TIE-Brasil
19/11/2017
Cadastre-se | Esqueci a senha!
Nome: Senha:

Notícias(Setembro/2010)

(clique para ver todas)

Eleitor vai precisar apenas de documento com foto
Para votar na candidata Dilma Rousseff, o eleitor vai precisar apenas de um documento oficial com foto, segundo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), nessa quinta-feira (30). A determinação de apresentar dois documentos na hora de votar, o título e mais um documento oficial, foi fixada pela minirreforma eleitoral, aprovada pelo Congresso Nacional no ano passado.

Dos dez ministros do SFT, apenas Gilmar Mendes e Cezar Peluso votaram a favor da obrigatoriedade do Título de Eleitor para o voto.

Mais de 135 milhões eleitores são aguardados em todo o Brasil no próximo domingo, dia 3 de outubro. A votação começa às 8h da manhã e vai até às 17h.

Cada eleitor vai escolher seis candidatos: presidente, governador de estado, dois senadores, deputado federal e deputado estadual ou distrital.

Fonte: http://www.dilma13.com.br/noticias/entry/eleitor-vai-precisar-apenas-de-documento-com-foto/
Enviada por TIE-Brasil, às 20:56 30/09/2010, de Curitiba, PR


Blogosfera condena censura tucana comandada por Beto Richa
Enviada por Sérgio Bertoni, às 15:09 30/09/2010, de Curitiba, PR


Chega! Basta! Vou votar no Serra!!!
Cansei de ir ao supermercado e encontrá-lo cheio. O alimento está barato demais. O salário dos pobres aumentou, e qualquer um agora se mete a comprar, carne, queijo, presunto, hambúrguer e iogurte.

Cansei dos bares e restaurantes lotados nos fins de semana. Se sobra algum, a gentalha toda vai para a noite. Cansei dessa demagogia.

Cansei de ir em Shopping e ver a pobreza comprando e desfilando com seus celulares.

O governo reduziu os impostos para os computadores. A Internet virou coisa de qualquer um. Pode? Até o filho da manicure, pedreiro, catador de papel, agora navega...

Cansei dos estacionamentos sem vaga. Com essa coisa de juro a juro baixo, todo mundo tem carro, até a minha empregada. " É uma vergonha! ", como dizia o Boris Casoy. Com o Serra os congestionamentos vão acabar, porque como em S.Paulo, vai instalar postos de pedágio nas estradas brasileiras a cada 35 km e cobrar caro.

Cansei da moda banalizada. Agora, qualquer um pode botar uma confecção. Tem até crédito oferecido pelo governo. O que era exclusivo da Oscar Freire, agora, se vende até no camelô da 25 de Março e no Braz.

Vergonha, vergonha, vergonha...

Cansei de ir em banco e ver aquela fila de idosos no Caixa Preferencial, todos trabalhando de office-boys.

Cansei dessa coisa de biodiesel, de agricultura familiar. O caseiro do meu sítio agora virou "empreendedor" no Nordeste. Pode? Cansei dessa coisa assistencialista de Bolsa Família. Esse dinheiro poderia ser utilizado para abater a dívida dos empresários de comunicação (Globo,SBT,Band, RedeTV, CNT, Fôlha SP, Estadão, etc.). A coitada da "Veja" passando dificuldade e esse governo alimentando gabiru em Pernambuco. É o fim do mundo.

Cansei dessa história de PROUNI, que botou esses tipinhos, sem berço, na universidade. Até índio, agora, vira médico e advogado. É um desrespeito... Meus filhos, que foram bem criados, precisam conviver e competir com essa raça.

Cansei dessa história de Luz para Todos. Os capiaus, agora, vão assistir TV até tarde. E, lógico, vão acordar ao meio-dia. Quem vai cuidar da lavoura do Brasil? Diga aí, seu Lula...

Cansei dessa história de facilitar a construção e a compra da casa própria (73% da população, hoje, tem casa própria, segundo pesquisas recentes do IBGE). E os coitados que vivem de cobrar aluguéis? O que será deles? Cansei dessa palhaçada da desvalorização do dólar. Agora, qualquer um tem MP3, celular e câmera digital. Qualquer umazinha, aqui do prédio, vai passar férias no Exterior. É o fim...

Vou votar no Serra. Cansei, vou votar no Serra, porque quero de volta as emoções fortes do governo de FHC, quero investir no dólar em disparada e aproveitar a inflação. Investir em ações de Estatais quase de graça e vender com altos lucros. Chega dessa baboseria politicamente correta, dessa hipocrisia de cooperação. O motor da vida é a disputa, o risco... Quem pode, pode, quem não pode, se sacode. Tenho culpa eu, se meu pai era mais esperto que os outros para ganhar dinheiro comprando ações de Estatais quase de graça? Eles que vão trabalhar, vagabundos, porque no capitalismo vence quem tem mais competência. É o único jeito de organizar a sociedade, de mostrar quem é superior e quem é inferior.

Eu ia anular, mas cansei. Basta! Vou votar no Serra. Quero ver essa gentalha no lugar que lhe é devido.

Quero minha felicidade de volta.
Enviada por Vera Armstrong, às 13:48 30/09/2010, de Curitiba, PR


Em Curitiba, às 17 horas, manifestação contra censura do tucano Beto Richa
Legendas devem lançar “Nota de Desconfiança” em relação ao TRE

Nesta quinta-feira (30), às 17 horas, a Boca Maldita, centro de Curitiba, será palco de uma manifestação dos partidos políticos e entidades do movimento popular contra a censura de Beto Richa (PSDB) e a favor da liberdade de expressão.

O tucano proibiu a divulgação de pesquisas do Datafolha, Ibope e Vox Populi sobre a disputa pelo governo do Paraná. A censura prévia contou com a anuência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que acatou supostos erros técnicos nas sondagens.

Pelo menos seis partidos políticos – PDT, PMDB, PT, PR, PSC e PCdoB – somados à entidades como Femotiba, UPE, UPES, UNE e as seis centrais sindicais existentes no estado (CUT, Força Sindical, CTB, Nova Central e CGTB) devem lançar uma “Nota Pública de Desconfiança” em relação ao comportamento dos juízes do TRE.

Se por um lado os juízes do TRE censuraram as pesquisas de opinião dos grandes institutos, por outro, liberaram nesta quinta-feira (30) um levantamento de uma empresa desconhecida ligada ao tucano Beto Richa.

Em virtude da censura tucana, 7,5 milhões de eleitores paranaenses vão às urnas no escuro neste domingo (3). Ou seja, em termos de liberdade de imprensa e de expressão, o próspero Paraná voltou às trevas.

Resumo da ópera: aqui no estado, tucano que fingia ser beija-flor na verdade era urubu.

Fonte: Blog do Esmael
Enviada por TIE-Brasil, às 12:59 30/09/2010, de Curitiba, PR


Blogosfera precisa reagir à censura dos tucanos comandada por Beto Richa
Estamos aqui no Paraná a viver sob um apagão informativo criado a partir da censura imposta pelo TRE-PR (a pedido da coligação demotucana) aos institutos de pesquisa, à revista Istoé, aos blogs, panfletos e meios de comunicação escritos ou eletrônicos que falem sobre pesquisas ou insinuem que Beto Richa, o queridinho do PiG e da nova direita nacional, possa vir a perder a eleição em 03 de outubro para Osmar Dias.

Nossa luta contra esta censura e pela Liberdade de Expressão se dá em todos os campos, unificando setores distintos da sociedade civil.

Estamos denunciando aos quatro ventos e protestando até onde impossível é.

Temos notado que até o PiG tem se manifestado contra a censura no Paraná.

Veja, Globo, GloboNews, Folha de São Paulo" e Gazeta do Povo criticaram a censura tucana.

Infelizmente, não observamos o mesmo ímpeto na Blogosfera. Parece que esta só se interessa pelas questões "nacionais", "importantes", e não consegue observar o crescimento de ervas daninhas em nossos frondosos jardins de "primeiro mundo".

Não se está a perceber que aquilo que ocorre no Paraná neste momento virá a atingir a todos caso o tucano Beto Richa siga galgando postos na política nacional.

É como no poema de Martin Niemoller:

Primeiro vieram buscar os Comunistas,
e eu não disse nada,
porque eu não era Comunista.
Então vieram buscar os Judeus,
e eu não disse nada,
porque eu não era Judeu.
Então vieram buscar os Católicos,
e eu não disse nada,
porque eu era Protestante.
Então vieram buscar-me a mim,
e nessa altura,
já não havia ninguém para falar por mim.

Primeiro censuram as pesquisas no Paraná
E eu não disse nada porque não sou paranaense...

Pois é, agora estão a censurar os paranaenses, seus blogs e as pesquisas regionais. Amanhã, o protótipo de ditador poderá ser o Próprio, o Führer, a censurar aqueles que se calam hoje, achando que o problema no PR é uma simples disputa regional sem menor importância nacional.

Beto Richa só faz mostrar qual é a cara da nova direita e o que ela vai fazer com o Brasil caso deixemos que conquistem espaço político.

Beto Richa é a ponta visível do Iceberg censor e antidemocrático do udenismo neoliberal demotucano.

Se queremos derrotar o udenismo de uma vez por todas, não podemos deixar a erva daninha do brichismo crescer e vir a censurar a tudo e a todos que falem algo contra ele.

Acorda blogosfera!

Acorda Brasil!!!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 12:33 30/09/2010, de Curitiba, PR


Estratégia de impugnar pesquisa traz críticas nacionais a tucano Beto Richa
Até blogueiros da Gazeta do Povo e da Folha de São Paulo, tradicionais aliados de Beto Richa estão a criticar o autoritarismo e a censura promovidos pelo piá-de-prédio (*)

Reproduzimos aqui artigo do Blog Caixa Zero da Gazeta do Povo.

Beto Richa está sendo mais criticado do que nunca por sua postura em relação às pesquisas eleitorais. De uma semana para cá, o candidato impugnou todas as pesquisas de intenção de voto no estado.

Para ser justo: todas tinham realmente motivos que podiam ser contestados. tanto é que a Justiça Eleitoral concordou com os argumentos do jurídico de Beto.

Mas ficou feio porque antes o candidato não contestava os números. Ficou a desconfiança de que agora os números lhes são desfavoráveis, e que esse seria o motivo do esperneio.

Veja só o que Fernando Rodrigues, da Folha, escreve hoje sobre o assunto:

Agora, surgiu outro caso. Seria algum petista ameaçando a liberdade de expressão? Nada disso. Trata-se de Beto Richa, um jovem tucano aliado de José Serra e um dos que supostamente modernizará o PSDB a partir do ano que vem.

Candidato ao governo do Paraná, Richa pediu à Justiça na semana passada que censurasse a divulgação de uma pesquisa do Datafolha no Estado. Alegou que o instituto não informa suas ponderações estatísticas. A ausência desse cálculo bizantino levou o juiz auxiliar do TRE paranaense Nicolau Konkel Júnior a atender ao tucano.

Não satisfeito, Richa pediu novamente a censura de uma outra pesquisa que está sendo realizada nesta semana pelo Datafolha. Novamente, o juiz Konkel Júnior decidiu a favor do tucano.

Os pedidos de Richa coincidiram com um momento delicado em sua campanha. Há cerca de dez dias ele passou a perder pontos para Osmar Dias (PDT). O tucano não teve pudor. Partiu para a censura. Ajuda assim a ilustrar como é generalizado e sem ideologia partidária o atraso mental no meio político brasileiro quando se trata de conviver com as diferenças ou más notícias.

(*) piá-de-prédio: apelido "carinhoso" dado a Beto Richa, muito usado também em Curitiba para designar aqueles menininhos mimadinhos que as mamães não deixam brincar na rua e não conhecem a vida real.
Enviada por TIE-Brasil, às 18:06 29/09/2010, de Curitiba, PR


Censura Não: Queremos ver as pesquisas, ler as notícias livremente
Reproduzimos aqui artigo publicado no Blog Lado B

Eu quero ver as pesquisas. Tenho esse direito!

Por Edson Rimonatto*

O que acontece nas eleições do Paraná é vergonhoso. Um verdadeiro atentado à democracia se impõe diante da população paranaense e mancha o estado de direito por aqui. Um único partido controla o ritmo da campanha eleitoral ou pelo menos tenta, mas com uma força incomparável e com condições reais de manipular os fatos. Com os poderes necessários para fazê-lo. A seu favor, claro. O único poder também capaz de invalidar essa manipulação é o do voto, nas mãos do povo. Mas, para confundir o mesmo povo, o tucanato impede que o eleitorado tenha informações sobre as quais possa basear sua tomada de decisão.

Pesquisa não ganha eleição e não é de hoje que se questiona o poder delas sobre as definições dos indecisos. Também não é de hoje que se põe à prova os critérios e metodologias usados nas sondagens dos institutos de pesquisa. Mas estabeleceu-se uma cultura de acompanhamento dessas consultas durante a campanha eleitoral que de fato influencia nas decisões dos eleitores. Tanto que as pesquisas não registradas devidamente junto à Justiça Eleitoral, aquelas de “consumo interno” dos partidos, correm soltas e, com elas debaixo do braço, os cabos eleitorais vão a campo informar e tentar convencer os eleitores para votarem nos candidatos de sua preferência.

Às vésperas das eleições, a coligação de Beto Richa (PSDB) impede a divulgação por duas semanas de toda e qualquer pesquisa registrada no TSE – Tribunal Superior Eleitoral – sobre as intenções de voto no Paraná para o governo do estado. Justamente no momento em que as de “consumo interno” apontam para o fato de que o adversário, Osmar Dias (PDT), teria passado à frente e estaria liderando as sondagens feitas. Dessa forma, os tucanos controlam sozinhos o que o eleitorado pode ou não saber. E nós, cidadãos e eleitores, vamos assistindo a tudo isso quietos, calados, passivos, omissos e de braços cruzados. De “Novo Paraná” a coligação do Beto Richa não tem nada. Ela reedita o velho golpe eleitoral da censura ao contraditório e da manipulação dos fatos.

Temos de exigir que as pesquisas sejam divulgadas. Puxar um movimento relâmpago: “Eu quero ver as pesquisas. Tenho esse direito”! E, daí, decidir o que fazer com essa informação. Temos condições de analisar criticamente esse dado. O que não pode é ficarmos nas mãos dos caprichos de uma “ditadura velada da informação”. E, o que é pior, de uma sonegação de informação que só favorece a quem comete esse atentado ao estado democrático de direito. Quem eles pensam que são? Se não fizermos isso urgentemente, corremos o risco de ver esse golpe escolher o próximo governador do Paraná. Não pode acontecer. A população não deve se calar diante de tamanha atrocidade contra a cidadania. E eu não quero compactuar com esse crime hediondo! Espalhe você também essa ideia e essa indignação. Faça valer o seu voto!

. (*) Edson Rimonatto é publicitário.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 18:00 29/09/2010, de Curitiba, PR


Greve Geral pára Espanha!!!
Sindicatos da Espanha anunciaram que mais de 70% dos trabalhadores do país aderiram nesta quarta-feira a uma greve geral que está afetando fábricas e serviços públicos.

O protesto organizado pelas três centrais sindicais espanholas - CGT, CCOO e UGT - teve início às 00h de 29 de setembro e é a resposta dos sindicatos ao pacote de reformas trabalhistas, aprovado pelo governo socialista do primeiro-ministro, José Luis Rodriguez Zapatero, no passado mês de junho.

Além da Espanha, trabalhadores de outros países também protestam nesta quarta-feira contra medidas tomadas pelos governos para combater a crise econômica.

Foram registradas manifestações nas capitais da Bélgica, Portugal, Itália, Letônia, Lituânia, República Checa, Chipre, Sérvia, Romênia, Polônia, Irlanda e França.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 15:20 29/09/2010, de Curitiba, PR


Ibope também desmente datafalha: Dilma 50% X 41% de todos os outros
Eleição se ganha no voto e não nas pesquisas, mas os constantes "erros" do DataFalha nos leva a crer que o PiG e a elite paulista gostam de se enganar, aproveitando para tentar enganar todo o país.

A pesquisa Ibope dá 27% para José Serra (PSDB). A candidata Marina Silva (PV) aparece com 13%. Os outros candidatos nanicos somados têm 1%. Há também 4% de brancos e nulos e 4% de indecisos.

Dilma teria portanto entre 54 e 56% do total de votos válidos, elegendo-se no primeiro turno.

A pesquisa do Ibope é a segunda a desmentir os dados do DataFolha publicados na terça. Mostra também estabilidade nas intenções de votos em todos os candidatos, desmentindo o PiG e os verdo-tucanos de que haveria um onde verde. Não é nem marolinha, dona Marina, nem marolinha.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 11:46 29/09/2010, de Curitiba, PR


Aos servidores e munícipes de boa memória!
Escrevo para saudar a tod@s e relembrar nosso importante compromisso dessa semana e do próximo domingo 03/10.

Temos pela frente a excepcional oportunidade de desempregar aquele que representou nosso algoz por longos doze anos: 4 como vice do Taniguchi e mais 8 como prefeito.

Vamos lembrar dos vetos das 30 horas para trabalhadores da saúde,assistência social e educação.

Das perdas salariais acumuladas que em 2005 que prometeu zerar ao longo da gestão e não cumpriu.

Das privatizações das merendas, da limpeza , da vigilância.

Do assedio moral via remuneração variável, do crescimento na carreira que não veio, das negativas em valorizar o serviço prestado nas pontuações para o crescimento vertical,das ações na justiça para cobrar dias parados e acabar com as greves justas, do auxílio alimentação tantas vezes negado.

Da sua gestão inoperante que trouxe prejuízos para a situação do ICS, hoje sobre intervenção da ANS.

Se isso não for suficiente para você decidir seu voto, pense que esta gestão significa retomar a era Lerner das privatizações do Paraná, do pedágio, do Banestado, da Sanepar, das falcatruas da assembleia com a sogra fantasma, do caixa 2 com o vídeo no Fantástico que a justiça não puniu.

Você pode fazer a justiça hoje.

Use esta semana para refletir com sua família, seus amigos, seus colegas de trabalho, vizinhos, amigos da internet.

Nós servidores temos responsabilidade maior neste processo, porque vivemos na pele e temos o direito de discordar dos desmandos recebidos em 12 anos com uma única ação.

Você frente a frente a urna pode responder a isso: vai promover seu algoz ou vai mandá-lo de volta a fila do desemprego para que ele prove se tem competência para algum emprego, que não aquele herdado de seu pai com sua árdua carreira na vida pública?

Diga não ao beto richa.

Diga sim a nossa dignidade de Servidor(a) Público(a).

Meu voto é para Tadeu Veneri Deputado Estadual 13131 e Dr. Rosinha Deputado Federal 1313.

Para desempregar beto richa Voto 12 Governador.

Boa reflexão e um tempo de justiça ao Paraná com o voto consciente de todos nós.

Marilena Silva,

ex-presidente do Sismuc
Enviada por Marilena Silva, às 19:00 28/09/2010, de Curitiba, PR


Dez falsos motivos para não votar na Dilma
Por Jorge Furtado

Tenho alguns amigos que não pretendem votar na Dilma, um ou outro até diz que vai votar no Serra. Espero que sigam sendo meus amigos. Política, como ensina André Comte-Sponville, supõe conflitos: “A política nos reúne nos opondo: ela nos opõe sobre a melhor maneira de nos reunir”.

Leio diariamente o noticiário político e ainda não encontrei bons argumentos para votar no Serra, uma candidatura que cada vez mais assume seu caráter conservador. Serra representa o grupo político que governou o Brasil antes do Lula, com desempenho, sob qualquer critério, muito inferior ao do governo petista, a comparação chega a ser enfadonha, vai lá para o pé da página, quem quiser que leia. (1)

Ouvi alguns argumentos razoáveis para votar em Marina, como incluir a sustentabilidade na agenda do desenvolvimento. Marina foi ministra do Lula por sete anos e parece ser uma boa pessoa, uma batalhadora das causas ambientalistas. Tem, no entanto (na minha opinião) o inconveniente de fazer parte de uma igreja bastante rígida, o que me faz temer sobre a capacidade que teria um eventual governo comandado por ela de avançar em questões fundamentais como os direitos dos homossexuais, a descriminalização do aborto ou as pesquisas envolvendo as células tronco.

Ouço e leio alguns argumentos para não votar em Dilma, argumentos que me parecem inconsistentes, distorcidos, precários ou simplesmente falsos. Passo a analisar os dez mais freqüentes.

1. “Alternância no poder é bom”.

Falso. O sentido da democracia não é a alternância no poder e sim a escolha, pela maioria, da melhor proposta de governo, levando-se em conta o conhecimento que o eleitor tem dos candidatos e seus grupo políticos, o que dizem pretender fazer e, principalmente, o que fizeram quando exerceram o poder. Ninguém pode defender seriamente a idéia de que seria boa a alternância entre a recessão e o desenvolvimento, entre o desemprego e a geração de empregos, entre o arrocho salarial e o aumento do poder aquisitivo da população, entre a distribuição e a concentração da riqueza. Se a alternância no poder fosse um valor em si não precisaria haver eleição e muito menos deveria haver a possibilidade de reeleição.

2. “Não há mais diferença entre direita e esquerda”.

Falso. Esquerda e direita são posições relativas, não absolutas. A esquerda é, desde a sua origem, a posição política que tem por objetivo a diminuição das desigualdades sociais, a distribuição da riqueza, a inserção social dos desfavorecidos. As conquistas necessárias para se atingir estes objetivos mudam com o tempo. Hoje, ser de esquerda significa defender o fortalecimento do estado como garantidor do bem-estar social, regulador do mercado, promotor do desenvolvimento e da distribuição de riqueza, tudo isso numa sociedade democrática com plena liberdade de expressão e ampla defesa das minorias. O complexo (e confuso) sistema político brasileiro exige que os vários partidos se reúnam em coligações que lhes garantam maioria parlamentar, sem a qual o país se torna ingovernável. A candidatura de Dilma tem o apoio de políticos que jamais poderiam ser chamados de “esquerdistas”, como Sarney, Collor ou Renan Calheiros, lideranças regionais que se abrigam principalmente no PMDB, partido de espectro ideológico muito amplo. José Serra tem o apoio majoritário da direita e da extrema-direita reunida no DEM (2), da “direita” do PMDB, além do PTB, PPS e outros pequenos partidos de direita: Roberto Jefferson, Jorge Bornhausen, ACM Netto, Orestes Quércia, Heráclito Fortes, Roberto Freire, Demóstenes Torres, Álvaro Dias, Arthur Virgílio, Agripino Maia, Joaquim Roriz, Marconi Pirilo, Ronaldo Caiado, Katia Abreu, André Pucinelli, são todos de direita e todos serristas, isso para não falar no folclórico Índio da Costa, vice de Serra. Comparado com Agripino Maia ou Jorge Bornhausen, José Sarney é Che Guevara.

3. “Dilma não é simpática”.

Argumento precário e totalmente subjetivo. Precário porque a simpatia não é, ou não deveria ser, um atributo fundamental para o bom governante. Subjetivo, porque o quesito “simpatia” depende totalmente do gosto do freguês. Na minha opinião, por exemplo, é difícil encontrar alguém na vida pública que seja mais antipático que José Serra, embora ele talvez tenha sido um bom governante de seu estado. Sua arrogância com quem lhe faz críticas, seu destempero e prepotência com jornalistas, especialmente com as mulheres, chega a ser revoltante.

4. “Dilma não tem experiência”.

Argumento inconsistente. Dilma foi secretária de estado, foi ministra de Minas e Energia e da Casa Civil, fez parte do conselho da Petrobras, gerenciou com eficiência os gigantescos investimentos do PAC, dos programas de habitação popular e eletrificação rural. Dilma tem muito mais experiência administrativa, por exemplo, do que tinha o Lula, que só tinha sido parlamentar, nunca tinha administrado um orçamento, e está fazendo um bom governo.

5. “Dilma foi terrorista”.

Argumento em parte falso, em parte distorcido. Falso, porque não há qualquer prova de que Dilma tenha tomado parte de ações “terroristas”. Distorcido, porque é fato que Dilma fez parte de grupos de resistência à ditadura militar, do que deve se orgulhar, e que este grupo praticou ações armadas, o que pode (ou não) ser condenável. José Serra também fez parte de um grupo de resistência à ditadura, a AP (Ação Popular), que também praticou ações armadas, das quais Serra não tomou parte. Muitos jovens que participaram de grupos de resistência à ditadura hoje participam da vida democrática como candidatos. Alguns, como Fernando Gabeira, participaram ativamente de seqüestros, assaltos a banco e ações armadas. A luta daqueles jovens, mesmo que por meios discutíveis, ajudou a restabelecer a democracia no país e deveria ser motivo de orgulho, não de vergonha.

6. “As coisas boas do governo petista começaram no governo tucano”.

Falso. Todo governo herda políticas e programas do governo anterior, políticas que pode manter, transformar, ampliar, reduzir ou encerrar. O governo FHC herdou do governo Itamar o real, o programa dos genéricos, o FAT, o programa de combate a AIDS. Teve o mérito de manter e aperfeiçoá-los, desenvolvê-los, ampliá-los. O governo Lula herdou do governo FHC, por exemplo, vários programas de assistência social. Teve o mérito de unificá-los e ampliá-los, criando o Bolsa Família. De qualquer maneira, os resultados do governo Lula são tão superiores aos do governo FHC que o debate “quem começou o quê” torna-se irrelevante.

7. “Serra vai moralizar a política”.

Argumento inconsistente. Nos oito anos de governo tucano-pefelista - no qual José Serra ocupou papel de destaque, sendo escolhido para suceder FHC - foram inúmeros os casos de corrupção, um deles no próprio Ministério da Saúde, comandado por Serra, o superfaturamento de ambulâncias investigado pela “Operação Sanguessuga”. Se considerarmos o volume de dinheiro público desviado para destinos nebulosos e paraísos fiscais nas privatizações e o auxílio luxuoso aos banqueiros falidos, o governo tucano talvez tenha sido o mais corrupto da história do país. Ao contrário do que aconteceu no governo Lula, a corrupção no governo FHC não foi investigada por nenhuma CPI, todas sepultadas pela maioria parlamentar da coligação PSDB-PFL. O procurador da república ficou conhecido com “engavetador da república”, tal a quantidade de investigações criminais que morreram em suas mãos. O esquema de financiamento eleitoral batizado de “mensalão” foi criado pelo presidente nacional do PSDB, senador Eduardo Azeredo, hoje réu em processo criminal. O governador José Roberto Arruda, do DEM, era o principal candidato ao posto de vice-presidente na chapa de Serra, até ser preso por corrupção no “mensalão do DEM”. Roberto Jefferson, réu confesso do mensalão petista, hoje apóia José Serra. Todos estes fatos, incontestáveis, não indicam que um eventual governo Serra poderia ser mais eficiente no combate à corrupção do que seria um governo Dilma, ao contrário.

8. “O PT apóia as FARC”.

Argumento falso. É fato que, no passado, as FARC ensaiaram uma tentativa de institucionalização e buscaram aproximação com o PT, então na oposição, e também com o governo brasileiro, através de contatos com o líder do governo tucano, Arthur Virgílio. Estes contatos foram rompidos com a radicalização da guerrilha na Colômbia e nunca foram retomados, a não ser nos delírios da imprensa de extrema-direita. A relação entre o governo brasileiro e os governos estabelecidos de vários países deve estar acima de divergências ideológicas, num princípio básico da diplomacia, o da auto-determinação dos povos. Não há notícias, por exemplo, de capitalistas brasileiros que defendam o rompimento das relações com a China, um dos nossos maiores parceiros comerciais, por se tratar de uma ditadura. Ou alguém acha que a China é um país democrático?

9. “O PT censura a imprensa”.

Argumento falso. Em seus oito anos de governo o presidente Lula enfrentou a oposição feroz e constante dos principais veículos da antiga imprensa. Esta oposição foi explicitada pela presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ) que declarou que seus filiados assumiram “a posição oposicionista (sic) deste país”. Não há registro de um único caso de censura à imprensa por parte do governo Lula. O que há, frequentemente, é a queixa dos órgãos de imprensa sobre tentativas da sociedade e do governo, a exemplo do que acontece em todos os países democráticos do mundo, de regulamentar a atividade da mídia.

10. “Os jornais, a televisão e as revistas falam muito mal da Dilma e muito bem do Serra”.

Isso é verdade. E mais um bom motivo para votar nela e não nele.

(1) Alguns dados comparativos dos governos FHC e Lula.

Geração de empregos:
FHC/Serra = 780 mil x Lula/Dilma = + de 14 milhões

Salário mínimo:
FHC/Serra = 64 dólares x Lula/Dilma = 290 dólares

Mobilidade social (brasileiros que deixaram a linha da pobreza):
FHC/Serra = 2 milhões x Lula/Dilma = 27 milhões

Risco Brasil:
FHC/Serra = 2.700 pontos x Lula/Dilma = 200 pontos

Dólar:
FHC/Serra = R$ 3,00 x Lula/Dilma = R$ 1,72

Reservas cambiais:
FHC/Serra = menos 185 bilhões de dólares x Lula/Dilma = mais 239 bilhões de dólares

Relação crédito/PIB:
FHC/Serra = 14% x Lula/Dilma = 34%

Inflação:
FHC/Serra =12,5% (2002) x Lula/Dilma = 4,7% (2009)

Produção de automóveis:
FHC/Serra = queda de 20% x Lula/Dilma = aumento de 30%

Taxa de juros:
FHC/Serra = 27% x Lula/Dilma = 10,75%

(2) Elio Gaspari, na Folha de S.Paulo de 25.07.10:

José Serra começou sua campanha dizendo: "Não aceito o raciocínio do nós contra eles", e em apenas dois meses viu-se lançado pelo seu colega de chapa numa discussão em torno das ligações do PT com as Farc e o narcotráfico. Caso típico de rabo que abanou o cachorro. O destempero de Indio da Costa tem método. Se Tupã ajudar Serra a vencer a eleição, o DEM volta ao poder. Se prejudicar, ajudando Dilma Rousseff, o PSDB sairá da campanha com a identidade estilhaçada. Já o DEM, que entrou na disputa com o cocar do seu mensalão, sairá brandindo o tacape do conservadorismo feroz que renasceu em diversos países, sobretudo nos Estados Unidos.

(Retirado do Blog de Jorge Furtado)
Enviada por Marilena Silva, às 18:47 28/09/2010, de Curitiba, PR


O Brasil mudou, por isso voto em Dilma
Por Flávio Loureiro (*)

Das inúmeras razões que me levam a votar na ministra Dilma Rousseff para presidente da República, desde as conquistas simbólicas e concretas do governo Lula, passando pelo seu compromisso com as causas populares, até pelo fato de pela primeira vez na história republicana brasileira, uma mulher poder governar o país; é mister ressaltar que com ela o Brasil caminha peremptoriamente para dar a sua contribuição para que o mundo supere a lógica mercantil que viceja há mais de três décadas, rumo a um desenvolvimento social, econômica e ambientalmente sustentável.

Um desenvolvimento calcado na economia real, onde a produção e o trabalho voltem ser os protagonistas para a construção de uma cidadania internacional, em detrimento da especulação da banca financeira e dos fundos de investimentos, que produzem dinheiro e riquezas sem lastro em bens e serviços produzidos, causa direta da recente crise que abalou as convicções e os valores do capitalismo neoliberal.

Dilma é um quadro político que reúne um passado com fortes convicções ideológicas, o que a levou a ser vitimada pela prisão e tortura, um viés iluminista, verificado nas suas posturais e decisões absolutamente racionais, e um domínio sobre o processo de gestão pública estratégica – O PAC é exemplo disso -, fundamental para a condução e aprofundamento da vaga de mudanças no país, iniciadas com a advento da eleição do presidente Lula, em 2002.

Talvez este último aspecto seja o quê mais há de se ressaltar no perfil da ministra Dilma Rousseff , e sirva de contraponto e compensação ao fato dela não possuir rodagem política e eleitoral. Por outro lado, tendo ao seu lado para conduzir a sua campanha o presidente Lula, um mestre quando o assunto é eleição, e o PT, a ministra Dilma, inteligente e sensível como é, aprenderá rápido. Aliás, segundo observadores mais próximos, ela já revela sinais de claros de evolução nesse terreno.

Enfim, Dilma sucederá Lula porque o Brasil mudou, não vou aqui citar os números que comprovam tal assertiva. Mudou porque elevou a auto estima do seu povo, retirando grande parte dele da situação de miséria absoluta, gerando emprego e renda, e promovendo a mobilidade social.

E elevou a auto estima do seu povo, sobretudo, revelando que um dos seus pode ocupar o mais alto cargo público do país, e torná-lo um protagonista na cena política internacional. É, por essas e outras razões, que com o meu voto e o de milhões de brasileiros e brasileiras a ministra Dilma sucederá Lula na Presidência da República.

(*)Flávio Loureiro é jornalista e editor do Blog Notícias do PT

Fonte: http://www.blogdocampbell.com.br
Enviada por Sindicacau, às 15:25 28/09/2010, de Ilhéus, BA


Velha mídia dispara os últimos cartuchos
Na reta final da eleição, desesperada com a possibilidade de vitória definitiva de Dilma no próximo domingo, a mídia golpista “se comporta como um partido político”, conforme observou o presidente Lula, e recorre nesses dias aos últimos trunfos para evitar a derrota no primeiro turno

Por Umberto Martins

Os dois maiores jornais de São Paulo (Estadão e Folha) dedicaram seus principais editoriais do último domingo (26) à crítica ácida contra Lula e Dilma. O veículo da família Mesquita resolveu abrir o jogo e declarou apoio ao candidato tucano, José Serra, no texto intitulado “O mal a evitar”, enquanto o diário da família Frias permaneceu no armário aparentando “independência, pluralidade e apartidarismo editoriais” num texto em que alerta contra supostas ameaças à democracia provenientes do presidente (“Todo poder tem limite”).

Apesar da diferença de estilo (a Folha sempre foi mais dissimulada, desde a época da “ditabranda”, quando emprestava peruas para a repressão transportar presos políticos), os dois artigos coincidem no conteúdo e no caráter. Ambos são inspirados pela ideologia da velha direita brasileira, recheados de preconceitos, e recorrem a argumentos falsos para encobrir os verdadeiros interesses da classe que representam e defendem.

O Estadão alega que existe uma diferença entre “tomar partido” e agir como partido político ao justificar o apoio à “candidatura de José Serra”, mas os fatos provam o contrário. Monopolizada por um pequeno grupo de famílias burguesas, a grande mídia não é mais nem menos que um instrumento a serviço da direita neoliberal, uma espécie de partido golpista, que manipula fatos, produz factóides, oculta denúncias e não poupa esforços para impedir a vitória das forças progressistas.

As ideias e interesses que orientam as manchetes desses veículos refletem o reacionarismo atávico de parte das classes dominantes brasileiras. Eles não toleram que um político originário da classe operária tenha chegado à Presidência da República, ancorado em forças sociais que sempre estiveram à esquerda do espectro político.

Retrocesso neoliberal

Eles também não se conformam com a postura altiva e soberana do Brasil na diplomacia internacional, que resultou na rejeição e derrota da Alca, no fortalecimento do Mercosul e na priorização das parcerias Sul-Sul em detrimento das relações subservientes com os países imperialistas (Estados Unidos, União Europeia e Japão).

Outros pontos de discórdia são a política de valorização do salário mínimo, o proveitoso diálogo que o governo Lula mantém com os movimentos sociais, o reforço do papel do Estado no desenvolvimento econômico e, mais recentemente, os senões em relação à própria mídia, que não admite críticas e se julga dona absoluta da verdade.

O que está em jogo, por trás do falso moralismo, dos factóides e da conduta do Partido da Imprensa Golpista (PIG), são os interesses de classe dos proprietários desses meios de comunicação, interesses que, em maior ou menor medida, foram ou se julgam contrariados pelo atual governo.

Golpismo

O PIG não quer menos que a restauração do neoliberalismo no Brasil; o retorno à política de privatizações e à diplomacia dos pés descalços; a ressurreição da Alca; a submissão ao FMI; o arrocho fiscal e a redução dos salários; o aumento do desemprego e a repressão e criminalização dos movimentos sindicais.

Com um programa desta natureza, servido ao distinto público numa embalagem enganosa que aparenta a “defesa da democracia e das liberdades”, a campanha insidiosa da mídia hegemônica foi rejeitada e derrotada em 2002 e em 2006. A mensagem das urnas em 3 de outubro não será diferente, a não ser pelo fato de que os prejuízos e as baixas nas fileiras da direita neoliberal, representada na chapa demo-tucano, tendem a ser bem maiores com a definição da peleja já no primeiro turno.

Ao contrário do que alardeia, a mídia golpista não tem apreço pela democracia, muito pelo contrário. A história da posição pró-golpe assumida pelos grandes meios de comunicação em 1964 é amplamente conhecida. O apelo desesperado contra Lula e Dilma também não tem sentido democrático, mas o povo parece mais calejado e vacinado contra a ofensiva midiática. Apesar da credibilidade em baixa, o poder do PIG não deve ser subestimado.

Os últimos cartuchos usados no pleito de 2006 (factóides como imagens com dinheiro apreendidos pela PF) impediram a vitória de Lula no primeiro turno e levaram a disputa a segundo escrutínio, mas a diferença de votos entre Lula e Alckmin foi ampliada. É pouco provável que a história se repita, mas fica para as forças progressistas e para o povo mais uma preciosa uma lição sobre o verdadeiro caráter da grande mídia e o desafio de redobrar os esforços para restringir seu poder e avançar no sentido de uma efetiva democratização dos meios de comunicação no Brasil.
Enviada por Sindicacau, às 15:21 28/09/2010, de Ilhéus, BA


Dona Eva e a nova pesquisa do DataFalha
Enviada por Jansen M.C., às 09:04 28/09/2010, de São paulo, SP


Carta ao Povo Brasileiro
Em uma democracia, todo poder emana do povo, que o exerce diretamente ou pela mediação de seus representantes eleitos por um processo eleitoral justo e representativo.

Em uma democracia, a manifestação do pensamento é livre. Em uma democracia as decisões populares são preservadas por instituições republicanas e isentas como o Judiciário, o Ministério Público, a imprensa livre, os movimentos populares, as organizações da sociedade civil, os sindicatos, dentre outras.

Estes valores democráticos, consagrados na Constituição da República de 1988, foram preservados e consolidados pelo atual governo.

Governo que jamais transigiu com o autoritarismo. Governo que não se deixou seduzir pela popularidade a ponto de macular as instituições democráticas.

Governo cujo Presidente deixa seu cargo com 80% de aprovação popular sem tentar alterar casuisticamente a Constituição para buscar um novo mandato.

Governo que sempre escolheu para Chefe do Ministério Público Federal o primeiro de uma lista tríplice elaborada pela categoria e não alguém de seu convívio ou conveniência.

Governo que estruturou a polícia federal, a Defensoria Pública, que apoiou a criação do Conselho Nacional de Justiça e a ampliação da democratização das instituições judiciais.

Nos últimos anos, com vigor, a liberdade de manifestação de idéias fluiu no País. Não houve um ato sequer do governo que limitasse a expressão do pensamento em sua plenitude.

Não se pode cunhar de autoritário um governo por fazer criticas a setores da imprensa ou a seus adversários, já que a própria crítica é direito de qualquer cidadão, inclusive do Presidente da República. Estamos às vésperas das eleições para Presidente da República, dentre outros cargos.

Eleições que concretizam os preceitos da democracia, sendo salutar que o processo eleitoral conte com a participação de todos. Mas é lamentável que se queira negar ao Presidente da República o direito de, como cidadão, opinar, apoiar, manifestar-se sobre as próximas eleições.

O direito de expressão é sagrado para todos – imprensa, oposição, e qualquer cidadão. O Presidente da República, como qualquer cidadão, possui o direito de participar do processo político-eleitoral e, igualmente como qualquer cidadão, encontra-se submetido à jurisdição eleitoral.

Não se vêem atentados à Constituição, tampouco às instituições, que exercem com liberdade a plenitude de suas atribuições.

Como disse Goffredo em sua célebre Carta:

“Ao povo é que compete tomar a decisão política fundamental, que irá determinar os lineamentos da paisagem jurídica que se deseja viver”.

Deixemos, pois, o povo tomar a decisão dentro de um processo eleitoral legítimo, dentro de um civilizado embate de idéias, sem desqualificações açodadas e superficiais, e com a participação de todos os brasileiros.

ADRIANO PILATTI – Professor da PUC-Rio
AIRTON SEELAENDER – Professor da UFSC
ALESSANDRO OCTAVIANI – Professor da USP
ALEXANDRE DA MAIA – Professor da UFPE ALYSSON
LEANDRO MASCARO – Professor da USP
ARTUR STAMFORD – Professor da UFPE
CELSO ANTONIO BANDEIRA DE MELLO – Professor Emérito da PUC-SP
CEZAR BRITTO – Advogado e ex-Presidente do Conselho Federal da OAB
CELSO SANCHEZ VILARDI – Advogado
CLÁUDIO PEREIRA DE SOUZA NETO – Advogado, Conselheiro Federal da OAB e Professor da UFF
DALMO DE ABREU DALLARI – Professor Emérito da USP
DAVI DE PAIVA COSTA TANGERINO – Professor da UFRJ
DIOGO R. COUTINHO – Professor da USP
ENZO BELLO – Professor da UFF
FÁBIO LEITE – Professor da PUC-Rio
FELIPE SANTA CRUZ – Advogado e Presidente da CAARJ
FERNANDO FACURY SCAFF – Professor da UFPA e da USP
FLÁVIO CROCCE CAETANO – Professor da PUC-SP
FRANCISCO GUIMARAENS – Professor da PUC-Rio
GILBERTO BERCOVICI – Professor Titular da USP
GISELE CITTADINO – Professora da PUC-Rio
GUSTAVO FERREIRA SANTOS – Professor da UFPE e da Universidade Católica de Pernambuco
GUSTAVO JUST – Professor da UFPE
HENRIQUE MAUES – Advogado e ex-Presidente do IAB
HOMERO JUNGER MAFRA – Advogado e Presidente da OAB-ES
IGOR TAMASAUSKAS – Advogado
JARBAS VASCONCELOS – Advogado e Presidente da OAB-PA
JAYME BENVENUTO – Professor e Diretor do Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Católica de Pernambuco
JOÃO MAURÍCIO ADEODATO – Professor Titular da UFPE
JOÃO PAULO ALLAIN TEIXEIRA – Professor da UFPE e da Universidade Católica de Pernambuco
JOSÉ DIOGO BASTOS NETO – Advogado e ex-Presidente da Associação dos Advogados de São Paulo
JOSÉ FRANCISCO SIQUEIRA NETO – Professor Titular do Mackenzie
LENIO LUIZ STRECK – Professor Titular da UNISINOS
LUCIANA GRASSANO – Professora e Diretora da Faculdade de Direito da UFPE
LUÍS FERNANDO MASSONETTO – Professor da USP
LUÍS GUILHERME VIEIRA – Advogado
LUIZ ARMANDO BADIN – Advogado, Doutor pela USP e ex-Secretário de Assuntos Legislativos do Ministério da Justiça
LUIZ EDSON FACHIN – Professor Titular da UFPR
MARCELLO OLIVEIRA – Professor da PUC-Rio
MARCELO CATTONI – Professor da UFMG
MARCELO LABANCA – Professor da Universidade Católica de Pernambuco
MÁRCIA NINA BERNARDES – Professora da PUC-Rio
MARCIO THOMAZ BASTOS – Advogado
MARCIO VASCONCELLOS DINIZ – Professor e Vice-Diretor da Faculdade de Direito da UFC
MARCOS CHIAPARINI – Advogado
MARIO DE ANDRADE MACIEIRA – Advogado e Presidente da OAB-MA
MÁRIO G. SCHAPIRO – Mestre e Doutor pela USP e Professor Universitário
MARTONIO MONT’ALVERNE BARRETO LIMA – Procurador-Geral do Município de Fortaleza e Professor da UNIFOR
MILTON JORDÃO – Advogado e Conselheiro do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária
NEWTON DE MENEZES ALBUQUERQUE – Professor da UFC e da UNIFOR
PAULO DE MENEZES ALBUQUERQUE – Professor da UFC e da UNIFOR
PIERPAOLO CRUZ BOTTINI – Professor da USP
RAYMUNDO JULIANO FEITOSA – Professor da UFPE
REGINA COELI SOARES – Professora da PUC-Rio
RICARDO MARCELO FONSECA – Professor e Diretor da Faculdade de Direito da UFPR
RICARDO PEREIRA LIRA – Professor Emérito da UERJ
ROBERTO CALDAS – Advogado
ROGÉRIO FAVRETO – ex-Secretário da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça
RONALDO CRAMER – Professor da PUC-Rio
SERGIO RENAULT – Advogado e ex-Secretário da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça
SÉRGIO SALOMÃO SHECAIRA – Professor Titular da USP
THULA RAFAELLA PIRES – Professora da PUC-Rio
WADIH NEMER DAMOUS FILHO – Advogado e Presidente da OAB-RJ
WALBER MOURA AGRA – Professor da Universidade Católica de Pernambuco
Enviada por Flavia Holleben, às 23:33 27/09/2010, de Curitiba, PR


Movimentos Sindical e Social protestam contra censura tucana no PR
As seis centrais sindicais reconhecidas oficialmente, blogueiros, movimentos de mulheres, de juventude e de bairros lançaram nesta manhã, em Curitiba, um manifesto em defesa da Liberdade de Expressão e contra as tentativas do candidato da aliança demotucana ao governo do Paraná, sr.Beto Richa, em calar seus opositores através da censura via justiça eleitoral.

Todos os oradores presentes reafirmaram seus compromissos com a Liberdade e a Democracia em nosso país e estão unidos em nome de um projeto de desenvolvimento nacional sustentável que tenha os Trabalhadores, os pobres, os seres humanos, como centro de toda e qualquer ação e política de governo.

Lideranças de entidades populares e de partidos políticos denunciaram as ligações da atual coligação demotucana com o passado lernista, privatizante e desmoralizador do estado do Paraná, alertando para o fato de que o tucano estaria ainda cerceando a Liberdade de Expressão e de Imprensa, inaugurando um período de trevas no estado ao proibir a divulgação de pesquisas de opinião pública, censurar blogs, revistas e processar jornalistas e empresas de comunicação.

Na semana passada, Beto usou a justiça eleitoral para proibir a divulgação de pesquisas do Datafolha, Ibope e Vox Populi, alegando erros de amostragem.

Ok! Três grandes institutos de pesquisas reconhecidos nacionalmente, dois dos quais prediletos dos tucanos, teriam cometido o mesmo erro?

Ontem à noite, Beto Richa teria pedido que fosse censurada a revista Istoé, que aponta grande virada do adversário pedetista.

Quanta coincidência!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 12:16 27/09/2010, de Curitiba, PR


Demotucanos no PR tentam censurar Istoé
Segundo o Blog do Esmael, já censurado pela justiça paranaense a pedido dos demotucanos locais, a turma do Beto Richa teria conseguido mais uma "vitória" na justiça.

Depois de censurar vários blogs, impedir a circulação da edição extra de um jornal local de Curitiba, bloquear a divulgação dos resultados de 3 pesquisas de opinião pública, a justiça local teria rapidamente reagido a mais um pedido de censura feito pela coligação demotucana de Beto Richa, aliado de serrabaixo. O alvo desta vez é uma edição nacional, a revista Istoé.

Tudo porque num trecho de um artigo os repórteres da revista afirmam "No Paraná, a onda vermelha já proporcionou uma grande virada. As últimas pesquisas mostram que o tucano Beto Richa, antes favorito ao governo, perdeu o primeiro lugar para Osmar Dias (PDT). Teria sido suficiente para os demotucanos pedirem a censura e a justiça aceitar rapidamente.

Os demotucanos são realmente um caso a estudar. Algum dia serão decifrados estes incríveis códigos por eles usados. Vivem a acusar o PT e Lula de serem contra a liberdade de imprensa, mas adoram pedir à justiça que censure toda e qualquer publicação que possa contradizer aquilo que eles dizem.

Por que pisotear a Liberdade de Expressão?

O que tanto temem?

Por que precisam da censura?

Não gostariam eles das decisões autônomas e soberanas do povo?

Teriam eles algum problema com a verdade das ruas?

Nota: Na manhã desta segunda 27.09.2010, a revista Istoé se encontra à venda na bancas de jornais. Jornaleiros entrevistados por este site dizem não ter sido comunicados sobre o possível recolhimento da edição.
Aguardemos o desenrolar dos fatos.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 01:47 27/09/2010, de Curitiba, PR


Leonardo Boff: A mídia comete sim abusos ao atacar Lula e Dilma
O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de ideias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa. Está havendo um abuso da liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a distorção e a mentira direta.

Sou profundamente pela liberdade de expressão em nome da qual fui punido com o "silêncio obsequioso" pelas autoridades do Vaticano. Sob risco de ser preso e torturado, ajudei a editora Vozes a publicar corajosamente o "Brasil Nunca Mais", onde se denunciavam as torturas, usando exclusivamente fontes militares, o que acelerou a queda do regime autoritário.

Esta história de vida me avalisa fazer as críticas que ora faço ao atual enfrentamento entre o Presidente Lula e a midia comercial que reclama ser tolhida em sua liberdade. O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de ideias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa. Está havendo um abuso da liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a distorção e a mentira direta.

Precisamos dar o nome a esta mídia comercial. São famílias que, quando veem seus interesses comerciais e ideológicos contrariados, se comportam como "famiglia" mafiosa. São donos privados que pretendem falar para todo Brasil e manter sob tutela a assim chamada opinião pública. São os donos de O Estado de São Paulo, de A Folha de São Paulo, de O Globo, da revista Veja, na qual se instalou a razão cínica e o que há de mais falso e chulo da imprensa brasileira. Estes estão a serviço de um bloco histórico assentado sobre o capital que sempre explorou o povo e que não aceita um Presidente que vem desse povo. Mais que informar e fornecer material para a discusão pública, pois essa é a missão da imprensa, esta mídia empresarial se comporta como um feroz partido de oposição.

Na sua fúria, quais desesperados e inapelavelmente derrotados, seus donos, editorialistas e analistas não têm o mínimo respeito devido a mais alta autoridade do país, ao Presidente Lula. Nele veem apenas um peão a ser tratado com o chicote da palavra que humilha.

Mas há um fato que eles não conseguem digerir em seu estômago elitista. Custa-lhes aceitar que um operário, nordestino, sobrevivente da grande tribulação dos filhos da pobreza, chegasse a ser Presidente. Este lugar, a Presidência, assim pensam, cabe a eles, os ilustrados, os articulados com o mundo, embora não consigam se livrar do complexo de vira-latas, pois se sentem meramente menores e associados ao grande jogo mundial. Para eles, o lugar do peão é na fábrica produzindo.

Como o mostrou o grande historiador José Honório Rodrigues (Conciliação e Reforma), "a maioria dominante, conservadora ou liberal, foi sempre alienada, antiprogresssita, antinacional e não contemporânea. A liderança nunca se reconciliou com o povo. Nunca viu nele uma criatura de Deus, nunca o reconheceu, pois gostaria que ele fosse o que não é. Nunca viu suas virtudes, nem admirou seus serviços ao país, chamou-o de tudo -Jeca Tatu-; negou seus direitos; arrasou sua vida e logo que o viu crescer ela lhe negou, pouco a pouco, sua aprovação; conspirou para colocá-lo de novo na periferia, no lugar que contiua achando que lhe pertence (p.16)".

Pois esse é o sentido da guerra que movem contra Lula. É uma guerra contra os pobres que estão se libertando. Eles não temem o pobre submisso. Eles têm pavor do pobre que pensa, que fala, que progride e que faz uma trajetória ascedente como Lula. Trata-se, como se depreende, de uma questão de classe. Os de baixo devem ficar em baixo. Ocorre que alguém de baixo chegou lá em cima. Tornou-se o Presidente de todos os brasileiros. Isso para eles é simplesmente intolerável.

Os donos e seus aliados ideológicos perderam o pulso da história. Não se deram conta de que o Brasil mudou. Surgiram redes de movimentos sociais organizados, de onde vem Lula, e tantas outras lideranças. Não há mais lugar para coroneis e para "fazedores de cabeça" do povo. Quando Lula afirmou que "a opinião pública somos nós", frase tão distorcida por essa midia raivosa, quis enfatizar que o povo organizado e consciente arrebatou a pretensão da midia comercial de ser a formadora e a porta-voz exclusiva da opinião pública. Ela tem que renunciar à ditadura da palabra escrita, falada e televisionada e disputar com outras fontes de informação e de opinião.

O povo cansado de ser governado pelas classes dominantes resolveu votar em si mesmo. Votou em Lula como o seu representante. Uma vez no Governo, operou uma revolução conceptual, inaceitável para elas. O Estado não se fez inimigo do povo, mas o indutor de mudanças profundas que beneficiaram mais de 30 milhões de brasileiros. De miseráveis se fizeram pobres laboriosos, de pobres laboriosos se fizeram classe média baixa e de classe média baixa de fizeram classe média. Começaram a comer, a ter luz em casa, a poder mandar seus filhos para a escola, a ganhar mais salário, em fim, a melhorar de vida.

Outro conceito inovador foi o desenvolvimento com inclusão soicial e distribuição de renda. Antes havia apenas desenvolvimento/crescimento que beneficiava aos já beneficiados à custa das massas destituidas e com salários de fome. Agora ocorreu visível mobilização de classes, gerando satisfação das grandes maiorias e a esperança que tudo ainda pode ficar melhor. Concedemos que no Governo atual há um déficit de consciência e de práticas ecológicas. Mas, importa reconhecer que Lula foi fiel à sua promessa de fazer amplas políticas públicas na direção dos mais marginalizados.

O que a grande maioria almeja é manter a continuidade deste processo de melhora e de mudança. Ora, esta continuidade é perigosa para a mídia comercial que assiste, assustada, ao fortalecimento da soberania popular que se torna crítica, não mais manipulável e com vontade de ser ator dessa nova história democrática do Brasil. Vai ser uma democracia cada vez mais participativa e não apenas delegatícia. Esta abria amplo espaço à corrupção das elites e dava preponderância aos interesses das classes opulentas e ao seu braço ideológico que é a mídia comercial. A democracia participativa escuta os movimentos sociais, faz do Movimento dos Sem Terra (MST), odiado especialmente pela VEJA, que faz questão de não ver; protagonista de mudanças sociais não somente com referência à terra, mas também ao modelo econômico e às formas cooperativas de produção.

O que está em jogo neste enfrentamento entre a midia comercial e Lula/Dilma é a questão: que Brasil queremos? Aquele injusto, neocoloncial, neoglobalizado e, no fundo, retrógrado e velhista; ou o Brasil novo com sujeitos históricos novos, antes sempre mantidos à margem e agora despontando com energias novas para construir um Brasil que ainda nunca tínhamos visto antes?

Esse Brasil é combatido na pessoa do Presidente Lula e da candidata Dilma. Mas estes representam o que deve ser. E o que deve ser tem força. Irão triunfar a despeito das más vontades deste setor endurecido da midia comercial e empresarial. A vitória de Dilma dará solidez a este caminho novo ansiado e construido com suor e sangue por tantas gerações de brasileiros.
Enviada por Maggiar Villar, às 10:18 24/09/2010, de Twitter


Vídeo-aula: O que é Partido da Imprensa Golpista
Enviada por Carlos Latuff, às 09:39 24/09/2010, de Rio de Janeiro, RJ


Liberdade de expressão: um ato para a história
Transcrevo o brilhante texto de relato do jornalista Renato Rovai (Revista Fórum) sobre o Ato dessa noite em São Paulo (23/09), junto com a Carta "Pela Ampla Liberdade de Expressão no Brasil", que deve ser divulgada por todos os cantos possíveis (ajudem a espalhá-la!) - Sergio Telles

Por Renato Rovai, da Revista Fórum, Blog do Rovai

O Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo viveu um dos seus melhores dias nesta quinta-feira à noite.

Eram 18h15 quando este blogueiro chegou ao local e mais de cinquenta pessoas já se aglomeravam no auditório Wladimir Herzog, que tem capacidade para 100 pessoas sentadas.

O ato começaria às 19h, registre-se.

Entramos numa das salas da diretoria da entidade pra discutir os encaminhamentos do evento e quando saimos, umas 18h45, o auditório já está lotado.

O ato começou às 19h20. Éramos umas 300 pessoas no auditório e uma fila de mais de 100 tentando entrar.

Ao fim, os mais pessimistas falavam em 600 presentes. E os otimistas em mais de 1 mil. Este blogueiro arrisca dizer que de 700 a 800 pessoas estiveram no Sindicato dos Jornalistas nesta quinta à noite.

Havia gente no corredor, no saguão do prédio e na rua. Algo impressionante.

E gente de diversos lugares. Um número considerável de pessoas de outras cidades e até de outros estados.

Além da presença de muitos veículos da mídia independente e livre, o que surpreendeu foi a presença maciça de órgãos da mídia tradicional. Provavelmente esses veículos esperavam que algo fosse dar errado. Ou imaginavam que a gente repetiria o fiasco do ato que ajudaram a promover na tarde de ontem na Faculdade do Largo São Francisco. E que não juntou nem 100 pessoas.

De qualquer forma é importante que se registre aqui que a relação com a imprensa comercial foi absolutamente respeitosa. Nenhum jornalista teve qualquer dificuldade pra realizar o seu trabalho.

Posso assegurar, porque fiz essa mediação, que todos foram tratados de forma democrática e respeitosa.

Havia gente do Globo, do Estadão, da Folha, da Record, da Veja etc.

Da mesa do participaram representantes da CUT, CTB, CGTB, Nova Central Sindical, MST, Altercom, Barão de Itararé, Sindicato dos Jornalistas, PDT, PCdoB e PSB.

Pelo PSB falou a deputada federal Luiza Erundina. Ela encerrou o encontro e foi a mais aplaudida da noite.

Segue a carta lida pelo Altamiro Borges, em nome do Centro de Estudos Barão de Itararé. É importante que ela seja divulgada para todos os cantos possíveis.

Pela ampla liberdade de expressão no Brasil

O ato "contra o golpismo midiático e em defesa da democracia", proposto e organizado pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, adquiriu uma dimensão inesperada.

Alguns veículos da chamada grande imprensa atacaram esta iniciativa de maneira caluniosa e agressiva. Afirmaram que o protesto é "chapa branca", promovido pelos "partidos governistas" e por centrais sindicais e movimentos sociais "financiados pelo governo Lula". De maneira torpe e desonesta, estamparam em suas manchetes que o ato é "contra a imprensa".

Diante destas distorções, que mais uma vez mancham a história da imprensa brasileira, é preciso muita calma e serenidade. Não vamos fazer o jogo daqueles que querem tumultuar as eleições e deslegitimar o voto popular, que querem usar imagens da mídia na campanha de um determinado candidato. Esta eleição define o futuro do país e deveria ser pautada pelo debate dos grandes temas nacionais, pela busca de soluções para os graves problemas sociais. Este não é momento de baixarias e extremismos.

Para evitar manipulações, alguns esclarecimentos são necessários:

1. A proposta de fazer o ato no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo teve uma razão simbólica. Neste auditório que homenageia o jornalista Vladimir Herzog, que lutou contra a censura e foi assassinado pela ditadura militar, estão muitos que sempre lutaram pela verdadeira liberdade de expressão, enquanto alguns veículos da "grande imprensa" clamaram pelo golpe, apoiaram a ditadura "que torturou, matou, perseguiu e censurou jornalistas e patriotas" e criaram impérios durante o regime militar. Os inimigos da democracia não estão no auditório Vladimir Herzog. Aqui cabe um elogio e um agradecimento à diretoria do sindicato, que procura manter este local como um espaço democrático, dos que lutam pela verdadeira liberdade de expressão no Brasil.

2. O ato, como já foi dito e repetido "mas, infelizmente, não foi registrado por certos veículos e colunistas", foi proposto e organizado pelo Centro de Estudos Barão de Itararé, entidade criada em maio passado, que reúne na sua direção, ampla e plural, jornalistas, blogueiros, acadêmicos, veículos progressistas e movimentos sociais que lutam pela democratização da comunicação. Antes mesmo do presidente Lula, no seu legítimo direito, criticar a imprensa "partidarizada" nos comícios de Juiz de Fora e Campinas, o protesto contra o golpismo midiático já estava marcado. Afirmar o contrário, insinuando que o ato foi "orquestrado", é puro engodo. Tentar partidarizar um protesto dos que discordam da cobertura da imprensa é tentar, isto sim, censurar e negar o direito à livre manifestação, o que fere a própria Constituição. É um gesto autoritário dos que gostam de criticar, mas não aceitam críticas e que se acham acima do Estado de Direito.

3. Esta visão autoritária, contrária aos próprios princípios liberais, fica explícita quando se tenta desqualificar a participação no ato das centrais sindicais e dos movimentos sociais, acusando-os de serem "ligados ao governo". Ou será que alguns estão com saudades dos tempos da ditadura, quando os lutadores sociais eram perseguidos e proibidos de se manifestar? O movimento social brasileiro tem elevado sua consciência sobre o papel estratégico da mídia. Ele é vítima constante de ataques, que visam criminalizar e satanizar suas lutas. Greves, passeatas, ocupações de terra e outras formas democráticas de pressão são tratadas como "caso de polícia", relembrando a Velha República. Nada mais justo que critiquem os setores golpistas e antipopulares da velha mídia. Ou será que alguns veículos e até candidatos, que repetem o surrado bordão da "república sindical", querem o retorno da chamada "ditabranda", com censura, mortos e desaparecidos? O movimento social sabe que a democracia é vital para o avanço de suas lutas e para conquista de seus direitos. Por isso, está aqui! Ele não se intimida mais diante do terrorismo midiático.

4. Por último, é um absurdo total afirmar que este ato é "contra a imprensa" e visa "silenciar" as denúncias de irregularidades nos governos. Só os ingênuos acreditam nestas mentiras. Muitos de nós somos jornalistas e sempre lutamos contra qualquer tipo de censura (do Estado ou dos donos da mídia), sempre defendemos uma imprensa livre (inclusive da truculência de certas redações). Quem defende golpes e ditaduras, até em tempos recentes, são alguns empresários retrógrados do setor. Quem demite, persegue e censura jornalistas são os mesmos que agora se dizem defensores da "liberdade de imprensa". Somos contra qualquer tipo de corrupção, que onera os cidadãos, e exigimos apuração rigorosa e punição exemplar dos corruptos e dos corruptores. Mas não somos ingênuos para aceitar um falso moralismo, típico udenismo, que é unilateral no denuncismo, que trata os "amigos da mídia" como santos, que descontextualiza denúncias, que destrói reputações, que desrespeita a própria Constituição, ao insistir na "presunção da culpa". Não é só o filho da ex-ministra Erenice Guerra que está sob suspeição; outros filhos e filhas, como provou a revista CartaCapital, também mereceriam uma apuração rigorosa e uma cobertura isenta da mídia.

5- Neste ato, não queremos apenas desmascarar o golpismo midiático, o jogo sujo e pesado de um setor da imprensa brasileira. Queremos também contribuir na luta em defesa da democracia. Esta passa, mais do que nunca, pela democratização dos meios de comunicação. Não dá mais para aceitar uma mídia altamente concentrada e perigosamente manipuladora. Ela coloca em risco a própria a democracia. Vários países, inclusive os EUA, adotam medidas para o setor. Não propomos um “controle da mídia”, termo que já foi estigmatizado pelos impérios midiáticos, mas sim que a sociedade possa participar democraticamente na construção de uma comunicação mais democrática e pluralista. Neste sentido, este ato propõe algumas ações concretas:

- Desencadear de imediato uma campanha de solidariedade à revista CartaCapital, que está sendo alvo de investida recente de intimidação. É preciso fortalecer os veículos alternativos no país, que sofrem de inúmeras dificuldades para expressar suas idéias, enquanto os monopólios midiáticos abocanham quase todo o recurso publicitário. Como forma de solidariedade, sugerimos que todos assinemos publicações comprometidas com a democracia e os movimentos sociais, como a Carta Capital, Revista Fórum, Caros Amigos, Retrato do Brasil, Jornal Brasil de Fato, Revista do Brasil, Hora do Povo entre outros; sugerimos também que os movimentos sociais divulguem em seus veículos campanhas massivas de assinaturas destas publicações impressas;

- Solicitar, através de pedidos individuais e coletivos, que a vice-procuradora regional eleitoral, Dra. Sandra Cureau, peça a abertura dos contratos e contas de publicidade de outras empresas de comunicação – Editora Abril, Grupo Folha, Estadão e Organizações Globo –, a exemplo do que fez recentemente com a revista CartaCapital. É urgente uma operação “ficha limpa” na mídia brasileira. Sempre tão preocupadas com o erário público, estas empresas monopolistas não farão qualquer objeção a um pedido da Dra. Sandra Cureau. - Deflagrar uma campanha nacional em apoio à banda larga, que vise universalizar este direito e melhorar o PNBL recentemente apresentado pelo governo federal. A internet de alta velocidade é um instrumento poderoso de democratização da comunicação, de estimulo à maior diversidade e pluralidade informativas. Ela expressa a verdadeira luta pela “liberdade de expressão” nos dias atuais. Há forte resistência à banda larga para todos, por motivos políticos e econômicos óbvios. Só a pressão social, planejada e intensa, poderá garantir a universalização deste direito humano.

- Apoiar a proposta do jurista Fábio Konder Comparato, encampada pelas entidades do setor e as centrais sindicais, do ingresso de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) por omissão do parlamento na regulamentação dos artigos da Constituição que versam sobre comunicação. Esta é uma justa forma de pressão para exigir que preceitos constitucionais, como o que proíbe o monopólio no setor ou o que estimula a produção independente e regional, deixem de ser letra morta e sejam colocados em prática. Este é um dos caminhos para democratizar a comunicação.

- Redigir um documento, assinado por jornalistas, blogueiros e entidades da sociedade civil, que ajude a esclarecer o que está em jogo nas eleições brasileiras e que o papel da chamada grande imprensa tem jogado neste processo decisivo para o país. Ele deverá ser amplamente divulgado em nossos veículos e será encaminhado à imprensa internacional.

Publicado também por Opiniões - Sergio Telles e redecastorphoto
Enviada por Castor Filho, às 09:33 24/09/2010, de Internet


Articulações entre militares e imprensa sempre acabam mal para o povo brasileiro
A companheirada que lê este modesto site pode estar se perguntando:

- por que estaríamos nós tão preocupados com esta questão da Liberdade de Expressão e a velha mídia?

- o que essa tal Liberdade de Expressão tem a ver com o movimento sindical e com a Classe Trabalhadora?

Sejamos diretos. Estamos preocupados porque toda vez que a velha mídia se junta ao militares aqui no Brasil isso termina em golpe de Estado.

E toda vez que tem Golpe de Estado no Brasil os primeiros a levar a porrada são os Trabalhadores e os Movimentos Sindical e Social.

Somos nós, os Trabalhadores, os Sindicalistas e os ativistas sociais, os primeiros a ir para o xilindró.

Somos os primeiros a enfrentar
a fila de soldados, quase todos pretos
Dando porrada na nuca de malandros pretos
De "ladrões" mulatos
E outros quase brancos
Tratados como pretos
Só pra mostrar aos outros quase pretos
(E são quase todos pretos)
E aos quase brancos pobres como pretos
Como é que pretos, pobres e mulatos
E quase brancos quase pretos de tão pobres são tratados...
Mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos
Ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres
E todos sabem como se tratam os pretos

como terrivelmente nós lembram as palavras da canção "Haiti" de Gil e Caetano.

O script é sempre o mesmo

Inicialmente a velha mídia começa a levantar casos de "corrupção", verdadeiros ou não, "investiga-os" e passa a atacar o governo sistematicamente, com uma enxurrada de mentiras e casos produzidos nas redações do Rio e de SP. Depois começam as reuniões dos milicos preocupados com as "liberdades" e com a "democracia" e mais tarde entram as corolas e os fundamentalistas religiosos "defendendo" deus, família e propriedade. Assim foi contra Getúlio (em 54), Juscelino e Jango.

Quer exemplo maior de mentira que o Plano Cohen, escrito pelo então capitão do exército e membro do Ação Integralista Brasileira, organização de caráter nazi-fascista, Olímpio Mourão (*), atribuído aos comunistas e que serviu de justificativa para o Golpe de Estado de 1937?

Ou ainda a história de que um dos maiores latifundiários do Brasil e do Uruguai, o sr. João Goulart, queria implantar no Brasil uma república sindicalista, quando na verdade só queria fazer umas reforminhas para deixar a fachada do Brasil um pouco menos feia?

Pois é sempre assim.

Primeiro eles semeiam a mentira e a cultivam todos os dias como se verdade fosse. Depois vem a reação dos governantes Democráticos e/ou Populares, criticando a parcialidade, a falta de objetividade e de verdade nas denúncias veículadas pela velha mídia. Pronto! está armado o circo para o PiG dizer que estão atacando a Liberdade de Imprensa e convoca-se os milicos.

Os militares e o PiG, ou seja, a direita, sempre "defendem" a Democracia aviltando-a, violando-a, massacrando-a. São os verdadeiros aloprados.

Eles sempre invertem os sinais e tudo o que dizem contra nós na verdade é aquilo que eles sempre fazem.

Quem não se lembra do confisco da poupança?

Em 1989 Collor aterrorizou o país com a ideia de que Lula confiscaria as poupanças, não é mesmo?

Pois bem, uma vez eleito, Collor foi lá e confiscou tudo o que os brasileiros tinham em suas contas bancárias...

Em 2002, depois de 8 anos de desgoverno demotucano neoliberal de FHC, depois de 3 falências do país e brutais empréstimos do FMI aos quais o país teve que recorrer, serrabaixo e sua mídia espalharam a teoria do medo, dizendo que com Lula o Brasil enfrentaria uma crise pior que a da Argentina que havia explodido no final de 2001.

Ora, pois, não é que passados 8 anos de Lula, o Brasil não só NÃO entrou em crise uma só vez sequer, como enfrentou a pior crise econômica internacional sem sentí-la, gerou mais de 14 milhões de empregos, pagou a dívida externa e ainda empresta dinheiro ao FMI, sem deixar de crescer social e economicamente a taxas nunca dantes vistas em tempos de Democracia e Liberdades Civis.

Mas mesmo assim os milicanalhas e tucanalhas querem o Golpe, pois eles preferemn o cheiro dos cavalos ao cheiro do povo.

Eles só gostam da massa "cheirosa", da imprensa "limpinha", que a troco de milhões e milhões recebidos do Estado vivem a puxar o saco dos demotucanos e a esculhambar o povo brasileiro e seus representantes.

Se um deles rouba milhões de toda a nação e é investigado pela Polícia Federal, logo eles gritam, esperneiam, se escandalizam: "é preseguição políííítica". "Algema não pode".

Se um de nós, faminto, pega uma galinha para comer, eles não titubeiam em criminalizar: "é meliante, ladrão, marginal, bandido, sem-vergonha". "Xilindró nele".

Os acontecimentos dos últimos dias nos levam a crer que o script de sempre está sendo ensaiado outra vez. E não só isso. As representações da farsa já começaram com serrabaixo fazendo uma campanha presidencial de baixíssimo nível, com o PiG "achando" e criando denúncias e mais denúncias contra o Governo Lula, contra Dilma, contra o PT, com as reuniões nos Clubes Militares, com as mentiras veiculadas na internet (via twitter, Youtube, e-mail, etc).

Está tudo bem articulado e bem armado, seguindo sempre a mesma ideia central: Tudo que vem do povo é corruto, ladrão, autoritário e mal-cheiroso. Tudo que vem da elite branca, seja a merda que for, é limpinho, democrático, bom e correto.

É o vômito, expressão maior de todo o ódio de classe que a direita brasileira sente pelo povo. E quando isso acontece, sobra o Golpe em cima de nossas cabeças.

Portanto, a questão da Liberdade de Expressão e da velha mídia nos preocupa e muito. Porque sem Liberdade de Expressão, diminuem os espaços e as oportunidades para nos organizarmos livremente e avançarmos nas conquistas de direitos econômicos e sociais.

Sem Liberdade de Expressão fica mais difícil discutir e divulgar ao mundo as ideias e ações do movimento dos Trabalhadores.

Sem Liberdade de Expressão fica mais dificil se defender das mentiras e da criminalização dos pobres e Trabalhadores tão divulgadas pela direita e sua velha mídia.

Queremos e defendemos a Liberdade de Expressão, pois queremos ver o Brasil desenvolvido economica, politica e socialmente, com garantias democráticas, economicas e sociais, com Liberdades Plenas e com uma Democracia Direta e Punjante.

Eles querem o passado. Nós o presente e o futuro.

A elite branca não deixará de cortar as flores. Nós nunca nos cansaremos de brindar a primavera, pois queiram eles ou não ela sempre chega.

(*) Foi o mesmo Olímpio Mourão, já general, quem colocou as tropas lotadas em Juiz de Fora nas ruas em 01 de abril de 1964, dando início ao período mais obscuro da história nacional - a ditadura civico-militar que durou 21 anos.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 09:02 24/09/2010, de Curitiba, PR


Juventude enfrenta golpistas do Clube Militar
Reproduzo abaixo matéria do meu amigo e blogueiro Theófilo Rodrigues, sobre a manifestação feita hoje pela União da Juventude Socialista (UJS) em frente ao Clube Militar, contra o golpismo da mídia e contra a conspiração entre intelectuais (?) de mídia e membros do exército. Lembremos que as Forças Armadas devem obediência ao presidente da República, que é o Comandante em Chefe; muito estranho o Clube Militar, portanto, bancar um convescote de hidrófobos da oposição midiática (Merval e Reinaldo) para falar mal do próprio Comandante, e ainda botarem soldados do Exército, como fizeram, para agredir jovens cidadãos que nada fizeram que exercer o seu direito de protestar.

Jovens fazem ato político em frente ao Clube Militar do Rio de Janeiro

O Clube Militar do Rio de Janeiro convocou hoje seus generais para uma reunião com os jornalistas Merval Pereira (O Globo) e Reinaldo Azevedo (Veja). A convocação, intitulada “Democracia ameaçada: restrições à liberdade de imprensa”, afirmava que o Brasil passa por momentos difíceis para a imprensa.

Esta foi a senha para que a União da Juventude Socialista (UJS) convocasse os movimentos sociais do Rio de Janeiro para um representativo ato na porta do Clube Militar. Cerca de 50 jovens seguravam cartazes com palavras de ordem como “Liberdade de imprensa não é liberdade de empresa” ou “Globo + Militares = Golpe”.

Segundo Monique Lemos, presidenta da UJS, “os militares não possuem nenhuma credibilidade para falar em democracia ou em liberdade de expressão”.

Já o diretor da União Nacional dos Estudantes (UNE), Daniel Iliescu, lembrou o processo de Conferência Nacional de Comunicação que ocorreu no fim do ano passado. “A Globo boicotou vergonhosamente o processo democrático de Conferência Nacional de Comunicação que pretende democratizar a mídia no país” afirmou Iliescu.

Um momento marcante se deu quando nomes de jovens mortos pela ditadura foram lembrados, como Honestino Guimarães, Helenira Rezende, Osvaldão, Mauricio Grabois, Stuart Angel e Edson Luís, entre tantos outros.

Uma das preocupações dos manifestantes é a de que não ocorra esse ano no Brasil o que já aconteceu em 1964 com João Goulart, em 1973 com Salvador Allende e em 2002 com Hugo Chavez na Venezuela. Para o Secretário de Formação da UJS, Theófilo Rodrigues, “a mídia mostra dia após dia que não está disposta a aceitar a eleição democrática de Dilma Rousseff”.

A tranqüilidade do ato foi quebrada apenas pelos empurrões dados por soldados do exército e por um revoltado advogado do Clube Militar que quebrou o microfone da caixa de som da UJS.

Publicado originalmente no blog Fatos Sociais.

Publicado também por Óleo do Diabo e redecastorphoto
Enviada por Castor Filho, às 07:29 24/09/2010, de Internet


Guerra aberta
Por Wladimir Pomar

Se antes poderia haver alguma dúvida, entre alguns setores da campanha Dilma, de que a guerra contra a candidata petista se tornaria aberta, suja e sem qualquer limite, talvez a última semana tenha sido a demonstração clara de que tais dúvidas não passavam de ilusões infantis.

Veja, Globo, Folha de S. Paulo, Estadão e outros órgãos da famosa grande imprensa, o chamado quarto poder, não demonstram qualquer preocupação em serem vistos como a artilharia pesada dessa guerra. Suas manchetes diárias e semanais são sempre, inexoravelmente, a pirita garimpada em investigações cuja credibilidade dificilmente pode ser comprovada. Para quem criou o escândalo da Escola Base e outros, forjados nas cozinhas das redações, que diferença faz criar estes, em que se joga o destino da política que essa grande imprensa defende?

"Cartas abertas", assinadas por "personalidades" que talvez não saibam que seus nomes estão sendo utilizados, repetem pela Internet os antigos e surrados argumentos anti-Lula e anti-PT, que pareciam enterrados desde 2002. Bolsões reacionários de militares da reserva saem a público para ameaçar golpes. FHC compara Lula a Mussolini e apela a forças ocultas para barrar a caminhada do petismo. E, em drops da imprensa, repetem-se os comentários que sustentam as possíveis semelhanças do governo Lula com Vargas e seu fim.

Se a campanha Dilma e a direção do PT continuarem ignorando esse conjunto de sinais de desespero de uma direita reacionária que tinha como certa sua volta ao governo, o caminho para o segundo turno e até para uma derrota podem estar traçados. Essa direita não vai se contentar com a saída de Erenice da Casa Civil e quase certamente jogará novos pacotes podres sobre a mesa, na expectativa de que o governo, o PT e a campanha Dilma continuem cometendo erros, e ignorando a natureza da atual ofensiva oposicionista.

Os dados do Instituto Datafolha, divulgados no dia 16/9, parecem moldados de forma que o PT e a campanha Dilma continuem acreditando que vencerão no primeiro turno, sem necessidade de qualquer reação maior. Dilma marcou 51% das preferências eleitorais, enquanto Serra se manteve com 27% das intenções de voto, e Marina seguiu com 11%. Aparentemente, o melhor dos mundos.

No entanto, podem-se descobrir algumas surpresas nessa pesquisa, desde que se coloque de lado a euforia e se busquem as tendências reais. Entre os eleitores bem informados, a intenção de votos em Dilma desceu para 46%, enquanto em Serra subiu para 33%, e em Marina para 14%. Com isso compreende-se por que a grande imprensa vem martelando incessantemente para ‘informar’ o eleitorado sobre os ‘fatos’ que tem criado nos bastidores, mesmo que tais ‘fatos’ não passem de falsificações. Se conseguir que o conjunto do eleitorado se deixe convencer por essas informações falsas, o segundo turno estará configurado.

É significativo que Dilma tenha caído na preferência do eleitorado, em caso de segundo turno, em estados como Rio Grande do Sul e Paraná, assim como em Brasília. E que sua subida em outros estados e cidades importantes tenha se mantido dentro da margem de erro. Este pode ser um sinal de que o ritmo de crescimento da candidatura Dilma foi afetado pelas denúncias e escândalos criados pela aliança do tucano-pefelismo com a grande imprensa, embora ainda não de forma avassaladora.

Nos próximos quinze dias antes das eleições, se a campanha Dilma e o PT não forem suficientemente ágeis para criar mobilizações massivas, passar ao contra-ataque na diferenciação entre seu projeto político e o projeto de Serra e Marina, e gerar fatos políticos de repercussão, a corrosão da candidatura Dilma pode chegar àquele nível procurado pelo quarto poder.

Feito isso, a grande imprensa continuará convencida de que é capaz de moldar a opinião pública com mentiras e falsificações, da mesma forma que Goebbels e outros gurus da comunicação de massa acreditavam. E, certamente, configurado o segundo turno, virá com armas ainda mais letais. Se a meta da campanha Dilma é evitar que isso aconteça, esta é a semana decisiva para revirar o jogo.
Enviada por Jansen M.C., às 14:53 23/09/2010, de São Paulo, SP


PiG é piada, sua imparcialidade também
Enviada por Fábio de Godoy, às 00:38 23/09/2010, de Taubaté, SP


Dados de Lula e outras autoridades são vendidos na Santa Efigênia
Já faz tempo que o vídeo abaixo foi veículado.

Por que o assunto não despertou o interesse de ninguém à época de sua divulgação pelo SBT?

A quem interessaria deixar a coisa rolando sem investigação?

A serviço de quem estão nossos orgãos de segurança?

Enviada por Fábio de Godoy, às 23:54 22/09/2010, de Taubaté, SP


Os delírios de Soninha e o metrô dos horrores
PO Mauro Carrara

Soninha Francine faz de conta que é moderna e descolada.

Anda de motoquinha por aí e frequenta baladinhas de gente mais jovem que ela.

Até aí, excelente!

Do ponto de vista político, no entanto, é tão velha e embolorada quanto um Carlos Lacerda e sua UDN.

Tempos atrás, ameaçou me processar.

Ela que é jornalista e vive acusando o PT de tentar "cercear a liberdade de expressão", não foi capaz de assimilar civilizadamente minha crítica, publicada no canal virtual do colega Azenha.

Em geral, Soninha não lida bem com a opinião divergente.

Não gosta de ser questionada e sua defesa costumeiramente se inicia pela tentativa de desqualificação do adversário.

Preferiu "berrar" antes de explicar as condutas de seu PPS, agremiação que assassinou a tradição de luta do Partido Comunista e se tornou mero braço bajulador da direita brasileira.

Nesta terça-feira do Setembro de Fogo, em São Paulo, assistimos mais uma vez a momentos de tensão, medo e horror no metrô paulistano.

Tudo em razão da "blusa assassina" que travou a porta de um vagão.

Já vem se tornando rotina.

Composições hiperlotadas, confusão nas estações, trens que estancam entre as estações.

Faltam investimentos, a ampliação da rede é lentíssima e todo o sistema é gerido como um botequim, por pessoas de competência duvidosa, nomeadas pelo governo do PSDB.

O caos é resultado da administração preguiçosa dos tucanos em São Paulo, os mesmos que afundam a cidade em rios de lama nos meses de verão.

Agora, Soninha é a coordenadora da campanha na Internet do candidato do PSDB à presidência, José Serra.

E logo após os problemas do metrô, a ex-VJ resolveu levianamente insinuar que o PT era o responsável pelo caos na cidade.

Escreveu no Twitter:

Metro de SPaulo tem problema na proporção direta da proximidade com a eleição. Coincidência? #Sabotagem#valetudo#medo.

A atitude irresponsável funda-se na crença da impunidade, compartilhada pelos jornalistas da grande imprensa, e na antiga tática tucana de atirar aos adversários a culpa por seus próprios fracassos.

Recentemente, Soninha havia construído mensagem semelhante para justificar a falta de um remédio no HC.

Vale destacar que a conduta delirante da moça contaminou boa parte das redes sociais.

No Orkut, por exemplo, foram abertos vários tópicos acusando diretamente o PT pela confusão no metrô.

Jovens agressivos exigiam a prisão e execução de supostos petistas que estariam "atacando" São Paulo a mando da "terrorista" Dilma Rousseff.

É estarrecedor.

Como um candidato à presidência pode entregar cargo estratégico dessa natureza a uma personagem que navega em delírios e saracoteia em faniquitos midiáticos?

A "ficha limpa" deveria exigir dos candidatos a escolha de assessores de "cara limpa".

Para definir a escudeira de Kassab e Serra, cabe repetir a frase de Thoreau: "a política não é a moral, mas aquilo que se ocupa apenas do que é oportuno".

Pergunta da redecastorphoto: - Será que essas paralisações não se devem aos equipamentos adquiridos à ALSTOM? Empresa esta fornecedora do Metrô e muito ligada ao PSDB...

Fonte: Redecastorphoto
Enviada por Castor Filho, às 15:45 22/09/2010, de Internet


Uma homenagem à Liberdade de Expressão
Cliquye aqui para ampliar
A velha mídia vive a acusar Lula, Dilma e o PT de serem contra a Liberdade de Imprensa.

O candidato deles vive a acusar os blogueiros progressistas e seu blogs de sujos, por supostamente receber dinheiro do Governo Federal, sem nunca provar a acusação. Quem quer ser presidente do Brasil deveria saber que o país tem uma constituição e que esta reza que "Todo mundo é inocente até que se prove o contrário".Portanto quem acusa deve provar o que está dizendo, afirmando.

Mas são os mesmos que acusam e julgam sem provar, os primeiros a correr aos Clubes Militares e, como vivandeiras dos quartéis, pedir que os milicos intervenham na política, matem a Democracia brasileira e restaurem a Ditadura que com muito esforço o Povo Brasileiro derrubou. com sua luta e organização.

Eles são a favor das Liberdades deles. Só para eles.

Nós somos a favor da Liberdade para toda a Nação.

Eles defendem a liberdade de imprensa.

Nós defendemos a LIBERDADE de EXPRESSÃO, através de qualquer meio e em qualquer lugar deste país.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 14:59 22/09/2010, de Curitiba, PR


Campanha Beto Fica!
CURITIBA CAPITAL DO FICA

Fica na fila da consulta com especialista;
Fica na fila da creche, aguardando vaga;
Fica na fila da Cohab, aguardando moradia;
Fica esperando o Metrô, que nem o projeto Beto fez;
Fica difícil acreditar que radares não captaram o racha de Carli Filho e outros;
Fica horas preso nos congestionamentos;
Fica apurado no centro da cidade, pois não há banheiro público;
Fica com fome se chegar após as 13 horas para almoçar no Restaurante Popular;
Fica pensando porque não se construiu os viadutos e trincheiras previstos no projeto da Linha Verde;
Fica na fila da Urbs para regularizar multas do Estar;
Fica no bairro Tatuquara pra ver o lixão de Curitiba cada vez maior;
Fica a ver navios, pois o prefeito com um ano e três meses de mandato renunciou para disputar o Governo do Estado;

Então, Beto Richa deve:

Ficar sem apoio dos curitibanos;
Ficar sem mandato, pois ainda é novo para aprender que;
Ficar mentindo que vai cumprir todo mandato é feio;
Ficar copiando o programa dos outros candidatos é mais feio ainda;
Ficar é passageiro, é falta de comprometimento, compromisso

Quem ama esta cidade não fica enganando o seu povo.
Enviada por Vera Armstrong, às 14:27 22/09/2010, de Curitiba, PR


São Paulo parou outra vez!
Enviada por Jansen M.C., às 13:27 22/09/2010, de São Paulo, SP


A última luta contra a ditadura
Por Sergio Telles

Texto de Miguel do Rosário (Óleo do Diabo) que consolida em argumentos toda a motivação de nosso ato em defesa da democracia que ocorrerá nessa terça 21/09 a partir das 17 horas no CCBB-RJ (Rua Primeiro de Março, 66), precedendo ao debate sobre Blogosfera com Luiz Carlos Azenha e Mauro Santayana.

Compareça e divulgue.

A julgar pelos editoriais, a imprensa brasileira se acha uma vítima trêmula e indefesa, pronta para ser devorada pelo bicho papão totalitário. Claro que há o constrangimento de ter apoiado a ditadura, contra o mesmo bicho papão, mas se ele (o papão) não existia antes e mesmo assim justificou-se um golpe de Estado, não é tão difícil inventar novamente o mesmo inimigo; dessa vez não exatamente para dar um golpe, mas algo mais fácil, como queimar um candidato e eleger outro. Considerando que esses jornais transformaram-se em poderosos conglomerados econômicos à sombra do regime militar, pode-se especular que nossa batalha contra os desmandos desses grupos consiste na última luta dos brasileiros contra o fascismo que pendurou nossa liberdade e nossas esperanças, por vinte longos anos, num pau de arara.

Como empresas privadas, os jornais têm liberdade para defender ou atacar seja quem for, mas a Constituição ficaria grata se evitassem desrespeitar o direito dos indivíduos à honra e à privacidade e, sobretudo, se se esforçassem em conter seus ódios pessoais e tratassem as instituições democráticas e seus representantes com um mínimo de decoro e respeito. Não pedimos isenção. Ao contrário, pedimos honestidade em declarar sua preferência partidária, como fazem os jornais norte-americanos, o que ajudaria os leitores a separar notícia de opinião e entender melhor o que estão lendo.

Conhecemos a imprensa de outros países e francamente não observamos em lugar nenhum do mundo (com exceção dos EUA, onde imprensa deixa bem claro de que lado está) um engajamento partidário tão enlouquecido e agressivo como vemos no Brasil.

A imprensa de fato tornou-se um quarto poder, mas à diferença dos outros poderes, goza de uma liberdade quase selvagem. Pode incentivar as pessoas a tomarem remédios que não precisam, espalhar informações falsas sobre partidos, destruir a reputação de inocentes, pressionar juízes a emitir ordens de prisão (ou de habeas corpus), desestabilizar governos... E quando setores da sociedade, como as associações de medicina, por exemplo, iniciam debates para criar leis que regulamentem o uso de informações sobre saúde, os grupos de mídia não apenas se recusam a dialogar como lançam pesadas acusações contra os que desejam o debate. Eles se pretendem intocáveis. A liberdade de imprensa converte-se, portanto, em objeto de luxo de uso exclusivo de meia dúzia de proprietários de jornais e tv.

Não temos ilusão quanto aos defeitos de nossa classe política e seus representantes, mas também não nos iludimos quanto à perseguição seletiva praticada por uma imprensa desde sempre identificada com ideais conservadores - e portanto com os partidos afinados com esses ideais.

Protestamos, em suma, contra hábitos sinistros que estão se arraigando em nossa imprensa, como fazer acusações sem provas e prejulgar pessoas e instituições de maneira açodada, desrespeitando o princípio da presunção da inocência. Com seu poder, a mídia consegue intimidar inclusive juízes, produzindo outra aberração contra a democracia, que é obstruir o direito de todo cidadão ou empresa de ter um julgamento isento e livre, longe das paixões políticas.

Protestamos, principalmente, contra a tentativa de interferir no processo eleitoral, através da criação de factóides que vão parar diretamente, às vezes no mesmo dia, na página de alguns candidatos. Denúncias devem ser feitas, claro, mas embasadas num mínimo de provas e fundamentos lógicos. Os escândalos que pipocam não nascem da intenção louvável de aprimorar o funcionamento da máquina pública, e sim do desejo mal disfarçado de produzir estragos políticos no adversário da vez.

Enfim, quando vemos a mídia engajada em campanhas partidárias, e ainda lançando suspeitas de que há forças querendo censurá-la ou silenciá-la (o que é mentira); e, para culminar, participando de seminários no Clube Militar, como o que deverá acontecer dia 23 de setembro deste ano, intitulado "Democracia Ameaçada", muitos cidadãos começam a se questionar, preocupados, se haveria alguém imaginando um golpe, seja um violento, com uso de armas, seja um "pacífico", como fizeram em Honduras no ano passado, onde o presidente eleito, após decisão do Supremo Tribunal Federal (convertido assim num poder quase monárquico, acima da soberania popular), foi preso pelo exército e conduzido para fora do país. Todos, incluindo o golpe contra Chávez, em 2002, tem algo em comum: a cumplicidade entre oposição conservadora e corporações midiáticas.

Falamos apenas dos jornais. Quanto à mídia televisiva, os fatos são muito mais graves, porque são concessionárias de serviço público, e há leis que proibem a veiculação de material entendido como propaganda partidária.

Quando chamamos a imprensa de golpista, portanto, referimo-nos não só a seu papel fundamental na preparação do golpe de 64 e na consolidação política do regime militar, como também no esforço constante, até hoje, para derrubar ou eleger governantes a partir de artifícios nada éticos de manipulação da notícia.

Reiteramos nosso apreço pela liberdade de imprensa e de expressão, mas observamos que estas liberdades não são direitos exclusivos dos donos de jornal: elas também valem para o leitor, que não deve ser enganado; e para o jornalista, que deve ter direito a trabalhar sem se submeter aos caprichos ideológicos do patrão.

Por fim, convidamos a todos a se libertarem do vício triste de pensar com a cabeça alheia, e a conhecerem a blogosfera política, onde se trata a informação com muito mais profundidade: ela é verificada, checada, conferida novamente, revirada de todos os lados, discutida, rechaçada, e de novo aceita; e onde, principalmente, respeita-se a inteligência do leitor e procura-se fazer com que ele a use efetivamente, pensando politicamente por si mesmo.

Somos os representantes da edição fluminense de uma articulação nacional, os Blogueiros Progressistas, ou seja, de esquerda, e nossa luta mais importante, nas últimas semanas, tem sido desmontar as manipulações midiáticas que visam confundir e influenciar o eleitorado, deturpando a vontade popular.

Mais informações no blog http://rioblogprog.blogspot.com
Enviada por Castor Filho, às 12:36 21/09/2010, de Internet


Carta ao Polvo brasileiro, é a nova sacada de serrabaixo
Em 2002, no meio de uma rotineira crise no desgoverno de FHC (que jogava toda a culpa no PT e na possível eleição do candidato da oposição), Lula publicou a Carta ao Povo Brasileiro, onde se comprometia a manter a estabilidade do país e cumprir os contratos assinados pelo governo e pelo Estado Brasileiro. Para muitos Lula na verdade teria sucumbido ao deus mercado. Para outros mostrou a maturidade de um estadista e conquistou a confiança do país. Seja como for, fato é que o país de Lula é muito melhor que o país de FHC e seu superministro serrabaixo.

E falando em serrabaixo a blogosfera levantou os contratos deste com a velha mídia, que nos leva a entender porque os senhores feudais das famílias que controlam os velhos jornais apóiam com tanto entusiasmo um cidadão que em 1964 fazia parte da outra turma contra a qual os feudais da imprensa incitaram e apoiaram o Golpe Militar.

Além de serrabaixo ter se convertido ao lacerdismo udenista barato e mal fundamentado, ele deu muita grana para comprar a fidelidade da imprensa "limpinha" e "transparente" como o marrom daquele produto resultante do processo digestivo e usualmente expulso do corpo pelo ânus.

Sugerimos, então, que serrabaixo no meio da crise de credibilidade que assola sua candidatura tenha coragem de assumir suas verdadeiras bandeiras e divulgue a sua CARTA AO POLVO BRASILEIRO, garantindo-lhe a manutenção dos contratos se eleito. E pela lista abaixo, não são poucos. A galera do PiG irá mais fundo em seu papel de trogloditas da verdade e assassinos da Democracia.

Vamos lá serra. Faça, finalmente, alguma coisa para teu POLVO.

CONTRATOS ASSINADOS POR SERRA

27/maio/2010
Contrato: 15/00548/10/04
- Empresa: Editora Brasil 21 Ltda.
- Objeto: Aquisição de 5.200 Assinaturas da “Revista Isto É” – 52 Edições – destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 1.203.280,00
- Data de Assinatura: 18/05/2010

28/maio/2010
Contrato: 15/00545/10/04
- Empresa: S/A. O ESTADO DE SÃO PAULO
- Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas do Jornal “o Estado de São Paulo” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São Paulo – Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 2.568.800,00
- Data de Assinatura: 18/05/2010.

29/maio/2010
Contrato: 15/00547/10/04
- Empresa: Editora Abril S/A - Objeto: Aquisição de 5.200 assinaturas da Revista “VEJA” destinada as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado São de Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 1.202.968,00- Data de Assinatura: 20/05/2010.

8/junho/2010
Contrato: 15/00550/10/04
- Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
- Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas anuais do jornal “Folha de São Paulo” para as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 365 dias
- Valor: R$ 2.581.280,00
- Data de Assinatura: 18-05-2010.

11/junho/2010
Contrato: 15/00546/10/04
- Empresa: Editora Globo S/A.
- Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas da Revista “Época” – 43 Edições, destinados as escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo – CEI e COGSP – Projeto Sala de Leitura
- Prazo: 305 dias
- Valor R$ 1.202.968,00
- Data de Assinatura: 20/05/2010

Existem muitos outros contratos semelhantes e sem licitação assinados pelos Governos do Estado de São Paulo.

Eles podem ser acessados no Blog NamariaNews

Extraído do Blog Tijolaço

Agora imaginem só o escândalo que seria se os Blogueiros Progressistas tivessem recebido do Governo Federal 1% sequer destes valores para desenvolver seu trabalho na blogosfera. Sem receber nada já fomos acusados de Blogs Sujos. Se recebecemos seríamos imundos, inclassificáveis.

Quem são os sujos nessa história toda, hein, tucanalhada escrota?

É claro que, com toda esta grana rolando, a velha mídia tenha se colocado a favor de seu novo patrão e jamais denunciará a farra com o dinheiro público promovida pelos demotucanos. Eles só se incomodam quando o dinheiro público é gasto com pobres. Mas se o desvio e o desmando lhes favorecem, então está tudo em paz, dentro da ordem e da legalidade mesquinha da elite branca paulista.

No dia 03 de outubro o Brasil dará uma resposta clara a estes parasitas do estado que dele se alimentam, mas vivem a criticá-lo.

Ninguém mais que a velha elite e sua deplorável imprensa vive às custas do Estado Brasileiro. Isso é uma vergooooonha, né seu Casoy???
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:56 21/09/2010, de Curitiba, PR


Serra volta a cair e Dilma abre vantagem de 30%
Na pesquisa diária do Vox Populi/iG/Band serrabaixo voltou a cair e a vantagem de Dila subiu para 30% em 20 de setembro de 2010.

O interessante mesmo é que na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são apresentados ao eleitor, Dilma é também a candidata mais lembrada: 45%, contra 19% de José Serra e 7% de Marina. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é ainda lembrado por 2% dos eleitores.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 22:59 20/09/2010, de Curitiba, PR


Mais uma prova da (in)competência demotucana: ICS sob intervenção
Desde julho o Instituto Curitiba de Saúde está tendo suas finanças investigadas por um fiscal da Agência Nacional de Saúde (ANS).

Segundo informações veiculadas na imprensa, somente em 2007 e 2008 foi acumulado um rombo de R$ 12 milhões. Desde 2005 a gestão Beto Richa deixou de repassar a parcela do custeio.

Leia mais clicando aqui.
Enviada por Sismuc, às 22:21 20/09/2010, de Curitiba, PR


CUT denuncia mais um ataque ao movimento sindical
Tribunal Regional Eleitoral manda apreender documento "A Verdade sobre o Tucano Anastasia" na sede da Central em BH

A CUT e os mais de 22 milhões de trabalhadores e trabalhadoras que ela representa repudiam mais um ataque do Governo neoliberal à liberdade de expressão e à manifestação política e a mais uma intervenção da Justiça nas práticas sindicais. Na manhã desta sexta-feira (17 de setembro), cumprindo mandato de busca e apreensão expedido pela juíza auxiliar Aura Maria Brasil Santos Perez, do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, duas oficiais de Justiça estiveram na sede da CUT/MG, no Centro de Belo Horizonte, para apreender exemplares do documento "A Verdade sobre o Tucano Anastasia", assinado pelas centrais.

As oficiais de Justiça Maria Perpétuo Socorro Corrêa e Karina Kelly dos Santos Oliveira entregaram o mandado ao presidente da CUT/MG, Marco Antônio de Jesus, vasculharam todas as dependências da sede da CUT, acompanhadas pelo secretário-geral Carlos Magno de Freitas e o secretário de Saúde do Trabalhador, Reginaldo Tomaz de Jesus.

Em seu despacho, a juíza auxiliar considera que o panfleto configura "propaganda eleitoral irregular, veicula informações contrárias a candidato, utiliza autoria de entidades sindicais", entre outros argumentos apresentados pela coligação "Somos Minas Gerais". Além disso, a magistrada afirma que o documento "A Verdade sobre o Tucano Anastasia" tem a "nítida intenção de influenciar a opinião dos eleitores". Ao mesmo tempo, a juíza reconhece que "não existe no panfleto qualquer veiculação em favor de qualquer candidato". Mesmo assim, estipula multa diária de R$ 10 mil em caso de persistência na distribuição do material.

A CUT reafirma sua posição apartidária e independente, mas de respeito à opinião e às manifestações políticas de seus dirigentes e das lideranças dos sindicatos e entidades filiados à Central. Ao assinar o panfleto, cujo conteúdo reflete a realidade de oito anos de administração tucana em Minas Gerais, a CUT apenas mantém a coerência com sua postura política. A Central sempre denunciou a política de sucateamento do Estado pelo choque de gestão, com a terceirização, o corte de verbas para a educação, saúde e segurança pública e a judicialização das relações entre capital e trabalhadores. A CUT sempre combateu as práticas antissindicais, o desrespeito ao funcionalismo público, a repressão policial aos movimentos sociais, a imposição da mordaça à imprensa, entre outros desmandos e abusos dos governos Aécio/Anastasia.

A CUT nunca vai se calar ou recuar. A maior Central sindical do Brasil e da América Latina seguirá em frente, na sua luta por um Brasil melhor, pela valorização do trabalho, igualdade, inclusão e participação social, independentemente de qualquer ação de governos ou da Justiça.

Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais
Enviada por Ubirajara Freitas, às 22:17 20/09/2010, de Belo Horizonte, MG


Dilma espinafra a Folha de São Paulo
O sectarismo da velha mídia é visível e risível. Dá para ter uma idéia da baixaria que será até 03 de outubro, piorando de 03 de outubro de 2010 a 01 de janeiro de 2011 e entornando o caldo de vez depois da posse.

Dilma não terá "lua-de-mel". Os fascistas desrespeitarão a voz da urnas, o desejo do povão e a Democracia.

Sabedora disso, Dilma espinafra a Folha de São Paulo, que emprestava carros para a ditadura militar sequestrar e matar os patriotas que defendiam a Liberdade e a Justiça em nosso país.

Quem empresta carro para ditador, não respeita o Presidente democráticamente eleito, porque haveria de respeitar uma candidata que alḿe de mulher foi uma lutadora contra a ditadura no Brasil.

FSP tem lado. É o lado do atraso. Da Ditadura. Mas diferentemente de nós tem vergonha de assumir o que é. Tem vergonha de dizer que seu candidato é o serrabaixo.

Parabéns Dilma por não contemporizar com essa gentalha.

Queremos ver se os partidos de esquerda vão se calar ou se posicionarão a favor de Dilma neste episódio.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 16:27 20/09/2010, de Cuiritiba, PR


A mensagem é o pé de página
"Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma." - Joseph Pulitzer

Com net a todo vapor cibernético, com a blogosfera progressista bombando, você não precisa ter em mãos os papéis fétidos de Veja, Folha de S. Paulo, O Globo, Estado de S. Paulo, para ter acesso a notícias. São papéis que poderão cair em mãos de seus filhos menores, de seus avós idosos...

Comece uma campanha junto ao peixeiro seu fornecedor: não quero peixe embrulhado com papéis dessa revista e desses jornais!

Se você tem cão ou gato, evite tais páginas como "vaso sanitário" da inocente criatura.
Enviada por Paulo Roberto Franco Andrade, às 12:19 20/09/2010, de Uberlândia, MG


Metalúrgicos na VW de Curitiba decretam greve por tempo indeterminado
Sem proposta de aumento, trabalhadores estão em greve desde o dia 18

Os metalúrgicos da Volkswagen de São José dos Pinhais-PR decidiram, em assembleia na manhã de sábado (18), decretar greve por tempo indeterminado. Eles protestam contra a não apresentação de proposta de aumento salarial por parte da montadora.

Os trabalhadores exigem o mesmo acordo fechado com a Renault: R$ 4,2 mil de abono, 10% de aumento no piso e 10,08% de aumento salarial (sendo 5,55% de aumento real e 4,29% referentes à inflação acumulada nos últimos 12 meses, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC).

A mobilização na Volks atinge 5,6 mil trabalhadores - quatro mil diretos e 1,6 mil terceirizados.

A "greve picoca", como foi batizada pelos trabalhadores, vai ser deflagrada todos os dias, a partir de hoje, paralisando um, dois ou todos os três turnos de produção da fábrica. Até segunda-feira, cerca de 820 carros deixam de ser produzidos.

Nova assembleia ocorre segunda-feira, em porta de fábrica, às 14h, com metalúrgicos do 2º turno.

Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba
Enviada por TIE-Brasil, às 02:34 20/09/2010, de Curitiba, PR


Metalúrgicos de Curitiba conquistam 10% de aumento, mas vão à greve
Os trabalhadores do 1º turno da fábrica da Renault em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, aprovaram na manhã de sexta-feira (17) o acordo que estabelece reajuste de 10% para os salários ? o que corresponde a um aumento real de 5,5%, mais a reposição de 4,29% da inflação acumulada desde a última data base.

O abono será de R$ 4.200,00, pagos em duas parcelas iguais em 30 de setembro e 8 de outubro. O Piso salarial da categoria também será reajustado em 10%, passando para R$ 1.578,00.

O acordo foi negociado pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) com a empresa, depois que os trabalhadores rejeitaram em assembleia, realizada às 5 horas, a contraproposta oferecida pela montadora de 9% de reajuste. O acordo deverá ser ratificado pelos trabalhadores do 2º turno, em assembleia a partir das 14 horas.

Volvo - Os metalúrgicos da montadora decidiram fazer uma paralisação de 48 horas, em protesto contra o impasse criado pela empresa, que não quer aceitar o valor reivindicado pela categoria para vale-mercado. Na última contraproposta, os trabalhadores aceitaram reduzir o pleito inicial de R$ 500,00 para R$ 300,00, mas a Volvo insiste na oferta de aumentar o vale de R$ 60,00 para apenas R$ 90,00.

Na assembleia desta sexta, após a rejeição pelos trabalhadores da proposta de reajuste oferecida pela empresa (9% no salário, abono de R$ 2.200,00, Piso de R$ 1.506,00 e vale de R$ 90,00), a montadora avançou no índice para os salários, aceitando os 10% reivindicados pela categoria, mais abono de R$ 4.200,00.

Nova assembleia será realizada na próxima segunda-feira (20).
Enviada por Blog do Sindicacau, às 02:25 20/09/2010, de Ilhéus, BA


Os jornalistas tucanos
Por Marcos Coimbra

Quando, no futuro, for escrita a crônica das eleições de 2010, procurando entender o desfecho que hoje parece mais provável, um capítulo terá de ser dedicado ao papel que nelas tiveram os jornalistas tucanos.

Foram muitas as causas que concorreram para provocar o resultado destas eleições. Algumas são internas aos partidos oposicionistas, suas lideranças, seu estilo de fazer política. É bem possível que se saíssem melhor se tivessem se renovado, mudado de comportamento. Se tivessem permitido que novos quadros assumissem o lugar dos antigos.

Por motivos difíceis de entender, as oposições aceitaram que sua velha elite determinasse o caminho que seguiriam na sucessão de Lula. Ao fazê-lo, concordaram em continuar com a cara que tinham em 2002, mostrando-se ao País como algo que permanecera no mesmo lugar, enquanto tudo mudara. A sociedade era outra, a economia tinha ficado diferente, o mundo estava modificado. Lula e o PT haviam se transformado. Só o que se mantinha intocada era a oposição brasileira: as mesmas pessoas, o mesmo discurso, o mesmo ar perplexo de quem não entende por que não está no poder.

Em nenhum momento isso ficou tão claro quanto na opção de conceder a José Serra uma espécie de direito natural à candidatura presidencial (e todo o tempo do mundo para que confirmasse se a desejava). Depois, para que resolvesse quando começaria a fazer campanha. Não se discutiu o que era melhor para os partidos, seus militantes, as pessoas que concordam com eles na sociedade. Deram-lhe um cheque em branco e deixaram a decisão em suas mãos, tornando-a uma questão de foro íntimo: ser ou não ser (candidato)?

Mas, por mais que as oposições tivessem sido capazes de se renovar, por mais que houvessem conseguido se libertar de lideranças ultrapassadas, a principal causa do resultado que devemos ter é externa. Seu adversário se mostrou tão superior que lhes deu um passeio.

Olhando-a da perspectiva de hoje, a habilidade de Lula na montagem do quadro eleitoral de 2010 só pode ser admirada. Fez tudo certo de seu lado e conseguiu antecipar com competência o que seus oponentes fariam. Ele se parece com um personagem de histórias infantis: construiu uma armadilha e conduziu os ingênuos carneirinhos (que continuavam a se achar muito espertos) a cair nela.

Se tivesse feito, nos últimos anos, um governo apenas sofrível, sua destreza já seria suficiente para colocá-lo em vantagem. Com o respaldo de um governo quase unanimemente aprovado, com indicadores de performance muito superiores aos de seus antecessores, a chance de que fizesse sua sucessora sempre foi altíssima, ainda que as oposições viessem com o que tinham de melhor.

Entre os erros que elas cometeram e os acertos de Lula, muito se explica do que vamos ter em 3 de outubro. Mas há uma parte da explicação que merece destaque: o quanto os jornalistas tucanos contribuíram para que isso ocorresse.

Foram eles que mais estimularam a noção de que Serra era o verdadeiro nome das oposições para disputar com Dilma Rousseff. Não apenas os jornalistas profissionais, mas também os intelectuais que os jornais recrutam para dar mais “amplitude” às suas análises e cobertura.

Não há ninguém tão dependente da opinião do jornalista tucano quanto o político tucano. Parece que acorda de manhã ansioso para saber o que colunistas e comentaristas tucanos (ou que, simplesmente, não gostam de Lula e do governo) escreveram. Sabe-se lá o motivo, os tucanos da política acham que os tucanos da imprensa são ótimos analistas. São, provavelmente, os únicos que acham isso.

Enquanto os bons políticos tucanos (especialmente os mais jovens) viam com clareza o abismo se abrir à sua frente, essa turma empurrava as oposições ladeira abaixo. Do alto de sua incapacidade de entender o eleitor, ela supunha que Serra estava fadado à vitória.

Quem acompanhou a cobertura que a “grande imprensa” fez destas eleições viu, do fim de 2009 até agora, uma sucessão de análises erradas, hipóteses furadas, teses sem pé nem cabeça. Todas inventadas para justificar o “favoritismo” de Serra, que só existia no desejo de quem as elaborava.

Se não fossem tão ineptas, essas pessoas poderiam, talvez, ter impulsionado as oposições na direção de projetos menos equivocados. Se não fossem tão arrogantes, teriam, quem sabe, poupado seus amigos políticos do fracasso quase inevitável que os espera.

Fonte: CartaCapital
Enviada por Almir Américo, às 11:46 18/09/2010, de Moscou, Rússia


Serrabaixo é vítima!
Vítima de sua própria baixaria
A baixaria eleitoral comandada pelos demotucanos, seus trolls na internet e pelo PiG vai causando estragos visíveis (ou seriam risíveis???) na campanha presidencial de 2010.

Segundo as pesquisas de opinião público quanto mais serrabaixo aumenta o tom das críticas a Lula e a Dilma menor é o índice de intenções de voto no demotucano que saiu de um juventude de esquerdista católico para encerrar carreira no udenismo golpista de Carlos Lacerda.

Os dois institutos de confiança dos demotucanos, DataFalha e Globope, mostram que Dilma está estável em 51%, que na verdade pode ser mais bem mais, pois os dois institutos são conhecidos por manipular dados para favorecer serrabaixo. Aliás, o candidato de FHC, do PiG e da elite branca do Brasil, serraabaixo, não para de cair e crava 25% no último Globope. Clique aqui e confira o fraco desempenho do demotucano.

Diante de tais resultados, podemos concluir que:

- o único prejudicado pelos escândalos e denúncias divulgados pelo PiG e pelos demotucanos é o próprio candidato demotucano;

- a população brasileira já não se deixa enganar pelos pretensos formadores de opinião que infestam as redações e direções do G.A.F.E. - Globo, Abril, Folha e Estadão, o núcleo duro e que se acha "pensante" do PiG.

Definitivamente o Brasil que estamos construíndo com Lula é muito diferente daquele dominado pela velha elite e sua mídia decadente e embolorada.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 11:37 18/09/2010, de Curitiba, PR


"Empresário" fonte da Folha acabou de sair da cadeia
Alguns elementos para tentar entender essa nova denúncia da Folha:

1. Segundo informações da própria Folha, o acusador Rubnei Quícoli já foi condenado duas vezes em São Paulo (por interceptação de carga roubada e por posse de moeda falsificada). E em 2007 passou dez meses preso. O fato de antecipar as denúncias sobre sua fonte não absolve o jornal. Pelo contrário, é agravante. Quando uma pessoa com tal currículo faz uma denúncia, é praxe de qualquer jornalismo sério ouvir as denúncias e exigir a apresentação de provas.

2. A única prova que o tal consultor apresenta é um email marcando audiência na Casa Civil e que tem o nome de Vinicius Oliveira no C/C . Todo o restante são acusações declaratórias. Nenhum juiz do mundo tomaria como verdade acusações desacompanhadas de provas, de um sujeito que acaba de sair da cadeia.

3. O jornal não explica como um sujeito com duas condenações criminais, que passou dez meses na prisão dois anos atrás, pilota um projeto de R$ 9 bilhões. É apostar demais na ignorância dos leitores.

4. O BNDES é um banco técnico, constituído exclusivamente por funcionários de carreira trabalhando de forma colegiada. É impossível a qualquer pessoa – até seu presidente – influenciar a análise do comitê de crédito. Essa informação pode ser facilmente confirmada com qualquer ex-presidente do banco, de qualquer governo. É só conversar com o Luiz Carlos Mendonça de Barros, Pérsio Arida, Antonio Barros de Castro, Márcio Fortes – que foram presidentes durante o governo FHC. A ilação principal da reportagem – a de que o projeto de financiamento foi recusado pelo BNDES depois da empresa ter recusado a assessoria da Capital – não se sustenta. Coloca sob suspeita uma instituição de reconhecimento público fiando-se na palavra de um sujeito que já sofreu três condenações na Justiça e três anos atrás passou dez meses preso.

5. Existem empresas de consultoria que preparam projetos para o BNDES e cobram entre 5 a 7% sobre o valor financiado. É praxe no mercado. Confundir essa taxa com propina é má fé. Segundo o empresário que denunciou, Israel apresentou uma proposta de acompanhamento jurídico de processos da empresa, que acabou não sendo assinado. Tudo em cima de declarações.

6. Ninguém vai negociar propostas ocultas em reuniões formais na Casa Civil, à luz do dia. Só faltava.

Folha de S.Paulo - Perfil: Consultor teve 2 condenações na Justiça de SP - PERFIL

Consultor teve 2 condenações na Justiça de SP

DE BRASÍLIA

O consultor Rubnei Quícoli, representante da empresa que tentava obter o financiamento no BNDES por meio da empresa de lobby Capital, foi condenado em processos movidos pela Justiça de São Paulo sob duas acusações: receptação e coação. Quícoli recorreu ao Tribunal de Justiça de São Paulo e, em março deste ano, foi absolvido do delito de coação. A Justiça substituiu a pena de um ano de reclusão por receptação por prestação de serviços comunitários.

Quícoli foi denunciado, em maio de 2003, por ocultar "em proveito próprio e alheio" uma carga de 10 toneladas de condimentos, que "sabia ser produto de crime de roubo". Em 2000, após denúncia anônima, o consultor foi acusado de receptação de moeda falsa num posto de gasolina em Campinas. A polícia apreendeu no posto sete notas de R$ 50,00. Quícoli afirmou não saber a procedência. Em 2007, Quícoli foi preso e passou cerca de dez meses na prisão. Os donos da EDRB, Aldo Wagner e Carlos Marcelo Mello Escarlassara, não têm passagens pela polícia nem condenações.

Clique aqui para acompanhar no Twitter

Fonte: Blog do Luis Nassif
Enviada por Ubirajara Freitas, às 11:12 18/09/2010, de Belo Horizonte, MG


O fim um ciclo em que a velha mídia foi soberana
Dia após dia, episódio após episódio, vem se confirmando o cenário que traçamos aqui desde meados do ano passado: o suicídio do PSDB apostando as fichas em José Serra; a reestruturação partidária pós-eleições; o novo papel de Aécio Neves no cenário político; o pacto espúrio de Serra com a velha mídia, destruindo a oposição e a reputação dos jornais; os riscos para a liberdade de opinião, caso ele fosse eleito; a perda gradativa de influência da velha mídia.

O provável anúncio da saída de Aécio Neves marca oficialmente o fim do PSDB e da aliança com a velha mídia carioca-paulista que lhe forneceu a hegemonia política de 1994 a 2002 e a hegemonia sobre a oposição no período posterior.

Daqui para frente, o outrora glorioso PSDB, que em outros tempos encarnou a esperança de racionalidade administrativa, de não-sectarismo, será reduzido a uma reedição do velho PRP (Partido Republicano Paulista), encastelado em São Paulo e comandado por um político – Geraldo Alckmin – sem expressão nacional.

Clique aqui para ler o artigo na íntegra.
Enviada por TIE-Brasil, às 11:02 18/09/2010, de Curitiba, PR


Ato Público contra o golpe midiático
Barrar a direita!

Ato público contra o golpe midiático

Reproduzo o comunicado do Centro de Estudos Barão de Itararé, convocando para um ato público em defesa da Democracia, e contra o golpismo midiático.

COMPAREÇA AO ATO EM DEFESA DA DEMOCRACIA!

CONTRA A BAIXARIA NAS ELEIÇÕES!

CONTRA O GOLPISMO MIDIÁTICO!

Na reta final da eleição, a campanha presidencial no Brasil enveredou por um caminho perigoso. Não se discutem mais os reais problemas do Brasil, nem os programas dos candidatos para desenvolver o país e para garantir maior justiça social. Incitada pela velha mídia, o que se nota é uma onda de baixarias, de denúncias sem provas, que insiste na “presunção da culpa”, numa afronta à Constituição que fixa a “presunção da inocência”.

Como num jogo combinado, as manchetes da velha mídia viram peças de campanha no programa de TV do candidato das forças conservadoras.

Essa manipulação grosseira objetiva castrar o voto popular, e tem como objetivo secundário deslegitimar as instituições democráticas a duras penas construídas no Brasil.

A onda de baixarias, que visa forçar a ida de José Serra ao segundo turno, tende a crescer nos últimos dias da campanha. Os boatos que circulam nas redações e nos bastidores das campanhas são preocupantes e indicam que o jogo sujo vai ganhar ainda mais peso.

Conduzida pela velha mídia, que nos últimos anos se transformou em autêntico partido político conservador, essa ofensiva antidemocrática precisa ser barrada. No comando da ofensiva estão grupos de comunicação que – pelo apoio ao golpe de 64 e à ditadura militar – já mostraram seu desapreço pela democracia.

É por isso que centrais sindicais, movimentos sociais, partidos políticos e personalidades das mais variadas origens realizarão – com apoio do movimento de blogueiros progressistas – um ato em defesa da democracia.

Participe! Vamos dar um basta às baixarias da direita!

Abaixo o golpismo midiático!

Viva a Democracia!

O ato acontece na próxima quinta-feira, 23 de setembro, às 19 horas, no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (rua Rego Freitas, 530, centro de São Paulo). Anoto o caráter simbólico: o auditório do Sindicato tem o nome de Vladimir Herzog – jornalista assassinado pela ditadura militar, que teve o apoio desses mesmos grupos de comunicação que, hoje, tentam lançar o Brasil no abismo.
Enviada por Nelba Nycz, às 15:06 16/09/2010, de Curitiba, PR


Até tucano denúncia Beto Richa por uso da máquina administrativa na campanha
Do Blog do Esmael

Sindicalista do PSDB denuncia trabalho análogo à escravidão na prefeitura de Curitiba

Nas eleições, jornada dos servidores ultrapassaria 14 horas

Paulo Rossi pulou fora da canoa quando Beto Richa ainda estava em alta.

O sindicalista Paulo Rossi, presidente estadual da União Geral dos Trabalhadores (UGT), denunciou nesta quarta-feira (15) que os servidores da prefeitura de Curitiba estariam sendo submetidos a carga de trabalho análogas à escravidão.

Segundo Rossi, que é membro do diretório do PSDB do Paraná, funcionários que ocupam cargos em comissão, funções gratificadas e de empresas terceirizadas tiveram o tempo de almoço reduzido de duas horas para apenas 15 minutos diários.

O líder da UGT revela que os servidores da prefeitura de Curitiba estão sendo obrigados a balançar bandeiras nas esquinas e a distribuir adesivos de Beto Richa, candidato ao governo pelo.

Além disso, denuncia Rossi, após as 18 horas, os trabalhadores são obrigados a continuar a jornada até por volta das 22 horas. Nesses horários, explica ele, acontecem comícios e reuniões nos comitês.

O presidente da UGT adianta que levará essas questões a todas as centrais sindicais, ao Ministério do Trabalho e ao Ministério Público Eleitoral (MPE).

O sindicalista assegura que servidores assediados gravaram as reuniões em que as chefias ameaçam demitir depois das eleições quem não balançar a bandeira do tucano.

Para Paulo Rossi, a carga excessiva de trabalho é humilhante, estafante, desumana e é análoga à escravidão.

“Recebi gravações que comprovam essas denúncias dos funcionários da prefeitura de Curitiba”, disse o dirigente sindical.

Ouça Paulo Rossi (2 minutos e 20 segundos), clicando aqui
Enviada por TIE-Brasil, às 09:59 15/09/2010, de Curitiba, PR


Informar certo, reagir na hora
Reproduzo artigo de João Franzin, publicado no sítio da Agência Sindical:

Os boatos que corriam, sexta, sobre os ataques da imprensa na reta final da campanha eleitoral se confirmaram. O objetivo dessa ação articulada – observe que o “Estadão” repercutiu em manchete domingo a matéria que saiu na “Veja” – é criar um clima de histeria que:

1) Não deixe Serra levar uma surra nas urnas;

2) Leve o pleito para o segundo turno – e aí passe a imperar o vale-tudo;

3) Impeça o avanço eleitoral de candidatos a governos e ao Senado mais à esquerda;

4) Faça o denuncismo ter peso eleitoral.

Como outras denúncias virão – já que se trata de uma campanha articulada – vale adotar cautelas e providências, seguindo a velha fórmula de desmanchar/desorganizar com uma das mãos e construir/organizar com a outra mão.

Sendo assim, proponho a blogs, sites, veículos sindicais e outros não-alinhados ao denuncismo:

1. Sempre divulgar e repercutir as boas/ótimas notícias da economia, relacionando ganhos concretos para a nação: crescimento do PIB; 14 milhões de empregos gerados; ascensão social de milhões de brasileiros; aumento no salário mínimo – e mais uma tonelada de boas notícias, ações governamentais e conquistas sindicais;

2. Relembrar e difundir as mazelas dos anos FHC e governos tucanos: desemprego em massa; achatamento do salário mínimo; privatizações criminosas; subserviência à política dos Estados Unidos; afundamento da plataforma da Petrobrás; compra do segundo mandato de FHC; pedágios abusivos – e mais uma tonelada e meia de problemas e ações governamentais contra os interesses do povo;

3. Criar o plantão 24 horas dos blogs, sem parar, até a apuração, dia 3. Ou seja, contra a ação de tropas regulares, respostas guerrilheiras, que desorganizem o campo adversário e orientem ações no nosso campo;

4. Divulgar, nos materiais sindicais, nos veículos não-conservadores e nos próprios blogs dos nossos candidatos os endereços desses blogs do nosso lado;

5. No campo sindical – uma vez massificadas as informações sobre os ganhos concretos e os riscos representados pela direita – promover atos unitários com as entidades e os trabalhadores;

6. No campo estritamente eleitoral, massificar as campanhas dos nossos aliados; aumentar a presença física das campanhas; distribuir o máximo de material à população e aos eleitores, ocupando o mais possível o espaço no terreno da batalha.

Fonte: BlogdoMiro
Enviada por Midiacrucis, às 08:01 15/09/2010, de Twitter


Jango, Lula e a imprensa golpista, como em 64
Clique aqui para ampliar
Por Rodrigo Vianna

Releio o indispensável “O Governo João Goulart”, de Luiz Alberto Moniz Bandeira, em edição revista e ampliada – agora pela Editora Unesp. É obra impressionante, pelo volume de documentos e entrevistas que Moniz Bandeira recolheu, a reconstituir a marcha do confronto e do golpismo que abateu Jango.

Lá pelas tantas, no capítulo 10, ele conta o episódio em que Lacerda, “O Corvo”, vai ao “Los Angeles Times”, nos EUA, e anuncia que os militares brasileiros estavam avaliando o que fazer com Jango, se seria “melhor tutelá-lo, patrociná-lo, colocá-lo sob controle até o término do seu mandato ou destrui-lo agora mesmo”.

Corria o ano de 1963. Jango e os militares “legalistas” que o apoiavam viram na declaração de Lacerda uma senha de que a direita daria o golpe, e tentaram decretar o estado de sítio. Mas o presidente não teve apoio no Congresso para tanto. A ala brizolista do PTB, diz Moniz Bandeira, não queria estado de sítio, queria um processo revolucionário mesmo. Jango prendia-se à legalidade e, sem apoio para atacar os oponentes dentro da Constituição, acabou recuando. Caminhou a passos largos para a deposição.

Ali, se os trabalhistas tivessem atacado, o golpe poderia ter sido debelado. Faltou unidade, combatividade e compreensão do que estava por vir.

A falta de limites e de escrúpulos da oposição a Lula faz-me lembrar essa história de 47 anos atrás. Os tempos são outros, eu sei. Não há Guerra Fria. E hoje a oposição golpista não teria eco em jornais dos EUA – que se derretem em elogios a Lula.

Serra vai mal no papel de Lacerda. Bem que tentou: bateu à porta do Clube da Aeronáutica, feito vivandeira. Mas falta-lhe vivacidade, falta-lhe alma e pulso.

É por isso que a imprensa assumiu o comando da oposição. Segue o mesmo roteiro do pré-64. Os escândalos forjados e o golpismo são explícitos. Colam entre parcelas da classe média – que ainda não se animou a marchas com Deus. Elas virão? Provavelmente, não. Hoje, existem as correntes na internet, os jornalistas apedeutas de esgoto e as capas da “Veja”.

Aliás, Lacerda também não faria sucesso a essa altura do século 21. Procura-se – entre o Jardim Botânico e a Barão de Limeira – um candidato a Micheletti, o líder da quartelada com ares de legalidade em Honduras.

A escalada midiática em 2010 faz necessário relembrar quem é essa gente. Relembrar as manchetes e os textos que eles produziram em 64. É essa a gente que hoje berra em “O Globo”, na “Folha”, no Estadão”. Já berravam em 64.

A velha mídia não tem o poder que tinha em 64, 82, 89 ou até mesmo em 2006. Mas ainda faz algum estrago. Vamos sentir agora, nessas três últimas semanas de bombardeio. Há pelo menos 3 meses, digo humildemente que subestimar o adversário é sempre um erro grave. Quanto mais, adversários desesperados.

Lula poderia tê-los enfrentado a sério no segundo mandato. Preferiu comer pelas beiradas. Agiu certo? Ou titubeou, como Jango em 63?

A história dirá.

Fiquem com o pesadelo e a farsa das manchetes de 64, recolhidas de um post da “Carta Maior” (não deixa de ser também uma forma de homenagear o presidente chileno Salvador Allende, morto em 11 de setembro de 73: ele, como Jango, foi vítima de uma elite perversa e de uma mídia golpista).

===

“Escorraçado, amordaçado e acovardado, deixou o poder como imperativo de legítima vontade popular o Sr João Belchior Marques Goulart, infame líder dos comuno-carreiristas-negocistas-sindicalistas. Ufa!!”
(Tribuna da Imprensa – Rio de Janeiro – 2 de Abril de 1964 – jornal de Lacerda, o campeão do golpismo)

===

“Ressurge a Democracia! Vive a Nação dias gloriosos. Porque souberam unir-se todos os patriotas (…) para salvar o que é essencial: a democracia, a lei e a ordem. Graças à decisão e ao heroísmo das Forças Armadas…”
(O Globo – Rio de Janeiro – 2 de Abril de 1964)

===

Desde ontem se instalou no País a verdadeira legalidade … Legalidade que o caudilho não quis preservar. A legalidade está conosco e não com o caudilho aliado dos comunistas”
(Jornal do Brasil – Rio de Janeiro - Abril de 1964, jornal tido como “democrático”)

===

(SÃO PAULO REPETE 32) “Minas desta vez está conosco”… “dentro de poucas horas, essas forças não serão mais do que uma parcela mínima da incontável legião de brasileiros que anseiam por demonstrar definitivamente ao caudilho que a nação jamais se vergará às suas imposições.”
(01/04/64 –O ESTADO DE SÃO PAULO)

===

“Multidões em júbilo na Praça da Liberdade. Ovacionados o governador do estado e chefes militares. O ponto culminante das comemorações que ontem fizeram em Belo Horizonte, pela vitória do movimento pela paz e pela democracia foi, sem dúvida, a concentração popular defronte ao Palácio da Liberdade”
(Estado de Minas, 2 de abril de 64)

===

“A paz alcançada. A vitória da causa democrática abre o País a perspectiva de trabalhar em paz e de vencer as graves dificuldades atuais. Não se pode, evidentemente, aceitar que essa perspectiva seja toldada, que os ânimos sejam postos a fogo. Assim o querem as Forças Armadas, assim o quer o povo brasileiro e assim deverá ser, pelo bem do Brasil”
(O Povo – Fortaleza – 3 de Abril de 1964)
Enviada por TIE-Brasil, às 07:34 15/09/2010, de Curitiba, PR


Terroristas da Palavra
A campanha contra Dilma nas igrejas
Terroristas da palavra espalham pânico nas igrejas: prepara-se o terreno para mais ataques

Publico o ótimo levantamento feito pelo internauta Adriano Schoer. Ele – como esse humilde blogueiro – acha que a eleição não está decidida. Existe uma campanha surda, sem visibilidade, feita na base do terrorismo.

Não é a campanha midiática – essa ficou muito manjada. É a campanha nas igrejas, pelo Brasil afora. Prepara-se o terreno para o último ataque de Serra (com ajuda do PIG). Ninguém hoje tem muitas dúvidas de que esse último ataque – ao longo das próximas duas semanas - terá como objetivo espalhar o pânico, e a dúvida sobre Dilma. Devem ser utilizados episódios da época da ditadura: o bombardeio virá pela internet, por mensagens de SMS, com apoio da velha mídia e da campanha oficial de TV.

A operação começou lá atrás com a ficha falsa na primeira página. Depois, veio a “reportagem” de “Época”, acompanhadas sempre pelas correntes de emails a espalhar pela internet a idéia da Dilma “terrorista”, “comunista”, violenta”.

Enquanto o ataque final não vem, pastores e padres (são minoria, felizmente) fazem o serviço de preparação, como mostra o Adriano…

ACHO QUE A BALA DE PRATA VIRÁ DISSO AQUI

por Adriano Schoer

Pastores e Padres estão fazendo discurso amplamente golpista em suas igrejas, sobre questões que estão no PNDH-3: aborto, união cívil homeosexual, regularização da atividade de profissional do sexo, etc. Alguns como o Pastor Paschoal Piragine pedem abertamente para que não se voto no PT.

Os vídeos estão circulando amplamente na internet, nas listas de emails das igrejas. Tá na hora de começar com as vacinas para isso. Alguns discursos são amplamente golpistas e raivosos e misturam revolução, ateísmo, nazismo e ditadura.

Descobri isso em conversas dentro de casa (minha mãe) e cheguei a estes vídeos. A PIB (Primeira Igreja Batista – do Pastor Paschoal Piragine Jr.) é a que mais está trabalhando isso e da forma mais eficiente, pois não descamba a agressão como o caso do Padre Paulo Ricardo. O que escancara é que começam com um discurso anti aborto e homofóbico e logo descambam para o conservadorismo de direita. Chile, 1973. Lí todo o PNDH-3 este final de semana e estou buscando informações sobre os dois deputados que eles dizem terem sido expulsos do PT. Loucura essa parada.

Pe. Paulo Ricardo – PNDH-3
Parte 1:
http://www.youtube.com/watch?v=nl4y93HTzyI&sns=em
Parte 2:
http://www.youtube.com/watch?v=rl3IwlJxTrw&feature=related
Parte 3:
http://www.youtube.com/watch?v=rvTGIWL7Vfw&feature=related

Pr. Paschoal Piragine Jr – Presidente da 1ª Igreja Batista de Curituba
http://www.youtube.com/watch?v=ILwU5GhY9MI&feature=youtu.be

Dr. Zenóbio Fonseca critica PNDH-3
Parte 1:
http://www.youtube.com/watch?v=5chDiYCLUL8
Parte 2:
http://www.youtube.com/watch?v=1mgq-WuaBBQ
Parte 3:
http://www.youtube.com/watch?v=ZQn-3R6cjP0

Blog Zenóbio Fonseca:
http://zenobiofonseca.blogspot.com/2010/09/pt-ameaca-pr-paschoal-piragine-jr.html
Vídeo contra o aborto:
http://www.youtube.com/watch?v=U7qjFMtkmHE

Fonte: Escrevinhador
Enviada por Castor Filho, às 07:19 15/09/2010, de Internet


Sindicacau fecha acordo coletivo com a Cargill Agrícola S/A
Após audiência de conciliação, ocorrida no dia 01 de Setembro de 2010 no Ministério Público do Trabalho em Itabuna. A Cargill localizada na rodovia Ilhéus Uruçuca km 08 Distrito Industrial de Ilhéus – BA aceitou retornar à mesa de negociação no dia 10 de Setembro de 2010 acatando a proposta do Sindicacau de 7% de reajuste salarial e ticket alimentação de R$ 410,00, o qual foi levado para apreciação dos trabalhadores, e aprovado em Assembleia.

Só ADM Joanes se recusa a negociar

O Sindicato ingressou no Ministério Público do Trabalho solicitando a intermediação já que a ADM Joanes localizada na Rodovia Ilhéus Uruçuca Km 04 Distrito Industrial de Ilhéus-BA se recusa retornar para a mesa de negociação.
Enviada por Sindicacau, às 19:09 14/09/2010, de Ilhéus, BA


Trabalhadores da Penalty em Itabuna estão parados
Clique aqui para ampliar
Desde às cinco horas da manhã desta terça-feira (14), os operários e operárias da fábrica Penalty, de Itabuna estão com as atividades paradas exigindo da fábrica critérios justos para a conversão da Cesta Básica em Ticket Alimentação. A mudança está prevista em Convenção Coletiva como resultado da campanha salarial passada.

A categoria exige o Ticket Alimentação no valor de R$ 130,00 (cento e trinta reais) para todos, porém a empresa está oferecendo valores escalonados entre R$ 20,00 (vinte reais) a R$ 70,00 (setenta reais), que não contempla as necessidades dos trabalhadores. Além disso, a Penalty utiliza critérios injustos para o pagamento do benefício, ou seja, atrela o recebimento ao cumprimento de metas inatingíveis e para quem apresenta atestado médico ou possui falta considerada legal o pagamento é vetado.

"Os operários e operárias da Penalty de Itabuna exigem mais respeito por parte da fábrica na negociação com o Sindicato acerca da conversão da Cesta Básica para o Ticket Alimentação. Os valores e os critérios não são justos e a categoria está parada protestando contra a postura da empresa", denuncia Jéser Cardoso, presidente do Sintratec.

Ainda segundo Jéser, a qualquer momento a fábrica da Penalty, em Itajuípe, também pode ter as atividades paralisadas.

Fonte: SINTRATEC - Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Têxteis e Calçadistas do Sul e Extremo Sul da Bahia
Enviada por Sindicacau, às 18:32 14/09/2010, de Ilhéus, BA


Indústria tem folga para conceder aumentos salariais
A indústria brasileira tem condições de sobra para conceder aumentos salariais em 2010, pois teve um aumento de produtividade excepcional em relação à 2009.

No geral o aumento de produtividade na indústria no período janeiro-julho 2009/2010 foi de 10,75%, enquanto o aumento real de salários foi de 2,62% no mesmo período, fazendo com que o lucro das empresas e a parte daquilo que é produzido, mas não é paga aos trabalhadores aumentasse.

Com os ganhos de produtividade obtidos, as empresas podem absorver os custos dos reajustes salariais sem precisar repassar isso aos consumidores, como habitualmente fazem.

No setor de Máquinas e Equipamentos, que teve o melhor desempenho neste quesito, o aumento de produtividade chegou a absurdos 27,88% e os salários reais caíram 0,01% para a alegria dos patrões e vergonha do movimento sindical que atua no setor. Em outras palavras a peãozada do setor está ralando mais, produzindo 1/3 a mais e está ganhando menos do que ganhava quando ralava menos!

Na indústria de meios de Transporte (montadoras automobilísticas incluídas) o aumento da produtividade foi de 14,17% e elas se negam a dar o aumento real que vai de 4,5% a 8% reivindicado pelos sindicatos.

Quando a produtividade aumenta muito mais que o salário real, significa que o patrão passa a se apropriar de uma fatia maior da riqueza produzida pela peãozada, fazendo com que aumente a concentração de renda nas mãos de alguns poucos empresários nacionais e transnacionais. Em outras palavras, o peão trabalha mais, produz mais e não recebe por aquilo que efetivamente produziu. Logo fica mais pobre, mesmo ganhando algumas migalhas a mais.

Em muitos casos o aumento da produtividade significa também o desemprego de milhões de trabalhadores, pois a lógica do patrão é simples: "para que contratar dois trabalhadores se tem um que trabalha por dois e ganha por meio?".

De nosso lado é preciso refletir: se a produtividade aumenta tanto porque então, não se reduz a jornada de trabalho, melhorando a qualidade de vida daqueles que estão empregados e abrindo vagas para os milhões em busca de emprego?

As empresas tem fôlego para isso, pois não estão concedendo aumentos reais que comprometam os ganhos de produtividade e, muito menos, a sua lucratividade.

Acorda peão! A hora é essa!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 11:51 14/09/2010, de Curitiba, PR


100 mil metalúrgicos já conquistaram aumento real de 4,5%, mas greve pode começar na quinta
Cerca de 100 mil metalúrgicos em todo o Brasil já conseguiram reajustes salariais de 9% (inflação dos últimos 12 meses mais 4,5% de aumento real). Alguns também levarão para casa R$ 2,2 mil de abono.

No ABC 60 mil trabalhadores já garantiram 4,29% (inflação) + 4,52% de aumento real. Em Taubaté são 14 mil nesta mesma condição. Em São José dos Campos (30 mil trabalhadores) e em São Caetano do Sul (9 mil trabalhadores) além dos índices conquistados por Taubaté e ABC, os trabalhadores ainda ganharão um abono de RS 2,2 mil. Os 50 mil metalúrgicos de Curitiba, que também ganham menos que os paulistas, embora produzam veículos até mais caros que os produzidos em Sampa, reivindicam 13% de reajuste mais abono de R$ 3,5 mil, visando a equiparação salarial com SP.

Apesar dos resultados obtidos até o momento, os metalúrgicos de todo o país, porém, não descartam a realização de uma greve geral da categoria a partir da próxima quinta-feira (16.09), caso as montadoras não atendam às reivindicações dos Trabalhadores.

O aviso de greve foi entregue às empresas nesta segunda-feira, 13/09.

Tradicionalmente mais arredia às negociações e praticando políticas anti-sindicais a indústria de autopeças abriu a mão neste ano e concedeu os reajustes reivindicados pelos sidnicatos.

Já as montadoras, que estão lucrando como nunca, estão se fazendo de difíceis numa clara provocação ao movimento sindical. Elas apostam que os sindicatos não terão culhões para fazer greve em ano eleitoral, ainda mais quando a candidata apoiada pela maioria absolutas dos metalúrgicos lidera as pesquisas de intenções de voto.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:31 14/09/2010, de Curitiba, PR


Pesquisa diária Vox Populi/iG/Band: Dilma 54%
A 13ª amostra da pesquisa diário do Vox Populi/iG/Band, mostra que a diferença de Dilma para serra voltou a subir, atingindo a marca de 32% de vantagem para a candidata popular.

Durante a última semana a velha mídia fez um verdadeiro escândalo em cima de uma suposta quebra de sigilo fiscal dos tucanos. No primeiro momento Dilma perdeu alguns pontinhos de vantagem, serra não ganhou quase nada e Marina colheu seus frutos.

Como a oposição acusa e nunca mostra provas e foram surgindo evidencias de que na época de FHC uma empresa ligada a família de serra abaixo teria quebrado o sigilo fiscal de 60 milhões de brasileiros, tanto o tucano, quanto Marina voltaram a perder pontos e Dilma voltou a subir.

Dilma ainda está 2% abaixo de sua melhor marca alcançada em 07/09, quando registrou 56% da preferência popular. Está porém, 3% acima da marca registrada em 01/09 quando as amostras diárias começaram e Dilma tinha 51%.

Já o candidato tucano não para de perder pontos e se afundar, serraabaixo. Em 01/09 registrava 25%. Em 07/09 chegou a 21% e agora marca 22%.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 19:39 13/09/2010, de Curitiba, PR


Carta ao Presidente Lula e à Sra. Dilma Rousseff
Carta ao Presidente Lula e à Sra. Dilma Rousseff
Os atentados terroristas deste Setembro de 2010

Mauro Carrara (em nome de muitos, muitos brasileiros)

Senhor presidente, senhora candidata,

Certa vez, ao perceber o limite da tolerância ultrapassado, o diplomata italiano Baldassare Castiglione pronunciou uma frase que incomodou seus colegas e o episcopado romano.

- Perdoando demasiadamente aos que cometem faltas, fazemos uma injustiça contra os que não as cometem.

Baseado nessa sentença, séculos depois, o escritor Émile Zola escreveu no L"Aurore o célebre artigo J'accuse (Eu acuso), em que aponta os poderosos conspiradores e malfeitores que haviam destruído a reputação e a vida do capitão do exército francês Alfred Dreyfus, injustamente acusado e condenado por traição.

Em seu ácido, duro e brilhante texto, Zola denuncia cada um dos responsáveis pela produção de falsas provas, assim como a parcela da imprensa que se empenhou em iludir o público e incitar o ódio contra o militar e seus defensores.

O escritor ergue o dedo na direção dos veículos de comunicação que se juntaram à conspiração. Vale recordar o trecho:

- Eu acuso os gabinetes de guerra de terem liderado na imprensa, particularmente no L'Éclair e no L'Écho de Paris, uma campanha abominável para distrair a opinião e encobrir seus erros.

Hoje, no Brasil, assistimos atônitos a uma série de atentados terroristas praticados pela mídia, mais especificamente pelas Organizações Globo, pela Editora Abril (sobretudo por meio da revista Veja), pela Folha de S. Paulo e pelos veículos do Grupo Estado.

Por conta de interesses eleitorais, esses veículos de comunicação converteram-se em núcleos de terrorismo organizado, servindo especialmente aos partidos neoconservadores, o PSDB, de José Serra, e o DEM.

Liderados pelo Instituto Millenium praticam diariamente atentados contra a Democracia e o Estado de Direito.

Caluniam, difamam, injuriam e praticam fraudes, sempre impunemente, sempre arrogantemente, sem que se sejam alcançados pelo braço da lei.

Infelizmente, não há policial, promotor ou magistrado que se ocupe de enquadrar essas gangues e os grupos econômicos que as sustentam.

O cidadão está só, indefeso, pois não vê qualquer reação dos tribunais regulares, da tendenciosa justiça eleitoral, tampouco do Executivo Federal.

Dessa forma, o consórcio Globo-Abril-Folha-Estado segue agredindo barbaramente não somente os bons valores e princípios, mas também todos aqueles que lutam para consolidar a democracia no Brasil.

A seleção maliciosa de temas e a edição criminosa dos textos jornalísticos têm marcado a cobertura das Eleições 2010.

O golpismo irrompe explícito em todos os conteúdos políticos publicados pelas famílias Marinho, Frias, Mesquita e Civita.

Depois da criação do factóide que envolve a Receita Federal, o "Setembro de Fogo" ganhou mais um crime da lavra do "jornalista" Diego Escosteguy, funcionário do panfleto terrorista da família Civita.

Convém lembrar que o mesmo elemento publicou em 28/01/2006 a reportagem "Caixa financia obra da Vila Panamericana sem licitação", um peça de sabotagem política construída a partir de dados incorretos, incompletos e fantasiosos.

Diego Escosteguy e muitos de seus colegas do bando de Veja deveriam, na verdade, ocupar celas em prisões de segurança máxima, considerada a natureza destrutiva e criminosa do material contaminado que disseminam, semanalmente, para envenenar as relações sociais em nosso país.

Em seu mais recente crime, Veja e Escosteguy mentem, caluniam, difamam, adulteram fatos e agridem covardemente a Sra. Erenice Guerra, funcionária dedicada do Governo Federal, reconhecida por sua competência e reta conduta.

A "reportagem" denominada "O polvo no poder" constitui-se em inacreditável coleção de mentiras, exageros, deduções ilógicas, deturpações e invenções maliciosas, uma bomba midiática destinada a destruir reputações e estimular os setores mais reacionários da sociedade à prática de delitos que rompam a ordem institucional.

O Sr. Leonel de Moura Brizola nos ofereceu inúmeros exemplos de coragem e determinação, especialmente no que tange às ações de combate aos terroristas midiáticos do consórcio Globo-Abril-Folha-Estado.

Nós o vimos lutando bravamente, por exemplo, quando as Organizações Globo tentaram fraudar o resultado da eleição de 1982, no famoso Escândalo Pronconsult.

Cabe-vos, portanto, neste momento decisivo da vida nacional copiar esse modelo de conduta e liderar sem medo uma ação de cidadania que vise a coibir tais ações terroristas e encaminhar juridicamente o enquadramento não somente dos falsos jornalistas, mas também de seus capatazes e dos donos dos latifúndios midiáticos.

Isso requer de vossa parte um imediato J'accuse público de figuras nefastas como Ali Kamel, Eurípedes Alcântara, José Roberto Gazzi, Mario Sabino, Roberto Irineu Marinho, Ruy Mesquita e Otávio Frias Filho.

Ao nomear os mandantes e autores do terrorismo midiático, vacina-se a população brasileira contra a vírus da desinformação.

Além disso, constitui-se precedente para que todos os cidadãos prejudicados pelo consórcio midiático possam engendrar suas defesas e exigir a devida reparação.

Não existe democracia sem que o Direito e a Justiça sejam observados também no labor da informação pública.

Hoje, esse serviço de máxima importância estratégica para o país está controlado por uma malta de coronéis e bandoleiros contratados, cujos crimes têm sido vergonhosamente desconsiderados pelas autoridades do Executivo, do Legislativo e do Judiciário.

Exige-se uma resposta imediata, vigorosa e esclarecedora. E certamente é vossa a voz que o povo ouvirá.

Fonte: Rede Castrophoto
Enviada por Castor Filho, às 01:51 13/09/2010, de Internet


Audiencia Pública debate Economia Solidária no Paraná
Companheiras e Companheiros,

Vivemos um momento fundamental para a economia solidária no Paraná pois encontra-se em tramitação no legislativo o Projeto de Lei construído pelo movimento da ecosol e aprovado no III Encontro Estadual que reuniu nos dias 14 e 15 de Nov/2008, em Curitiba, empreendimentos solidários, entidades de apoio e gestores públicos de todo o estado.

A luta pelo marco jurídico da ecosol que já é uma bandeira histórica de muitos anos, seguiu ao longo de 2009, quando o Forum Paranaense de Economia Solidária entregou o PL oficialmente ao Executivo do Governo do Estado, clamando pela sua aprovação na II Conferência Estadual de Economia Solidária, realizada em Mai/2010, na cidade de Foz do Iguaçu sob o pleito daquela plenária:

"Pela Lei da Ecosol JÁ!"

Outra economia acontece e não há como recuar! Naquele momento, o movimento avança e conquista uma grande vitória - o Governo do Paraná assume o compromisso público de dar a devida atenção e encaminhamentos para que o PL fosse apreciado e seguisse para a possível aprovação. A atuação da Frente Parlamentar de apoio à Ecosol foi decisiva na etapa seguinte para acompanhar o andamento na Assembléia Legislativa e dialogar com os parlamentares, obtendo a aprovação na CCJ - Comissão de Constituição e Justiça.

Mas a luta continua e a Lei ainda passará por outras instâncias até ser aprovada e regulamentada. Em 07/Jul/10, na reunião ordinária do Forum Paranaense, os empreendimentos e entidades propuseram a realização de uma "Audiência Pública sobre a Lei para a Economia Solidária do PR", cuja proposta foi acolhida pela Frente Parlamentar e se concretizará no dia 14 de setembro, próxima terça-feira, com a participação de todos os segmentos da economia solidária do nosso estado.

Precisamos dar um novo passo para impulsionar o verdadeiro desenvolvimento sustentável, sob os princípios da cooperação, da autogestão, da solidariedade, do respeito ao meio ambiente, do comércio justo e do consumo ético.

Venha participar ! Na caminhada somente um coletivo torna legítima qualquer ação proposta e nesta somos atores co-responsáveis pela vitória de uma Lei que estará a serviço de centenas de mulheres e homens do campo e da cidade que acreditam na construção de uma sociedade melhor.

Dia 14 de setembro contamos com Você no

Plenarinho da Assembléia Legislativa do Paraná

9:00h - Audiência Pública

12:00h - Almoço solidário

14:00h - Plenária Estadual do Forum PR de Economia Solidária - FPES

15:30 - Cooperativas de Crédito e Bancos Comunitários

16:30 - Encerramento

Secretaria Executiva do Forum Paranaense de Economia Solidária

Maria de Fatima Costamilan
Agência de Desenvolvimento Solidário
Coordenadora Estadual - 41 9991-4117
Enviada por Maria de Fatima Costamilan, às 01:19 13/09/2010, de Curitiba, PR


Revoltados com a morte de dois colegas, operários param construção
Trabalhadores (as) paralisaram as atividades em todo o canteiro de obras do condomínio de luxo Le Parc, onde, na última quarta-feira (8), morreram dois operários. A decisão foi tomada nesta sexta-feira (10), em assembléia geral realizada na entrada do canteiro, com a presença de mais de quatro mil operários e diretores do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção (Sintracom-BA).

Muito tristes e revoltados com a morte dos colegas empregados da empreiteira Tecnotrav, Leandro Marques Cardoso e Roberto Rodson, ambos auxiliares de mecânico, e com a situação de um terceiro colega vitimado, Adilson do Nascimento, da empresa Austrália, que teve uma perna amputada e encontra-se na UTI, os trabalhadores decidiram que só retornarão ao trabalho quando as empresas construtoras do condomínio atenderem às reivindicações aprovadas na assembléia.

Na próxima segunda-feira, dia 13, as mobilizações dos trabalhadores continuarão em frente ao canteiro de obras do Le Parc e, às 11 horas, haverá uma reunião com a direção do Sintracom-BA e representantes das empresas, na sede da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), nas Mercês. A SRTE interditou as gruas das obras e embargou a grua que desabou provocando o acidente.

A direção do Sintracom-BA já encaminhou à SRTE e às empresas construtoras do Le Parc, Andrade Mendonça, Cyrela Brazil Realty, Brasplan Empreendimentos e Construções, Jotagê Engenharia e Austrália Empreendimentos Imobiliários, a pauta onde constam, dentre outras, as seguintes reivindicações: imediato cumprimento das regras de segurança e saúde no trabalho; adoção das providências exigidas pela SRTE; laudo conclusivo de funcionamento seguro das gruas; fim da perseguição aos cipistas; fornecimento ao Sindicato, no prazo de 10 dias, de relações com os nomes de todos os trabalhadores contratados através de subempreiteiras, constando data de admissão, função, salário e dados civis (RG, CPF, PIS e CTPS); e construção no prazo de 10 dias de uma passarela sobre a Avenida Paralela, com o objetivo de evitar a perigosa travessia dos trabalhadores e os atropelamentos constantes que inclusive já vitimaram vários companheiros.

Os trabalhadores reivindicam também a melhoria imediata da qualidade da alimentação fornecida no canteiro, que atualmente é intragável; fim da demora no recolhimento da multa de 40% do FGTS na demissão de trabalhadores; pagamento de todas as rescisões e salários pendentes dos trabalhadores despedidos pelos subempreiteiros; e o fornecimento de transporte gratuito para os trabalhadores que necessitam se deslocar até a Suburbana e pontos não alcançados pelas linhas que transitam pela Paralela.

Fonte: Assessoria Sintracom-BA
Enviada por Sindicacau, às 15:06 12/09/2010, de Ilhéus, BA


11 de setembro se chama Allende
No dia 11 de setembro de 1973, o presidente do Chile, Salvador Allende, foi assassinado na sede do governo, durante o golpe de Estado liderado pelo general Augusto Pinochet, com apoio declarado do governo dos Estados Unidos. Em seu discurso derradeiro, Allende pede ao povo chileno que aproveite a lição: “o capital estrangeiro, o imperialismo, unidos à reação criaram o clima para que as Forças Armadas rompessem sua tradição”.

“Seguramente, esta será a última oportunidade em que poderei dirigir-me a vocês. A Força Aérea bombardeou as antenas da Rádio Magallanes. Minhas palavras não têm amargura, mas decepção. Que sejam elas um castigo moral para quem traiu seu juramento: soldados do Chile, comandantes-em-chefe titulares, o almirante Merino, que se autodesignou comandante da Armada, e o senhor Mendoza, general rastejante que ainda ontem manifestara sua fidelidade e lealdade ao Governo, e que também se autodenominou diretor geral dos carabineros.

Diante destes fatos só me cabe dizer aos trabalhadores: Não vou renunciar! Colocado numa encruzilhada histórica, pagarei com minha vida a lealdade ao povo. E lhes digo que tenho a certeza de que a semente que entregamos à consciência digna de milhares e milhares de chilenos, não poderá ser ceifada definitivamente. [Eles] têm a força, poderão nos avassalar, mas não se detém os processos sociais nem com o crime nem com a força. A história é nossa e a fazem os povos.

Trabalhadores de minha Pátria: quero agradecer-lhes a lealdade que sempre tiveram, a confiança que depositaram em um homem que foi apenas intérprete de grandes anseios de justiça, que empenhou sua palavra em que respeitaria a Constituição e a lei, e assim o fez.

Neste momento definitivo, o último em que eu poderei dirigir-me a vocês, quero que aproveitem a lição: o capital estrangeiro, o imperialismo, unidos à reação criaram o clima para que as Forças Armadas rompessem sua tradição, que lhes ensinara o general Schneider e reafirmara o comandante Araya, vítimas do mesmo setor social que hoje estará esperando com as mãos livres, reconquistar o poder para seguir defendendo seus lucros e seus privilégios.

Dirijo-me a vocês, sobretudo à mulher simples de nossa terra, à camponesa que nos acreditou, à mãe que soube de nossa preocupação com as crianças. Dirijo-me aos profissionais da Pátria, aos profissionais patriotas que continuaram trabalhando contra a sedição auspiciada pelas associações profissionais, associações classistas que também defenderam os lucros de uma sociedade capitalista. Dirijo-me à juventude, àqueles que cantaram e deram sua alegria e seu espírito de luta.

Dirijo-me ao homem do Chile, ao operário, ao camponês, ao intelectual, àqueles que serão perseguidos, porque em nosso país o fascismo está há tempos presente; nos atentados terroristas, explodindo as pontes, cortando as vias férreas, destruindo os oleodutos e os gasodutos, frente ao silêncio daqueles que tinham a obrigação de agir. Estavam comprometidos. A historia os julgará.

Seguramente a Rádio Magallanes será calada e o metal tranqüilo de minha voz não chegará mais a vocês. Não importa. Vocês continuarão a ouvi-la. Sempre estarei junto a vocês. Pelo menos minha lembrança será a de um homem digno que foi leal à Pátria. O povo deve defender-se, mas não se sacrificar. O povo não deve se deixar arrasar nem tranqüilizar, mas tampouco pode humilhar-se.

Trabalhadores de minha Pátria, tenho fé no Chile e seu destino. Superarão outros homens este momento cinzento e amargo em que a traição pretende impor-se. Saibam que, antes do que se pensa, de novo se abrirão as grandes alamedas por onde passará o homem livre, para construir uma sociedade melhor.

Viva o Chile! Viva o povo! Viva os trabalhadores! Estas são minhas últimas palavras e tenho a certeza de que meu sacrifício não será em vão.

Tenho a certeza de que, pelo menos, será uma lição moral que castigará a perfídia, a covardia e a traição.”

extraído do RSURGENTE

Fonte: Rede Castorphoto
Enviada por Castor Filho, às 08:04 11/09/2010, de Internet


Agora somos todos "Sujos"!
Clique Aqui para ampliar
O Luis Nassif Online lançou a Campanha "Eu apoio Blog Sujo. Não acredito na grande mídia "limpinha" e convoca blogueiros a aderirem.

Em colaboração, o Clipping do Mário também disponibiliza matrizes do selo Blog Sujo para a utilização nas páginas progressistas da blogosfera.

Veja aqui o manifesto.

Fonte: Clipping do Mario Blogs Sujos

Nota desta Redação
Antes do Encontro Nacional dos Blogueiros Progressistas, ocorrido em 20, 21 e 22 de agosto de 2010, em SP, o candidato demotucano serrabaixo fez uma série de declarações onde afirmava que os Blogs que não o apóiam seriam "Blogs Sujos" que recebem dinheiro do governo Lula. Como sempre, mais uma acusação de quem nunca consegue mostrar provas, nem mesmo a de que é economista. Serra onde está o diploma???
Enviada por Nelba Nycz, às 07:42 11/09/2010, de Curitiba, PR


Lula: " O brasileiro está mais maduro e não vai se deixar enganar"
Enviada por Sérgio Bertoni, às 23:27 07/09/2010, de Curitiba, PR


Lula coloca os pingo nos "is" e chama serra pro pau!
Enviada por Sérgio Bertoni, às 23:24 07/09/2010, de Curitiba, PR


Pesquisa diária Vox Populi/iG/Band: aumenta para 35% vantagem de Dilma
Clique na imagem para ampliá-la
A sétima mostra da pesquisa Diária realizada pelo Vox Populi/iG/Band mostra que Dilma não para de crescer e serra segue morro abaixo.

Na amostra de 07 de setembro, dia da Pátria, a candidata de Lula tem 56% daa intenções de voto. Serra caiu para 21%.

As oscilações de Dilma e serra estão dentro da margem de erro da pesquisa, mas acrescentam 2% a mais de vantagem para Dilma de ontem para hoje. Na amostra de 06.09.2010 a diferença era de apenas 33%.

Marina segue estagnada com 8% e os demais candidatos abaixo de 1%.

Os indecisos somam 10% e Brancos e Nulos 4%.

Parece que os métodos tradicionais de difamação e terrorismo do medo usados pela direita e seu PiG não estão dando certo para eles, mas ajudam terrivelmente à candidata de Lula. Quanto mais ele difamam, acusam e falam mal de Dilma, do PT e de Lula, mais a candidata petista cresce.

Cadê os "jornalistas" que se acham formadores de opinião???
Enviada por Sergio Bertoni, às 16:01 07/09/2010, de Curitiba, PR


Blogosfera desmascara montagem de foto: caso de polícia
Por sugestão de Ivo Pugnaloni, um dos membros do Comitê de Organização do I Encontro Estadual do Blogueiros Progressistas no Paraná - EEBP-PR, indicamos a leitura do artigo publicado no blog viomundo de Luiz Carlos Azenha, que pode ser acessado pelo link abaixo:

http://www.viomundo.com.br/denuncias/blogosfera-desmascara-montagem-de-foto-caso-de-policia.html

Muito se fala sobre a tal bala-de-prata a ser usada pela elite e sua velha mídia para tentar melar as eleições deste ano.

Uma dessas balas de prata pode ser até mesmo um mega atentado em São Paulo com as 2,5 toneladas de dinamite roubadas na Rodovia Fernão Dias no dia 31 de agosto e até agora não encontradas pela Polícia Civil de SP.

Rapidamente o PiG e os demotucanos mostrariam as provas de que o caminhão foi roubado por petistas ou a mando destes e que o atentado visava ajudar a eleição de Mercadante, prejudicando assim serra abaixo e o picolé de xuxu.

O amigo leitor pode rir e achar que a hipótese é ridícula. Mas depois de todas as besteiras que eles fizeram, de todas as mentiras que contaram, só nos resta imaginar que irão fazer mais e mais besteiras, coisas ridículas, inimagináveis, mas que possam assustar os paulistas e, quem sabe, reverter o jogo pelo menos em SP.

Desta forma o estado se tornaria o bastião da resistência da aristocracia quatrocentona, assim como ocorreu nos anos 1930, quando a paulistada resolveu quebrar o acordo com Minas (política do café-com-leite) indicando o paulista Júlio Prestes para a sucessão do também "paulista" Washington Luís, perdeu o poder federal para o gaúcho Getúlio Vargas e fez sua intentona feudal-capitalista em 1932, a qual chamou de revolução constitucionalista.

Vejam só as coincidências! Os tucanos paulistas tratoraram os tucanos mineiros, assim como o PRP (paulista) tratorou o PRM (mineiro) (*). A candidata a sucessão do "paulista" Lula é uma gaúcha (**).

Por que, então, não supor um remake de 1932 com o Estadão (de novo) e a FSP à frente do "Ouro por São Paulo" em 2012, por exemplo?

Esses caras já mostraram que não tem escrúpulos nenhum. A moral deles é a do ganha-ganha. O fim justifica os meios. Essa é a linha mestra do pensamento dessa direita atrasada que domina a velha mídia e parte da elite que critica o estado, mas vive a mamar em suas tetas.

Fato é que quanto mais divulgarmos as atrocidades já cometidas por estes caras (PiG e elite branca), mais estaremos protegendo nossa Democracia e, por consequência, nosso país de uma volta ao passado obscuro de ditaduras e miséria geral.

(*) Ambos eram Partido Republicano, mas na época os partidos eram estaduais e não nacionais como atualmente
(**) O pernambucano Lula, assim como o cairoca Washington Luís, fez sua carreira política em São Paulo, fora de seu estado de origem. O mesmo vale para a mineira Dilma Rousseff que fez carreira política no RS.
Enviada por Sérgio Bertoni, às 10:35 07/09/2010, de Curitiba, PR


Golpe branco?
Por Evilazio Gonzaga

Quando a gente vê os abusos que a nossa "grande" mídia anda cometendo, nada é impossível. Vejam um exemplo: neste último sábado, a notícia mais importante foi o crescimento do PIB. O Brasil passa a ser um dos três maiores players da economia mundial, está no pódio e já disputa o primeiro lugar em crescimento. Para a Folha de São Paulo e o Globo, este fato de primeira grandeza não mereceu mais do que pequenas notas de pé de página.

Nas manchetes exageradas estava a dúbia quebra do sigilo da filha de um candidato. O pior, nas matérias não havia espaço para o controverso, para diferentes possibilidades que podem ter gerado o fato, por exemplo o envolvimento de tucanos mineiros no episódio ou uma armação da própria campanha oposicionista.

Pessoas inteligentes percebem que quem está ganhando com tranqüilidade não quer marola, então essas duas possibilidades não podem ser descartadas, pois quando acontece um crime, a primeira pergunta dos detetives espertos é: quem foi beneficiado com ele?

Certamente que não foi a campanha Dilma. Pois bem, o que a "grande" mídia está tentando fazer é agenda setting, uma tentativa de impor um assunto à sociedade.

Hitler fazia isso e com o tempo, gerava a espiral do silêncio: as pessoas passam a ter medo de tratar determinados assuntos de maneira divergente da maioria. Pode ser que isso não ocorra na maioria da população, que não consome a "grande" imprensa, mas tem forte potencial de acuar a classe média, que valoriza esse lixo, que clamamos no Brasil de "grandes" meios de comunicação.

A articulação desses veículos - FSP, Estadão, Globo, Rede Globo e Veja - leva a temer a possibilidade de um golpe branco contra a democracia brasileira. O golpe de 64 foi viabilizado com a conquista da classe média e Getúlio foi levado ao suicídio, por acusações infundadas, qmas que convenceram temporariamente classe média (que depois se arrependeu, mas Inêz já estava morta). Há suspeita de que tenta-se conquistar o apoio da classe média, para viabilizar uma fraude em grande escala ou uma manobra no tapetão do TSE (Marco Aurélio Melo é titular do TSE).

Assim é importante que todos reflitam sobre o texto (clique aqui para acessá-lo), do jornalista Luiz Carlos Azenha, ex-Rede Globo, que repercute texto do colunista Luis Nassif.

Think about!
Enviada por Ubiraja Freitas, às 10:15 07/09/2010, de Belo Horizonte, MG


Veja, mas que mentira!
Enviada por TIE-Brasil, às 21:43 06/09/2010, de Internet


Pesquisa diária Vox Populi/Band/iG: Dilma 55%, Serra 22%
Do IG

No sexto dia de medição, petista oscila positivamente acima da margem de erro

No sexto dia das medições do tracking Vox Populi/Band/iG para a eleição presidencial, a petista Dilma Rousseff obteve 55% e o tucano José Serra 22% das intenções de voto. Pela primeira vez desde o início da medição, no dia 1 º de setembro, a petista oscila positivamente acima da margem de erro que é de 2,2 pontos percentuais. O mesmo ocorre com o candidato tucano, que oscila negativamente além da margem de erro. No dia 1º, Dilma tinha 51% e Serra 25%.

A candidata Marina Silva (PV), terceira colocada, apresentou novamente 8% das intenções de voto –mesmo percentual da última pesquisa. Brancos e nulos são 4%, indecisos somam 10%, mesmo índice do levantamento do dia anterior, e os outros candidatos têm 1%.

Confira mais detalhes da escalada de Dilma e do tombaço de serrabaixo diretamente no IG

Pesquisa não ganha voto, mas com certeza estimula os instintos mais animalescos de nossas aves e outros bichos que os cercam.

É bom estar atento para as 2,3 toneladas de dinamite que foram roubadas hoje.

Quem as roubou?

Para que as roubou?

Fiquemos atentos, pois pode vir muita apelação por aí.

A coisa pode chegar a níveis nunca dantes vistos neste país...
Enviada por Sérgio Bertoni, às 20:16 06/09/2010, de Curitiba, PR


Blogueiros do Rio se reunem para organizar encontro estadual
Por Sérgio Teles

No domingo, 29/08, cerca de 10 blogueiros progressistas se reuniram no Sindicato do Chopp, no Leme, para dar início à mobilização estadual dos blogueiros, twitteiros e outros internautas com o mesmo perfil progressista.

A primeira mobilização foi definida já após o final do 1° Encontro Nacional dos Blogueiros Progressistas, aonde ficou escolhida a hashtag do evento estadual (#RioBlogProg) e as primeiras formas de mobilização. Com isso, foi criada uma lista de discussão por e-mail, aonde está se debatendo diversos temas da organização além de outros temas de interesse dos internautas progressistas.

Desde aquele momento, os internautas cariocas presentes já sentiam que a principal necessidade era viabilizar a realização de oficinas que capacitem e melhorem a capacidade de circulação do conteúdo gerado por todos. Essa é a maior prioridade do #RioBlogProg e não ficará restringida ao evento em si, a idéia é que a rede criada possa permanentemente estabelecer parcerias capazes de criar soluções e especialmente multiplicar e transbordar, ou seja, sempre termos novos internautas aderindo ao movimento e estes com capacitação para propagar os ideais progressistas e as ferramentas de disseminação de conteúdo.

Início da primeira reunião no Leme: o "estado da arte" da blogosfera carioca

Com 10 integrantes na mesa (nenhum deles jornalista, destaca-se), iniciamos um debate aberto sem regras de moderação. O primeiro tema foi o cenário da blogosfera no Rio de Janeiro, aonde claramente vivemos sob forte influência do poder da Rede Globo e todo seu sistema de comunicação que inclui jornais, rádios e numa medida geral fazemos contraponto e geramos contra-informação nas lacunas da velha mídia e analisando e criticando erros e o "pensamento único" dessa poderosíssima empresa de comunicação.

Portanto, somente nisso o estabelecimento de uma rede organizada de internautas cariocas já é fundamental, pois estamos no mesmo estado da sede da talvez última empresa de comunicação ainda com alguma capacidade de manipulação, especialmente por meio do Jornal Nacional.

Na reunião percebemos a ausência de muitos blogueiros e twitteiros cariocas de ótima capacidade, alguns como o Brizola Neto naturalmente envolvidos na campanha, mas a idéia é contar com todos os grandes nomes do cenário carioca, Blog do Mello, Blog do Alê, Óleo do Diabo, Blog do Saraiva entre outros importantes geradores de conteúdo. Na reunião reconhecemos também que temos forte geração de conteúdo em listas de discussão, tal como a Rede 3setor que se fazia presente com o Beto, uma das diversas redes de circulação de conteúdo alternativo por e-mail que são gerenciadas a partir do Rio de Janeiro.

Mas lá não estávamos "mal-servidos", representavam-se importantes blogueiros cariocas como por exemplo o Saulo do Blog do LEN, a @Ro_anna do Maria da Penha Neles e o Márcio Kerbel do Blog do Kerbel.

Como foi falado na nossa reunião e nessa excelente entrevista do Brizola Neto ao Luiz Carlos Azenha, do Vi o Mundo, com a queda dos grandes grupos de comunicação sediados no Estado do Rio que faziam concorrência forte às Organizações Globo (tal como o Grupo Bloch, o Jornal do Brasil e os Diários Associados), resta aos blogueiros e internautas organizarem-se de forma a tornar o contraponto de opinião e geração de conteúdo crítico e preenchendo as lacunas que a Globo não se interessa, tal como a Baixada Fluminense, o interior do Estado e as áreas mais pobres da capital.

Observação: Não foi falado na reunião, mas o jornalista Sidney Rezende, que é funcionário das Organizações Globo, tem um excelente trabalho independente na internet de "preencher lacunas" com o site SRZD.

Da mesma forma, tal como funciona o Tijolaço do deputado carioca Brizola Neto (80% de audiência de fora do RJ), o Rio sempre foi produtor de conteúdo com perfil de "caixa de ressonância nacional" até pela cidade ter sido capital por tanto tempo e ter sido originária de diversos nomes de expressão nacional em termos de "pensar o país". Que, ainda recentemente, o Encontro Nacional de Mídia Livre, realizado no Rio de Janeiro, juntou 700 pessoas. E, posto isso, há grande potencial para que o Rio de Janeiro seja sede do 2° Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas.

Pensando um pouco sobre o #RioBlogProg

Passamos então a discutir sobre o evento estadual. Como o 2° Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas será em maio/2011, temos até abril para organizar nosso evento estadual. Não foi fechada uma data ao certo, mas a opção de janeiro apareceu como a mais forte. A questão de ser alta temporada prejudica a questão de hospedagem, mas podemos adotar soluções de hospedagem solidária a quem vier do interior.

Local: Há 2 propostas fortes e não excludentes entre si:

- Universidade: para a realização de oficinas, a opção de realização do #RioBlogProg em uma universidade seria perfeita, pela existência de laboratórios de informática que estão preparados exatamente para essa finalidade, segundo informações da reunião.

- Auditórios de sindicatos: seguiria o mesmo molde do Encontro Nacional, utilizando-se dos bons auditórios de sindicatos que apóiam o movimento blogueiro.

A realização exclusiva nos auditórios impediria a realização de oficinas (apenas as com celular seriam viáveis), no momento nossa maior prioridade. É possível pensar até numa grade que permita eventos nos 2 ambientes, com oficinas em laboratórios/Pontões de Cultura e plenárias em auditórios para debates.

Trazer a universidade e especialmente a academia, tanto professores como alunos, jovens é uma meta importante que precisamos para ampliar nossa capacidade de produção de qualidade e disseminação de conteúdo. A universidade também leva vantagem por agregar espaços adequados para nosso evento, além de ter boa banda larga o que foi por exemplo um enorme problema durante o Encontro Nacional.

Além dos nomes citados, foram pensadas diversas parcerias com membros da ECO da UFRJ (especialmente com a Ivana Bentes, entusiasta da mídia livre), com a CUFA, com alguns políticos que também utilizam a internet (mesmo que de maneira inadequada) e com o Emir Sader, que também encontra-se em campanha como suplente de senador.

Dentre outros temas internos à organização, a transmissão do encontro com boa qualidade é prioridade. Também iremos construir um projeto executivo para apresentar aos nossos "amigos da blogosfera" e na realização das parcerias que desejamos, com apoios de caráter financeiro, estrutural, social e político.

Quem estiver interessado em saber da íntegra da ata de nossa reunião, e participar das nossas discussões, convido para ingressar na lista #RioBlogProg que a ata encontra-se disponível nos arquivos do grupo. E utilize no Twiiter e nas redes sociais a hashtag #RioBlogProg sempre que falar a respeito não apenas do evento, mas do movimento dos internautas progressistas do Estado do Rio de Janeiro.

Próxima reunião

Será na primeira semana de outubro, em algum auditório no Centro do Rio de Janeiro. A discussão sobre o tema está em aberto na lista, inscreva-se e participe!

Fonte: Opiniões - Sergio Telles
Enviada por Castor Filho, às 14:26 06/09/2010, de Internet


Lula não atenderá pedido de tucano para censurar a Internet
Enviada por Sérgio Bertoni, às 04:06 06/09/2010, de Curitiba, PR


I Encontro de Blogueiros Progressistas no Paraná será em novembro de 2010
Do ParanáBlogs

“A cidadania ativa na Internet : o caráter revolucionário dos blogs. O desafio do Paraná”

Os blogueiros residentes no Paraná presentes ao I Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas, em 22 de agosto formaram um Comitê para organizar o I Encontro Estadual dos Blogueiros Progressistas no Paraná – EEBP-PR.

O I EEBP-PR “A cidadania ativa na Internet : o caráter revolucionário dos blogs. O desafio do Paraná” será realizado nos dias 26, 27 e 28 de novembro de 2010, em Curitiba. Será também a etapa estadual de preparação para o II Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas que acontecerá em 2011.

O Encontro Estadual tem como objetivos:

* disseminar o fenômeno dos blogs no Paraná
* ampliar o número de agentes ativos na blogosfera como forma de aprofundar o conteúdo de cidadania da internet.

O EEPB-PR é um espaço aberto destinado à aproximação de blogueiros, twitteiros e sites progressistas e independentes de todo estado, onde se buscará fortalecer a rede virtual e horizontal em criação no Paraná.

Assim como o Encontro Nacional realizado em São Paulo, o paranaense será um espaço supra-partidário, onde os blogueiros, twitteiros e sites independentes, os movimentos sociais, populares e sindical, jornalistas e ativistas das causas sociais, debaterão:

* A liberdade de expressão, Internet e Aspectos Jurídicos;
* A Internet, a Cidadania e os Movimentos Sociais;
* Papel dos Blogs,Twitter e outras Ferramentas;
* Estratégias de Formação de Cidadãos Ativos e Conectados na Internet, Alfabetização Digital e Adensamento das redes;
* Blogs: conteúdo prioritário do Jornalismo, da Informação e da Opinião.

A Democratização das Comunicações, a Liberdade de Expressão, os Planos Estadual e Nacional de Banda Larga (PEBL e PNBL), a Neutralidade da Internet, são temas vitais para construção de um Paraná Autônomo, Livre, Plural e Democrático para todos os que aqui vivem.

O EEBP-PR ainda contará com Oficinas Práticas, com “aulas” de Blogosferização – orientação e suporte à criação e uso de blogs – para associações de moradores, movimentos populares e sindicatos.

Os Defensores da Liberdade de Expressão e da Democratização dos Meios de Comunicação no Paraná mostrarão a força da parceria entre movimentos sociais, sindicatos e blogueiros independentes.

Acesse nosso blog coletivo http://paranablogs.wordpress.com/, acompanhe as novidades e ajude a organizar o Primeiro Encontro Estadual de Blogueiros Progressistas no Paraná.

Fazem parte do Comitê Organizador do I Encontro de Blogueiros Progressistas no Paraná:

http://amigosdatvbrasil.blogspot.com/

http://cadernosdagraciosa.blogspot.com/

http://engajarte-blog.blogspot.com/

http://maisdeumbilhaopassamfome.blogspot.com/

http://midiacrucis.wordpress.com/

http://mvtvcom.com.br/

http://www.tie-brasil.org/

http://tribunasetoreletrico.blogspot.com/

http://vivasamas.wordpress.com/

Enviada por ParanáBlogs, às 23:19 05/09/2010, de Curitiba, PR


Viva o povo brasileiro!
Por Emir Sader

Massacrado pelos monopólios da velha mídia, desinformado sobre o país, vitima das mentiras reiteradas da oposição midiática, o povo brasileiro demonstra nestas eleições um grau de consciência política e de maturidade cívica exemplares. Consegue distinguir o essencial do secundário, opta pela prioridade das políticas sociais sobre a absolutização do ajuste fiscal, condena os políticos responsáveis pelos governos desastrosos do passado, opta pelo Estado como indutor do crescimento e da distribuição de renda.

Reconhece em Lula e na Dilma os principais responsáveis pelas mudanças positivas que o pais vive, execra a FHC, a Serra, à Globo e aos seus aliados da velha mídia, não dando bola para seus factóides e deixando-os na solidão do seu golpismo. O povo reconhece os avanços principais que o país teve, assiste os programas da Dilma na TV, comparece aos comícios de Lula e da Dilma, e se reconhece, sabe que tudo o que se mostra e se diz reflete as mudanças de vida que estão vivendo no seu mundo sofrido e até aqui abandonado.

Não deram ouvidos para as infâmias da oposição e sua velha mídia, de preconceitos contra as mulheres – que hoje majoritariamente também preferem Dilma -, contra os lutadores contra a ditadura, contra os movimentos sociais e os militantes políticos, que saem todos engrandecidos com o apoio popular.

Derrotados saem a Globo, a Veja, a FSP (Força Serra Presidente), o Estadão e todos os arautos do golpismo, do velho Brasil, das oligarquias tradicionais, com seus métodos de manipulação da opinião pública e de desprezo e discriminação pelo povo e por tudo o que é popular.

O povo percebe a diferença entre a demagogia opositora, não dá ouvidos a quem pretende ser eqüidistante dos dois campos em luta, relega ao ostracismo os que pretendem que nada mudou no Brasil. O povo não é bobo, encontra em Lula e na Dilma as vertentes do futuro, reconhecem a valorização do Brasil, sentem a auto-estima revigorada, superam o desalento, voltam a acreditar em si mesmos e no país.

Por isso o povo impõe a mais acachapante derrota às elites tradicionais, com sua velha imprensa, seus políticos caducos, sua demagogia superada. Derrota os caciques tradicionais que os enganaram durante tanto tempo, mandam FHC para o exílio e Serra para a aposentadoria, os tucanos para o museu da história.

“Esse povo de quem fui escravo, não será mais escravo de ninguém”, pregava e previa o Getúlio na sua Carta Testamento. Quem não reconhece esse povo, que começa a construir sua soberania, sua emancipação, seu destino próprio, suas formas solidárias de vida, está de costas para o país e merece ser derrotado fragorosamente nas eleições deste ano.
Enviada por Emis Sader, às 12:32 05/09/2010, de Rio de Janeiro, RJ


Sindicacau fecha acordo Salarial com a Barry Callebaut
Após 3 meses de negociações com várias moblizações com os trabalhadores na porta de fabrica a Barry Callebaut finalmente apresentou uma proposta que atende as expectativa dos trabalhadores.

A empresa propôs um reajuste salarial de 7%(sete por cento), Piso Salarial de R$ 622,00(seiscentos e vinte e dois reais),ticket Alimentação de R$ 410,00 (quatrocentos e dez reais).

Com relação a Cargill após audiencia de conciliação realizada no ultimo dia 01 de setembro de 2010 no MPT(Ministério Publico do Trabalho) em Itabuna com a intermediação da procuradora do Trabalho Dra. Larissa Santana Leal Lima,a empresa se comprometeu em um prazo de 5 dias úteis o retorno a mesa de negociação, confirmou hoje o retorno a mesa de negociação para o dia 10 de setembro de 2010.

Com relação a ADM Joanes o Sindicacau encaminhou oficio ao MPT em Itabuna para intermediação já que a empresa se recusa a retornar a m esa de negociação após os trabalhadores rejeitarem a ultima proposta,os trabalhadores tem como data base 1º de junho .
Enviada por Sindicacau, às 09:51 05/09/2010, de Ilhéus, BA


Dados da Receita passeiam em DVDs no centro de São Paulo
Entre filmes e jogos piratas, em várias ruas do centro da cidade, qualquer um pode comprar por 100 reais dados sigilosos de todos os contribuintes do país, em DVD e com garantia (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Por Felipe Corazza, na Carta Capital

São Paulo – Boa parte do sigilo dos contribuintes da Receita Federal passeia em DVDs pelo centro de São Paulo. Na Rua São Bento, entre os prédios do Banco do Brasil e da BM&F, o interessado não demora mais do que cinco minutos para colocar as mãos em milhões de registros sigilosos. Diversos vendedores de DVDs piratas – filmes, jogos de videogame e programas de computador – ficam pelos cantos, com os olhos sempre atentos ao menor movimento da Guarda Civil Metropolitana com seu temido “rapa”.

Qualquer um deles pode informar na hora: temos e custa 100 reais. Referem-se ao DVD que chamam “RF” – de Receita Federal. Nenhum dos CDs e DVDs fica, realmente, em exposição. Para reduzir os prejuízos com apreensões, os ambulantes exibem apenas pedaços de plástico ou papelão com algumas das capas. Feita a encomenda, um dos “funcionários de apoio” vai a um prédio nas imediações para buscar o produto. Talvez conforte saber que seus dados pessoais cadastrados na Receita não ficam expostos ao lado de um DVD de Fifa Soccer, mas o conforto para por aí.

Ao preço de 100 reais, pergunta-se ao vendedor quais são os dados contidos no DVD. Nome, telefone, CPF e endereço completo de cerca de 50 milhões de pessoas. Tudo dividido por estado, em arquivos de Access, programa que faz parte do pacote Office, da Microsoft. Até nisso, monopólio para as ferramentas criadas por Bill Gates. O rapaz demora dois minutos para buscar o dito produto. Eternidade para o vendedor, que muda de lugar três vezes neste curto tempo, driblando a polícia. “A viatura tá subindo ou descendo?”, pergunta um outro pirata mais abaixo na rua. “Descendo”, responde o vendedor, nervoso. O carro da Guarda Civil vira antes de chegar ao local, imediatamente antes da chegada do “RF”. DVD na mão, dinheiro entregue, e se não funcionar? O vendedor pede uma caneta, anota o próprio nome e dois números de telefone celular em um pedaço de papel. “Se precisar de mais coisa, Junta Comercial, essas coisas, é só ligar”.

Os CDs e DVDs com informações sigilosas são vendidos, também, em outros locais tradicionais de pirataria em São Paulo, como a Rua Santa Ifigênia. Em tempo: não houve necessidade de procuração, ao menos para estes dados mais simples. O DVD comprado pela reportagem não foi copiado, nenhum dos dados foi gravado ou utilizado para qualquer fim e a mídia será entregue às autoridades competentes.
Enviada por Jansem M.C., às 12:31 03/09/2010, de São Paulo, SP


Oposição acusa sistematicamente sem provas
A candidata da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, Dilma Rousseff, disse hoje em entrevista ao SBT Brasil que o bloco de oposição (DEM, PSBD E PPS) usa uma prática sistemática de acusar sua campanha sem provas. Questionada sobre as investigações da Receita Federal sobre o suposto vazamento de dados do imposto de renda de dezenas de pessoas no país, a petista disse que ela é a pessoa mais interessada no esclarecimento imediato.

“Eu não entendo as razões que levam o candidato da oposição a levantar contra minha campanha uma acusação tão leviana e sem provas. Em setembro de 2009 [quando teriam acontecido alguns vazamentos] minha campanha não existia e eu nem era candidata", disse. "É importante que tenhamos cuidado com calúnia na eleição. Quero repudiar essa prática sistemática nessa eleição de fazer acusações e não apresentar provas. É uma falta de respeito. E eu não aceito.”

Dilma disse que cabe à Receita Federal e à Polícia Federal esclarecer o vazamento de dados fiscais sigilosos de brasileiros, militantes políticos ou não, e que torce para que as investigações estejam concluídas antes do final da eleição. Ela lamentou ainda que a oposição tenha levado o debate eleitoral por esse caminho. “Eu queria estar aqui debatendo a segurança, a educação”.

“Os maiores interessados nessa apuração são a minha campanha e eu. Ter vazamento é grave. Eu sou a maior interessada [que seja logo concluída] porque estou sendo acusada sistematicamente de forma leviana”, acrescentou.

O PT já ingressou com ação judicial contra o candidato José Serra por calúnia devido às acusações dele e do seu partido contra a campanha da coligação Para o Brasil Seguir Mudando.
Enviada por TIE-Brasil, às 21:26 01/09/2010, de Curitiba, PR


É hora do Rasputin
Da Carta Maior

A candidatura Serra desidrata sob taxas alarmantes de perda de credibilidade. Um clima político seco envolve o representante do conservadorismo brasileiro.

A menção ao nome 'Serra' registra níveis recordes de rejeição em todas os termômetros de intenção de voto. Há pouco mais de 30 dias do escrutínio das urnas, o tucano não consegue obter uma única notícia positiva para mudar a sensibilidade predominantemente negativa da sociedade diante da hipótese de tê-lo como ocupante da Presidência da República.

À antipatia alia-se agora a convicção majoritária entre os brasileiros de que ele será derrotado em 3 de outubro. Mesmo os que o apoiam compartilham dessa convicção.

Sondagem diária feita pela Vox Populi indicava nest 4º feira que a candidata Dilma Rousseff já teria 51% das intenções de voto, contra 25% de Serra.

Em uma palavra, Serra não aglutina no presente, nem motiva para o futuro. A isso se dá o nome de decadência. A sua, a exemplo de toda decadência política, também inclui um Rasputin.

Chama-se Ravi Singh, um autodenominado guru indiano que se anuncia especialista em milagres digitais para acudir aflitos na reta final de campanhas eleitorais. Mistura equivalente de santo milagreiro e charlatão, o Rasputin original, Grigori Rasputin, tornou-se eminência parda da autocracia russa entre 1905 e a queda do regime, em 1917.

Quando mais a monarquia russa era odiada pelo povo e perdia densidade política, mais Nicolau II e sua esposa, a imperatriz Alexandra Feodorovna, se cercavam de bruxos e charlatões.

O mesmo se deu na decadência do peronismo na Argentina, nos anos 70. José López Rega, um ocultista e auto-proclamado vidente, passaria a exercer então influência terminal sobre viúva de Perón, Isabel Martínez de Perón, que assumiu a presidência após a morte súbita do marido.

Lopez Rega, depois se soube, foi um dos organizadores da Triple A, organização para-militar envolvida no assassinato de dezenas de comunistas argentinos.

Singh, o Rasputin de Serra, teria sido contratado por US$ 500 mil para promover 'a virada' no projeto de poder do tucano.

O comando da campanha demotucana desaprovou as mudanças introduzidas pelo guru no site do candidato que para isso ficou três dias fora do ar.

Gonzales, o contestado marqueteiro de Serra, afirma desconhecer a origem da contratação.

O único fato novo trazido para a campanha de Serra no bojo da auto-proclamada 'virada' resume-se a uma obscura quebra de sigilo fiscal de que teria sido vítima sua filha, Verônica Serra.

No leito da extrema-unção eleitoral, o fato nebuloso deu ao tucano o discurso de "família agredida pela conspiração petista', enredo que inspira tanta confiabilidade quanto um envelope de Ki-suco sabor framboeza.

Verônica Serra que foi sócia da irmã do banqueiro Daniel Dantas em empresa de internalização de capitais registrada em Miami, curiosamente, é apontada por tucanos como a responsável pela introdução do rasputin Ravi Singh na 'virada' prometida na campanha do pai.
Enviada por TIE-Brasil, às 19:11 01/09/2010, de Curitiba, PR


Dilma amplia vantagem 26% a frente de serra abaixo
O desespero demotucano deve aumentar e as pauladas serão cada vez maiores. A baixaria e a mentira vão rolar solto.

Pesquisa Vox Populi-IG-Band mostra que a vantagem de Dilma aumentou para 26%!!!

Se a eleição fosse hoje a candidata de Lula teria 51% dos votos, garantindo a vitória no primeiro turno. Já o candidato de FHC e do PiG, serra abaixo, consegue apenas 25%.

Na espontânea, no qual os nomes dos candidatos não são apresentados aos entrevistados, Dilma tem 41% das intenções de voto, enquanto serra abaixo aparece com 19%. Marina tem 6% e Lula ainda é citado por 2% dos entrevistados. Brancos e nulos somaram 4%, não souberam ou não responderam 11%.

Dias atrás espacialista especulavam que serra abaixo não teria nem 25%. Isso pode se tornar realidade...
Enviada por Sérgio Bertoni, às 19:05 01/09/2010, de Curitiba, PR


Políticos do DEM aliados de Richa estão entre acusados de cometer crimes
Por Ana Carolina Caldas

Denilson Pires e Cássio Taniguchi são alguns dos políticos do DEM acusados de crimes. O primeiro foi preso, o segundo por pouco. Ambos são fiés apoiadores de Beto Richa. Eles fazem parte da coleção de escândalos que acumula o partido fiel escudeiro do candidato tucano. Não vamos esquecer, é claro, do “Mensalão do DEM”, que levou à prisão o ex governador do Distrito Federal. Taniguchi , vale lembrar também, era secretário no governo do Distrito Federal! Afe Maria!

Denilson Pires, vereador pelo DEM e Presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba – SINDIMOC, foi preso nesta terça feira pela manhã, numa operação do GAECO – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público Estadual. Ele é acusado de apropriação indébita e formação de quadrilha. Denilson Pires é do DEM e um dos mais fervorosos defensores de Beto Richa. E vale registrar: acumula função de vereador e presidente de Sindicato! Só aqui mesmo isso acontece…

Conhecendo melhor os amiguinhos de Beto Richa:

DEM é o mesmo partido do ex prefeito Cássio Taniguchi que foi condenado em maio de 2010 pelo STF por crimes de responsabilidade. Os crimes foram cometidos quando Taniguchi foi prefeito de Curitiba, de 1997 a 2000. Ele é o segundo parlamentar punido desde a promulgação da Constituição de 1988. Por maioria, os ministros o condenaram a seis meses de prisão, sendo três por empregar recursos em desacordo com os programas a que se destinavam e outros três por fazer despesas não autorizadas por lei.

Apesar da condenação, Taniguchi não irá cumprir a pena porque os ministros entenderam que os crimes prescreveram em 2004. Por conta disso, ele não perde seus direitos políticos.

DEM é o mesmo partido do Arruda, ex governador de Brasília, preso pelo envolvimento no “Mensalão do DEM”. A operação chefiada pelo ex governador consistia na arrecadação de dinheiro junto a empresas contratadas pelo governo que eram distribuídas como propinas a secretários e deputados. Segundo as investigações, Arruda era o líder do esquema de corrupção. As imagens e primeiras denúncias foram feitas em novembro pelo ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa, que gravou em vídeos cenas de Arruda e outros recebendo maços de dinheiro que seriam de propina.

Diga-me com quem andas que eu te direi quem és!
Enviada por Blog Lado B, às 14:56 01/09/2010, de Curitiba, PR


Deve estar fazendo a careta na frente do espelho. Se enxerga, Serra!
Por Thea Tavares

Se Beto Richa (PSDB) censura blog por estar “emocionalmente abalado”, embora lidere as pesquisas de intenção de voto no Paraná, o que esperar do descontrole emocional do tucano espalha-roda José Serra?

Os próprios candidatos tucanos em vários estados estão fugindo da presença do presidenciável Serrabaixo, “como” – vade retrum! – se ele possuísse alguma doença contagiosa. E tem mesmo: a impopularidade. Por isso, Aécio Neves e Anastásia, em Minas Gerais, e Rosalba do DEM, no Rio Grande do Norte, não querem nem ouvir falar em colocar o Zé Pedágio nos seus comerciais do horário eleitoral. Passam longe; debandada geral.

Serra, que foi visto ao lado de Beto Richa (PSDB) em Cascavel-PR nesta semana, não conseguiu reunir um único prefeito para tentar convencer do apoio à sua candidatura. Para fugir do assédio do tucano, inventa-se de tudo: “Vou pescar! Tenho de cuidar das crianças! A mulher pediu pra eu lavar as louças”! Está desse tipo.
Enviada por Blog Lado B, às 14:53 01/09/2010, de Curitiba, PR


Repudio a censura tucana
O blog Lado b manifesta aqui seu repúdio à censura aprovada pela justiça a favor de Beto Richa, levando o jornalista Esmael Morais a retirar seu blog do ar. Beto Richa justificou o pedido de liminar informando que está “abalado emocionalmente” pelas postagens no blog e que isso pode afetar o resultado das eleições.

A decisão obrigou o blogueiro a retirar do ar 10 posts em que Fernanda, Marcelo e Beto Richa são citados. De acordo com a liminar, Morais fica proibido ainda de citar os nomes dos três em notas futuras.

Em primeiro lugar, demonstra que o blog www.esmaelmorais.com.br vem sendo lido pela Família Richa e tem incomodado por trazer à tona o que a mídia local não divulga. O ex prefeito resolveu optar pela censura justamente nos tempos da internet, momento em que vivenciamos intensamente a democracia.

Temos hoje a possibilidade de exercer o debate livre quando espaços virtuais tornaram – se também espaços democráticos para manifestarmos nossas opiniões seja durante, antes ou depois do processo eleitoral.

Desta forma repudiamos este atentado à liberdade de expressão e tão almejada, lutada e conquistada democracia.

Figuras como Mauricio Fruet, José Richa, Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff, e tantos outros… personalidades que estiveram na luta pela deflagração da reabertura democrática do país.

O jovem ex prefeito Beto Richa demonstra que esta lição ele não aprendeu.

E tudo indica que muitas outras não foram aprendidas por ele.

A livre expressão, as verdades, as divergências podem ser caladas, mas nunca estarão escondidas.

Não serão homens e mulheres calados, nem radares apagados, e nem mesmo um blog censurado que livrarão aqueles que muitas explicações devem á população paranaense.
Enviada por Blog Lado B, às 14:52 01/09/2010, de Curitiba, PR


O time dos anarquistas: 100 anos de ódio e resistência
Há exatos 100 anos, um grupo de operários do bairro do Bom Retiro, em São Paulo, praticou um ato de "desobediência civil".

À luz de um lampião, na rua, os insurretos decidiram criar um time de futebol do povo e para o povo.

Atrevidos, decidiram que a nova agremiação não deveria se contentar com a várzea.

O plano era formar um esquadrão para enfrentar, de igual para igual, os clubes da fechada elite paulistana.

Ousados, já meteram a mão em foices para abrir uma cancha num terreno baldio, pertencente a um lenheiro do bairro.

E, no primeiro jogo, contra o União Lapa, saíram em passeata até o palco da contenda.

Mas como passeata? Passeata, sim senhor, porque essa gente era sobretudo anarquista, com a graça do bom Deus.

O primeiro presidente do clube, o ítalo-brasileiro Miguel Battaglia, por exemplo, tivera contanto com o anarcossindicalismo ao prestar serviços para a Light.

É dele a frase cândida, mas também desafiadora, que guia a nação alvinegra até hoje: "Este é o time do povo, e é o povo que vai fazer o time".

Essa turminha do barulho lia o jornal anarquista de Gigi Damiani, o La Battaglia, que exortava os trabalhadores a fundarem suas próprias escolas e agremiações esportivas.

O time dos anarquistas não tinha bagunça. Cada um sabia das suas atribuições. Cada um assumia uma responsabilidade, conforme o que se aprendera de Bakunin e Malatesta.

E assim se estruturou. Em 1913, os meninos bons de bola conquistam o direito de participar da divisão principal do futebol paulista.

Ao mesmo tempo, o Paulistano e a A. A. das Palmeiras (nada a ver com o atual Palmeiras), enojados do cheiro do povo, se retiraram da liga e resolveram disputar um torneio paralelo.

Começava ali uma história de ódio.

A imprensa questionava a presença de um time de iletrados no mundo do chiquérrimo futebol, um jogo inventando por lordes ingleses.

Quanta petulância!

E para acirrar ainda mais os ânimos, o time dos anarquistas admitia gente de todos os tipos.

Logo agregava os negros, os mulatos, os caboclos e outros filhos da terra.

Mais um pouco e atraía também os outros segregados, polacos, libaneses, alemães, sírios, japoneses e gregos, gente que somente se entendia na alegria de torcer pelo Corinthians.

Imaginem o escândalo: um time de anarquistas, pretos, imigrantes e boêmios invadindo as elegantes festas do Velódromo.

Se o Corinthians ainda existe é por conta da brava resistência ao preconceito.

Tudo lhe foi sempre negado ou dificultado.

A mídia paulistana sutilmente construiu um estereótipo desabonador do corinthiano: é o ladrão, favelado, sem modos, sujo e vagabundo.

E mesmo criminalizado o Corinthians sobreviveu, e se fortaleceu.

E fortaleceu-se por qual motivo? Justamente porque sempre se cria um espírito de resistência solidária entre os oprimidos, ofendidos e injustiçados.

Passaram-se 100 anos, e nada mudou.

O Corinthians continua sendo alvo preferencial da mídia monopolista.

Se o grande São Paulo Futebol Clube recebe um financiamento do BNDES não há nada de errado. É a ordem natural das coisas.

Ora, mas se o banco vai financiar a "pretalhada", os "gambás", aí é uma vergonha.

Se a ordem é investir dinheiro público no rico bairro do Morumbi, a imprensa sorri de orelha a orelha.

Mas se a grana toma o rumo de Itaquera, na esfolada Zona Leste, já vira um caso de polícia.

Estadão, Folha, Abril, Globo, ESPN, entre outras organizações midiáticas aproveitaram para criminalizar mais uma vez a paixão de Lula pelo time do povo.

Está aí um prato cheio para colunistas políticos travestidos de colunistas esportivos: juntou o time dos anarquistas, do populacho, com o operário nordestino que se meteu a ser presidente...

Ai, não dá, né? Ainda mais quando ambos, o time e o presidente apresentam atributos que encantam o povo e, logicamente, o eleitorado.

Aqui, no Brás, os fogos espoucaram durante toda a madrugada.

Subiam dos quintais de cortiços, das janelas de apartamentos minúsculos, de ruelas esquecidas e escuras, dos lugares onde o povo do Brasil ainda resiste, invisivelmente.

Ahhh... Quanto ódio, meu Corinthians, mas quanta amorosa resistência!

Parabéns pra você!

Fonte: rede castorphoto
Enviada por Castor Filho, às 10:31 01/09/2010, de Curitiba, PR


>>
Próximos eventos

Clique aqui para ver mais notícias.