários de São Paulo pararam completamente as operações do Metrô em 15 de agosto de 2006

A greve dos metroviários durou 24 horas e deixou claro o quanto este meio de transporte é estratégico para a cidade de São Paulo.

"Três milhões de pessoas ficaram sem transporte" "190 km de congestionamento" gritavam as manchetes de jornais, revistas e telejornais fugindo do debate principal: a privatização do Metrô.

Os Trabalhadores do Metrô protestaram contra privatização da Linha 4 que ainda está em construção e entrará em funcionamento em 2009.

Há mais de três anos o Sindicato vem denunciando amplamente a pretensão do governo do Estado e da Cia. de privatizar o Metrô, realizando manifestações públicas, distribuição de cartas abertas e Jornal do Usuário, além de ações jurídicas e políticas. Clique aqui para ver o roteiro das ações do sindicato contra a privatização do Metrô paulistano.

A campanha ?Diga Não à Privatização do Metrô? foi estampada em bussdoor e ocupa uma página da Internet. Mesmo assim, estes esforços não superaram o generoso espaço concedido pela grande imprensa à Cia e governo estadual, para convencer a população de que a concessão da Linha 4 ? Amarela era um excelente projeto.

Apesar da resistência e empenho dos metroviários frente a todas estas dificuldades, aliadas à velocidade com que o Metrô e governo passaram a encaminhar a entrega de nosso patrimônio, não restou outra forma de alertar a sociedade, protestar contra a privatização e pressionar os defensores deste nefasto projeto.

A greve realizada pelos metroviários nesta terça-feira, 15/08, superou a expectativa da categoria de fazer com que os cidadãos reflitam sobre a ameaça que esta privatização representa, além de reafirmar a sua disposição de resistir e garantir os seus direitos e os da população. Se o Metrô é considerado essencial (o que é, por conta das boas condições de trabalho garantidas pela categoria), ele deve ser tratado como tal, e este princípio não faz parte do projeto de privatização.

Com materiais de www.cut.org.br
Enviada por Sérgio Bertoni, às 11:50 16/08/2006, de Curitiba, PR


Chega de PSDB-PFL e PCC!!!
O tucanato é realmente cara de pau e sem escrúpulos. Só não vê quem não quer ou é mal intencionado.

Serra e Alckmin andaram dizendo que o sequestro de um jornalista da Rede Globo foi "terrorismo eleitoral" e que "o crime organizado luta contra o PSDB". Já o coronel ACM insinuou na tribuna do Senado que o sequestro do jornalista era uma resposta do PCC à pressão que a Globo fez sobre Lula durante a entrevista na quinta-feira, 10 de agosto.

Estes "nobres" senhores, como na época feudal, tentam passar a idéia de que o PCC e o PT são a mesma coisa. Certamente para a "nobreza" brazuca e tacanha Trabalhadores e bandidos são tralhas que só atrapalham os planos da elite branca vendida e corrupta.

Eles fazem de conta que não sabem que o PCC nasceu, cresceu e se fortaleceu durante os (des)governos tucano-pefelistas - 8 anos no governo Federal e 12 no governo do estado de São Paulo. Coincidentemente o PCC tem 12 anos de vida.

Agora, desrepeitando a inteligência de toda uma nação, Serra, Alckmin, ACM e Bornhausen querem vincular ao PT e aos Trabalhadores honestos os atos de uma facção criminosa criada e alimentada por políticas equivocadas defendidas e implementadas exatamente por eles mesmos, senhores do tucanto-pfl-udenista.

Companheiros e companheiras, é preciso dizer um não bem grande ao atraso político e econômico que representa a facção tucana-pfl-udenista. Não podemos esquecer que a UDN, mãe da ARENA e vó do PFL, sempre esteve por trás dos golpes de estado neste país.

É preciso ter bem claro que é o inimigo maior neste momento

Também é preciso lembrar que nos anos 1930, lá na Alemanha, comunistas e social-democratas trocavam farpas e se auto-boicotavam. Lutaram tanto entre si que acabaram elegendo Hitler. O nazista levou a melhor e a ulta-direita mandou e desmandou naquele país.

Será que já não passou da hora de deixarmos vaidades e discursinhos fáceis de lado e juntarmos as forças progressistas e impor uma grande derrota aos néo-reacionários???

Por que, estes que hoje querem se passar por autênticos defensores dos Trabalhadores, não aproveitaram estes 25 anos de democracia burguesa para organizar os Trabalhadores nos Locais de Trabalho?

Será que não está na hora de elegermos companheiros e companheiras que representam os interesses dos Trabalhadores?

Evitemos, portanto, que aconteça com o Brasil o que já acontece em São Paulo (Estado e Capital). Lá eles votaram no PSDB, o PFL assumiu e quem manda é o PCC.

Não queremos isso para o Brasil. Queremos que os Trabalhadores governem este país. Para tanto é preciso deixar de lenga-lenga e discursinho radicalóide, Organizar os Trabalhadores nos Locais de Trabalho e impor uma grande derrota ao tucanato-pfl-udenista.

Chega de divisão e de oportunismo moralista!!!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 14:13 15/08/2006, de Curitiba, PR


Chefões de empresas no Brasil ganham mais que nos EUA e Europa
Os presidentes das 12 maiores empresas nacionais e transnacionais instaladas no Brasil ganharam no ano de 2005 US$ 996 mil, em média, ou quase R$ 2 milhões e 200 mil. Isso não dá nem R$ 200 mil por mês. Que lastima, né?

Mas em piores condições que os magantas brasileiros estão os miseráveis norte-americanos e europeus. Os primeiros levaram para casa 31% menos que os brazucas, já os europeus tiveram que se contentar com 23% menos. Sem dúvida o custo de vida no Brasil é bem maior que na Europa e EUA, o que justificaria esta diferença, né?

Em grana os percentuais dizem que enquanto os brasileiros embolsaram quase R$ 2.200.000,00 em 2005, os europeus ganharam cerca de R$ 1.800.000,00 e os norte-americanos somente R$ 1.670.000,00.

Parece que quanto menor for o salário pago aos Trabalhadores maior é o salário dos presidentes das empresas. Seria uma regra ou mera coincidência?

Uma coisa é certa. Com os salários dos presidentes tão altos dá para entender porque se fala tanto em custo Brasil. Bota custo nisso aí.

É... com o salário de um magnata brasileiro é possível pagar quase 6300 salários mínimos. Já a soma dos salários dos 12 mais bem pagos é equivalente a 75.000 mínimos...
Enviada por Sérgio Bertoni, às 04:09 15/08/2006, de Curitiba, PR


Computador Pessoal completa 25 anos!!!
Este carinha já tem 25 aninhos
Em 12 de agosto de 1981 a IBM apresentava o primeiro PC - Personal Computer ou Computador Pessoal - economicamente viável. Com o PC 5150 (foto), a IBM deu o pontapé para a criação de uma poderosa e revolucionária indústria.

25 anos depois a IBM já não produz mais PCs, mas o mundo se comunica usando computadores pessoais e as distâncias parecem ter diminuido. Os outrora trambolhos, enormes e pesados, paulatinamente foram sendo substituídos por máquinas leves e cada vez mais portáteis (como os notebooks) que podem se conectar à Internet sem precisar de fios.

Muita gente nestes 25 anos ficou desempregada devido a automação industrial impulsionada pela informática e disseminação do micro-processamento.

Nos anos 80 falávamos de inclusão social e de alfabetização. Sem resolver estes problemas, nos modernizamos e hoje falamos também da necessidade de inclusão digital.

A poderosa indústria da computação e da informática, trouxe muitos benefícios em diversas áreas do conhecimento humano. Mas não podemos deixar de lembrar que o carinha que completa 25 anos em 12 de agosto também ajudou a aumentar o fosso entre incluídos e excluídos no mundo todo, facilitando a concentração de renda e aumento da produtividade do Trabalho como nunca antes visto.

O que levou o IBM PC a se tornar o padrão de computador pessoal?

Sem dúvida nenhuma foi o fato de a IBM ter disponibilizado as especificações técnicas do PC, permitindo o surgimento de vários fabricantes de peças para computadores e montadores de PC compatíveis com o equipamento original, ao contrário do que aconteceu com os computadores proprietários da Apple. Isso fez com que os preços dos IBM compatíveis caíssem mais rapidamente que os computadores da Apple, tornado-os mais acessíveis aos cidadãos comuns.

Na história da computação tudo o que foi disponibilizado e compartilhado livremente acabou marcado pelo sucesso. Já tudo que é fechado e proprietário tende a ficar em um gueto ou desaparecer.

O mesmo caminho vem sendo trilhado pelo Software Livre que não pára de crescer e preocupa a empresa monopolista do setor se softwares proprietários.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 01:23 12/08/2006, de Curitiba, PR


Brasil: Metalúrgicos norte-americanos relatam impasse em negociações com a Gerdau nos EUA
Kenneth Parrick (centro)
e Valter Sanches (direita)
Sindicalistas norte-americanos dizem que o grupo brasileiro não está respeitando acordos coletivos anteriores à compra das empresas americanas

A Comissão de Relações do Trabalho da Assembléia Legislativa de São Paulo ouviu nesta quarta-feira, dia 9, o representante do sindicato dos metalúrgicos dos Estados Unidos (EUA) e Canadá, o United Steelworkers of America (USW), Kenneth Parrick, que denunciou a intransigência das siderúrgicas americanas controladas pela empresa brasileira Gerdau, que atua na indústria do aço e em outras áreas. A empresa não enviou representante nem deu resposta ao convite da comissão.

Há alguns meses, sindicalistas americanos vêm mantendo contato com a Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM), vinculada à CUT. Segundo Valter Sanches, da CNM, a multinacional vem adotando nos Estados Unidos diversas ações contra os trabalhadores, além de se negar a abrir negociações com o sindicato. No Brasil, as relações com a Gerdau são normais, informou Sanches, assim como no Canadá, onde recentemente foi fechado um acordo coletivo de trabalho com o USW. O problema está nas empresas localizadas nos EUA, em especial a texana Sheffield Steel.

Representantes dos trabalhadores americanos já solicitaram a ajuda do ministro do Trabalho brasileiro, Luiz Marinho, e têm participado de mobilizações nas portas de fábricas em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Maranhão. A central sindical americana também divulgou um relatório com previsões pessimistas para os resultados da empresa nos EUA, por causa das negociações trabalhistas complicadas.

Segundo Parrick, acordos coletivos estabelecidos anteriormente à compra das empresas não estão sendo respeitados. Entre as denúncias apresentadas contra a Gerdau estão a ampliação da carga horária de 8 para 16 horas sem pagamento de horas extras, o repasse total dos encargos com planos de saúde aos trabalhadores e o corte do seguro-saúde dos aposentados. A empresa também está criando um novo plano de remuneração com salários menores para os novos trabalhadores contratados. Não há reajustes de salários há três anos.

Parrick explica que as negociações emperraram porque a Gerdau americana questiona na Justiça os acordos anteriormente arbitrados. A crise chegou a tal ponto que ocorreu um locaute no Texas. Para Perrick, o maior problema está no grupo que administra as empresas nos EUA, que tem adotado uma atitude intransigente e não respeita o sindicato, o que o obriga a buscar a ajuda dos trabalhadores no Brasil: 'Estamos aqui porque queremos ser tratados com dignidade (...) porque precisamos (...) e porque os que são eleitos para posições de liderança devem falar pelos que não têm voz nem poder econômico', disse Parrick.

A notícia de que no Brasil não há crise entre os trabalhadores e a empresa deixou os deputados da Comissão de Relações do Trabalho satisfeitos. O presidente da comissão propôs a elaboração de documento relatando a audiência e instando a Gerdau do Brasil a interceder pela abertura de negociações das empresas americanas com o USW, o que foi aprovado.

Fonte: ALESP - Assembléia Legislativa de São Paulo e CNM-CUT
Enviada por Sindlab, às 10:40 11/08/2006, de São Paulo, SP


Jornaleiro de Porto Alegre não venderá mais Veja, Época e outras
"É CHEGADA A HORA DE MODIFICAR A REALIDADE"

Trinta e três anos, jornaleiro há nove. Proprietário da banca que fica num movimentado ponto de Porto Alegre, Fábio Marinho tomou uma decisão: não vai mais vender a revista Veja.

"Não é mais possível ficarmos esperando que os outros venham fazer algo por nós (...). Todos somos, de alguma forma, responsáveis pelo mundo em que vivemos"- afirma.

Fábio está se formando em História e comunicou sua decisão em carta enviada ao jornalista Hamilton Octávio de Souza e publicada na revista Caros Amigos de julho

Sua esperança é contribuir para que outros jornaleiros "também tenham uma tomada de consciência e percebam a importância de seu trabalho na sociedade e tomem iniciativas, por pequenas que sejam, que contribuam para pormos um fim a este avanço dos liberais, ou neoliberais, se preferir, que só tem trazido sacrifícios para a grande maioria da população".

Seu endereço eletrônico é: marinho147@hotmail.com. E seu endereço físico, pra quem quiser fazer uma visita, é o número 100 da Rua Dom Diogo de Souza, Cristo Redentor.

Leia a seguir a entrevista com o jornaleiro que decidiu parar de comercializar as revistas Veja, Época e Primeira Leitura.

Entrevista concedida a Marcelo Salles - salles@fazendomedia.com

Há quanto tempo você trabalha como jornaleiro?

Tenho 33 anos, sou jornaleiro há nove anos, sempre como proprietário e no mesmo ponto de venda.

Qual o perfil dos seus clientes?

O perfil de meus clientes é variado devido ao fato de minha banca ficar próximo a um terminal de ônibus que atravessa a cidade de norte a sul e na frente de uma instituição de ensino particular. Então, atendo desde o desempregado sem perspectiva até ao empresário de sucesso; atendo pessoas de todas as classes econômicas.

Por que a decisão de parar de comercializar a revista Veja?

A gota d'água que me fez parar com a Veja foi uma "reportagem" sobre o presidente venezuelano Hugo Chávez, onde ele era retratado como um tiranete, um ser exótico, só que tudo era escrito num tom muito ofensivo, sem o menor respeito por um presidente de Estado, de uma nação soberana, eleito pelo voto popular. Aí eu pensei: a Veja foi longe demais. E tomei a decisão de não vendê-la novamente. Mas era uma decisão que vinha sendo amadurecida desde a época do "escândalo" do jornalista [Larry Rother], aquele que chamou o Lula de bêbado, quando a Veja fez uma série de reportagens tentando afirmar a mesma coisa. Olha, não sou lulista, mas a Veja foi desrespeitosa naquele momento, e comecei a pensar em não vendê-la. Essa decisão foi levada a termo a partir da tomada de consciência de que não é mais possível ficarmos esperando que os "outros" - ou o Lula, ou o "salvador" - venham fazer algo por nós, e de que todos nós, de alguma forma, somos responsáveis pelo mundo em que vivemos. Então, na minha opinião, é chegada a hora de fazermos algo para modificar a realidade que nos cerca; o que eu posso fazer é isto, então fiz.

Sua decisão se estende a alguma outra publicação ou é restrita à revista Veja?

A revista Época recebe um tratamento semelhante, embora há menos tempo, a partir da crise do "mensalão" (um ano, não é?). Também não sou petista, mas é fato que a revista forçou a barra, se calou durante os anos FHC e agora resolve praticar jornalismo investigativo? Dá licença! A revista Primeira Leitura também recebe tratamento semelhante, nem preciso dizer por quê, né?

"Não dá mais para agüentar a Veja"

Isso não pode prejudicar o seu trabalho, visto que a Veja é uma das publicações mais vendidas e que, portanto, gera grande retorno à banca?

Sobre perder vendas, bem, entre ganhar dinheiro com a Veja ou perder algumas vendas e contribuir para que os meus clientes descubram a Caros Amigos, a CartaCapital, a Reportagem, fico com esta segunda opção, sem falar no componente ético que em mim é muito forte.

Você não corre risco de sofrer algum tipo de boicote pelo mercado editorial como um todo, ou pela editora Abril em especial?

Realmente não dá mais para agüentar a Veja. Olha, não temo boicote, mas estou surpreso com a repercussão. Recebi vários e-mails de pessoas me cumprimentando e elogiando minha atitude. Vamos ver como a [editora] Abril vai reagir. Se me boicotarem, espero contar com sua ajuda para denunciarmos mais uma da Abril.

O que você gosta de ler, entre livros, jornais, revistas e sítios na internet?

Estou me formando em História e, portanto, gosto de tudo que esteja relacionado à política, teoria e educação. Afora isto, gosto dos grandes escritores nacionais como Machado de Assis, Guimarães Rosa, João Cabral de Mello Neto, Érico Veríssimo, Mário Quintana. Enfim, ler é meu vício. Revistas eu não leio muito por ter pego o vício de ler um livro inteiro de um autor e tentar entender suas teses. As poucas revistas que leio são Caros Amigos, CartaCapital e Reportagem e só. Jornal aqui no sul não tem um que preste, pelo menos que eu conheça. Infelizmente não consegui leitores para o Brasil de Fato e a distribuidora cortou meu reparte, de modo que evito ler jornais. De internet eu não gosto muito não, só utilizo para correspondência e downloads.

Pelo que você observa entre seus clientes, há uma insatisfação com as publicações da grande imprensa? Você acredita haver espaço entre os leitores para publicações com linhas editoriais que destoam da mídia hegemônica?

Pois é, já está tão difícil vender as revistas alternativas... não sei se há espaço para novas publicações. Se você já esteve em alguma edição do Fórum Social Mundial, deve ter percebido que a indignação é maior do que a gente pensa, mas daí a sustentar uma nova revista eu já não sei, minha percepção de jornaleiro é que não, mas estou vendo a situação de um ponto de observação muito restrito que é minha banca.

Por favor, esteja à vontade para acrescentar qualquer outra informação que julgue relevante.

Olha, escrevi aquela carta para o Hamilton Octávio de Souza na esperança de vê-la publicada e que outros jornaleiros como eu fizessem algo parecido. A minha categoria é muito desunida e o sindicato (pelo menos aqui em Porto Alegre) trabalha para mantê-la desunida. Assim, espero que outros também tenham uma tomada de consciência e percebam a importância de seu trabalho na sociedade e tomem iniciativas, por pequenas que sejam, que contribuam para pormos um fim a este avanço dos liberais, ou neoliberais, se preferir, que só tem trazido sacrifícios para a grande maioria da população.

Fonte: www.fazendomedia.com
Enviada por Almir Américo, às 21:24 10/08/2006, de São Paulo, SP


Vai bater os desespero e eles irão para a baixaria!
Chora tucanada, tucanada chora, chora Opus-Dei que está chegando a tua hora

Nova pesquisa confirma a tendência que levará ao tucanato-udenista by opus-dei à baixaria para tentar evitar que o picolé de chuchu entre em coma.

O presidente Lula (PT) aumentou sua vantagem sobre Alckmin (PSDB) e seria reeleito já em primeiro turno, segundo pesquisa do Ibope divulgada nesta quinta pelo "Jornal Nacional", da TV Globo.

Lula teria 46% das intenções de voto, contra 21% de Alckmin. Na pesquisa anterior, a vantagem era de 44% a 25%.

Já Heloísa Helena oscilou de 11% para 12%. Cristovam Buarque ficou em 1%, ao lado de Rui Costa Pimenta (PCO). José Maria Eymael (PSDC) não atingiu 1%.

Se as coisas continuarem assim é bom a gente se preparar para baixarias maiores que as praticadas por Collor em 1989. A alinaça tucano-pfl-udenista sob as benções da Opus-Dei não terá escrúpulos para tentar tomar de assalto o Planalto.

Enquanto isso cantemos "Chora tucanada, tucanada chora..."
Enviada por Sergio Bertoni, às 21:10 10/08/2006, de Curitiba, PR


Seara/Cargill é condenada a pagar férias proporcionais
Seara/Cargill é condenada a pagar férias proporcionais conforme determina a OIT

Decisões judiciais reconhecem ilegalidades e arbitrariedades praticadas pela multinacional

Jaraguá do Sul ? A empresa SEARA/CARGILL foi condenada a pagar as férias proporcionais para um trabalhador que com menos de um ano pediu a demissão. Segundo o Juiz da 1ª Vara do trabalho de Jaraguá do Sul ? SC, Ricardo Córdova Diniz, ?mesmo quando o empregado se demite ele faz jus às férias proporcionais, acrescidas de 1/3. Só não o fará quando a dispensa for por justa causa, exegese do art. 147 da CLT e da Súmula nº 261 do E. TST.?

A SEARA/CARGILL é uma das poucas empresas da categoria do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Jaraguá do Sul e Região que não está efetuando o pagamento das Férias proporcionais aos trabalhadores que pendem demissão.

Para o Presidente do Sindicato, Sergio Eccel, ?este é mais um dos direitos que a multinacional tenta retirar a força dos trabalhadores? referindo-se a ação coletiva que o Sindicato encaminhou contra a empresa. Segundo Eccel, ?a empresa não está pagando adicional de insalubridade mesmo os trabalhadores exercendo suas atividades em locais em que a temperatura está abaixo do limite legal?.

O que fazer para combater certas atitudes de desrespeito aos trabalhadores e atitudes anti-sindicais serão discutidas no encontro Internacional de Trabalhadores da Cargill em São Paulo organizado pela CUT, CONTAC e UITA.

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO DE JARAGUÁ DO SUL/SC E REGIÃO.
Enviada por Sind. dos TRabalhadores na Ind. de Alimentação, às 16:58 10/08/2006, de Jaraguá do Sul


Risco país cai e atinge menor índice de todos os tempos
O Risco-país do Brasil, índice usado pelas consultorias de investimentos para ajudar especuladores a decidir onde investir seguramente seu dinheiro ou saber onde podem ganhar mais, atingiu o seu menor nível histórico: 207 pontos às 13:45h desta quarta-feira.

Quanto mais baixo for o número, maior é a confiança dos investidores estrangeiros no país.

Os investidores estão interessados em papéis de países emergentes porque o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) decidiu interromper o ciclo de aumento dos juros no país. Nações como o Brasil, com juros mais altos, remuneram melhor os investimentos.

Os valores obtidos hoje diametralmente opostos aos resultados registrados nesta mesma época do ano, em 2002, quando o país era (des)governado por FHC e o tucanato udenista. Naquele momento o risco-Brasil chegou a passar dos 2000 até atingir o recorde de 2.443 pontos em 27 de setembro.

Muitos podem gritar, espernear e reclamar, mas só um peão para por a casa em ordem e evitar o desgoverno no país. Chega de representantes da elite branca a bagunçar com a vida de milhões de brasileiros.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 16:40 09/08/2006, de Curitiba, PR


Software Livre: Brasileiro desenvolve Linux para computador de US$ 100 (R$ 220,00)
Segundo os sítios br-linux e guiadohardware, o brasileiro Marcelo Tosatti, recentemente contratado pela Red Hat, uma das maiores distribuições Linux do planeta, é o responsável pelo desenvolvimento do Linux que irá rodar nos computadores ultra-portáteis destinados às crianças pobres do terceiro mundo.

O projeto "Um notebook por criança" é encabeçado por Nicholas Negroponte do MIT - Masschussets Institue of Tecnology, que com a ajuda dos governos de países em desenvolvimento, irá distribuir gratuitamente essas máquinas para crianças matriculadas nas redes públicas de ensino do Brasil, Índia e China, entre outros.

Negroponte já esteve com o presidente Lula para conversar sobre o interesse do Brasil neste projeto. O governo brasileiro espera que os notebooks sejam produzidos para poder adquirí-los e distribuir gratuitamente as crianças brasileiras.

Conhecimento nacional faz sucesso lá fora

O jovem Marcelo Tosatti é uma das maiores expressões do Software Livre no mundo. Ainda adolescente começou como "escovador de bits" (ajudante geral) na empresa curitibana Conectiva Linux, a primeira distribuição Linux do Terceiro Mundo (que em 2005 se associou a Mandrake Linux dando origem a Mandriva) e conquistou a confiança de Linus Torvalds, o criador do Linux, que lhe confiou a manutenção e desenvolvimento da versão 2.4 do kernel (núcleo) do sistema Linux. Marcelo tinha então 18 anos.

Seu último trabalho como mantenedor do Kernel concretizou-se com a disponibilização do terceiro 'release candidate' da versão 2.4.33, contendo um pequeno número de patches.

Tosatti anunciou que o novo mantenedor da série 2.4 é Willy Tarreau, que vem mantendo a série 2.4 'hotfix' há algum tempo.

A trajetóra de Tosatti mostra que quando queremos, temos condições de sobra para fazer com que conhecimento e tecnologias nacionais conquistem espaço e reconhecimento no mundo.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 14:49 09/08/2006, de Curitiba, PR


Lula amplia vantagem e Alckmin mostra desrespeito pela opinião popular
Duas pesquisas divulgadas em 08 de agosto de 2006 mostram o presidente Lula, candidato a reeleição, com larga vantagem sobre o tucano Alckmin. Elas mostram um aumento nas intenções de voto em Lula que garantiria sua vitória já no primeiro turno.

A pesquisa CNT/Sensus mostra que Lula tem 47,9% das intenções de voto, contra 19,7% de Alckmin. A vantagem de Lula sobre o candidato apoiado pela Opus Dei e setores conservadores é de 28,2 pontos percentuais.

Lula ganhou votos, subindo um pouco acima da margem de erro, que é de três pontos, para mais ou para menos, e Alckmin caiu em relação a levantamento anterior do mesmo instituto. Na disputa equivocada de quem será o melhor anti-lula, a candidata do PSOL, Heloísa Helena, leva vantagem: subiu de 5,4% para 9,3% das intenções de voto.

Alckmin e a cúpula tucana mostraram todo o seu despreparo e tremenda falta de respeito à opinião pública. O presidenciável conservador disse que a pesquisa CNT-Sensus era uma piada. Já Arthur Virgílio, o trator de tropa de choque tucana-pefelista, afirmou só acreditar nos resultados da pesquisa do DataFolha.

E não é que a piada era boa mesmo? Segundo a pesquisa DataFolha, divulgada logo depois da CNT/Sensus, Lula (PT) lidera a disputa para a Presidência, com 47% das intenções de voto contra 24% de Geraldo Alckmin (PSDB).

Diferentemente da CNT/Sensus, o DataFolha não mostrou mudanças significativas nas intenções devotos dos demais candidatos: Heloísa Helena (PSOL) ficou com 12% e Cristovam Buarque (PDT) teve 1%. José Maria Eymael (PSDC), Rui Pimenta (PCO) e Luciano Bivar (PSL) não atingiram 1%. Os brancos e nulos somaram 7%, e outros 7% disseram que estão indecisos.

É preciso um parlamento progressista e muita mobilização de base

Não basta, porém, eleger Lula no primeiro turno e achar que tudo será resolvido como em um conto de fadas.

É preciso eleger um parlamento progressista composto por deputados e senadores realmente comprometidos com as causas populares e dos Trabalhadores.

Também de pouco adianta eleger um parlamento progressista se os Trabalhadores não estiverem mobilizados e organizados em seus locais de trabalho, prontos para pressionar o governo, o parlamento e os patrões sempre que necessário.

Democracia não se faz nos corredores dos palácios em Brasília, mas sim no dia-a-dia com participação popular nas decisões mais importantes do país.

Portanto, é preciso arregaçar as mangas, reeleger Lula, eleger um parlamento progressita e aproveitar os próximos quatro anos para fortalecer os movimentos populares e sindical, lutando para consolidar conquistas antigas e obter novas vitórias a partir da Organização dos Trabalhadores em seus Locais de Trabalho.
Enviada por Sergio Bertoni, às 10:02 09/08/2006, de Curitiba, PR


Russia: Chefão da Lada perde disputa para subordinado
O Diretor-Geral da AvtoVAZ (Lada), Igor Ecipovskii, pediu demissão em 31 de julho por causa de um conflito com o seu vice, Aleksander Pronin.

Pode até parecer estranho que um subordinado tenha mais poder que o chefe, mas na Rússia é assim. Quem controla o departamento de vendas de veículos nas automobilísticas detêm muito poder ou porque são bem relacionados com gente poderosa no governo central ou por outras ligações que rondam pelos caminhos da ilegalidade. Aleksander Pronin é exatamente o vice-diretor responsável por vendas...

Pronin e Ecipovskii também são protagonistas de um debate sobre o futuro da Lada. Ecipovskii defende a autonomia e independência da Lada enquanto empresa russa, já Pronin defende a venda da mesma para a Renault.

A Renault não confirma se tem interesse ou não pela Lada, mas com a derrota de Ecipovskii o caminho para que uma das transnacionais assuma o controle da Lada está aberto.

Parece lógico que a Renault venha a assumir a Lada, já que está negociando uma fusão com a GM e esta já tem uma joint-venture com a empresa russa, chamada GM-AvtoVAZ, que produz o novo Niva e a versão brasileira do Astra sob o nome de Chevrolet Viva.

Mas como nem sempre o que é lógico para nós é lógico para os russos, a única certeza que fica é que a indústria automobilística russa resistiu por 15 anos, mas termina de forma melancólica porque seus chefões sempre a acharam autosuficiente...

Agora, quem irá pagar a conta é o povo de Tolliati, onde a empresa está instalada. Na cidade moram 700.000 pessoas das quais 140.000 trabalham na Lada (empregos diretos). O resto depende da empresa de uma forma ou de outra...
Enviada por Sergio Bertoni, às 10:10 01/08/2006, de Curitiba, PR


>>
Próximos eventos

Clique aqui para ver mais notícias.